Nowhere Boy

Como eu disse em um post anterior, resolvi que também vou falar sobre filmes e séries que eu gosto, já que um dos meus objetivos no blog é escrever sobre assuntos que eu gosto. Depois de pensar durante algum tempo resolvi escrever sobre um dos meus filmes favoritos: Nowhere Boy (O Garoto de Liverpool)!
"John Lennon (Aaron Johnson) é um jovem que não aceita bem as regras impostas na escola e dentro de casa. Abandonado pela  mãe quando tinha cinco anos, ele vive com seus tios George (David Threfall) e Mimi (Kristin Scott Thomas). Quando George morre, Lennon é obrigado a viver com Mimi, extremamente austera e sisuda. No funeral do tio ele vê sua mãe (Anne-Marie Duff), que se mantem afastada. Seu primo  consegue o endereço dela, o que  faz com que Lennon resolva visitá-la. O reencontro com o filho é a realização de um sonho para Julia , que passa cada vez mais seu tempo com ele. Animada e um tanto inconsequente, ela apresenta ao filho o rock'n'roll. Logo, desperta nele a vontade de montar uma banda de rock."
Apesar de o filme ser do ano de 2009, admito que demorei muitos anos para assisti-ló, na época, eu não era uma das maiores fãs das músicas dos Beatles e as que eu conhecia eram as que a minha mãe escutava. Somente no ano de 2012 que eu tomei a iniciativa de assistir ao filme, um interesse pela história da banda acabou crescendo em mim gradativamente a medida que os anos tinham se passado. Além desse motivo, foi nesse mesmo ano que eu me tornei fã do ator Aaron Johnson e eu fiquei curiosa para ver todos os filmes que ele já tinha feito, desse modo, eu acabei descobrindo o filme "Nowhere Boy".
A primeira vez que eu acabei vendo o filme foi pelo YouTube, e dublado. Mesmo não gostando de assistir filmes dublados apenas ignorei esse fator, e no final das contas acabei apreciando o filme! Foi interessante saber um pouco mais sobre a adolescência do John Lennon, e desde o início é perceptível que a vida dele está longe de ser um mar de rosas.

Depois de ser abandonado por sua mãe, aos cinco anos de idade John passa a viver na casa de seus tios. Apesar de estar afastado de seus pais ele  foi criado com todo amor por George e Mimi (mesmo agindo de maneira fria durante boa parte do tempo, ela demonstra que o ama em alguma partes do filme. Apenas demonstra ter um coração feito de pedra), e após a morte de seu tio o seu mundo parece virar de ponta a cabeça, já que ele se reaproxima de  seu mãe Julia.

No início não é explicado o motivo do abandono de John, mas Julia se mostra arrependida pelas ações que acabou tomando no passado e se sente extremamente feliz com a reaproximação de seu menino, e começa a dedicar boa parte de seu tempo para ficar junto de seu filho. Isso acaba desagradando o seu atual marido que acha que ela está dando mais atenção para o seu filho do que deveria, defendendo a ideia de que Julia deveria dar mais atenção às duas filhas pequenas que precisam dela.

Outra pessoa que não fica feliz com essa reaproximação é tia Mimi, ela acredita que sua irmã não é uma noa influência para John e, que em algum momento ela vai fazê-lo sofrer. Isso acaba gerando uma grande confusão em família, e como é mostrado ao longo do filme Julia é uma mulher extremamente animada e inconsequente, está longe de ser uma das melhores mães do mundo. De qualquer forma, os fãs dos Beatles devem agradecer de joelhos à essa mulher louca! Foi graças a influência dela que John Lennon se interessou por rock'n'roll, que ficou com vontade de criar uma banda. Se não fosse por isso, acredito que os Beatles nunca teriam acontecido, já que na casa de seus tios a música clássica era o que reinava.


Para mim um dos melhores momentos do filme é quando acontece o encontro entre John Lennon e Paul McCartney, apesar de Lennon ter agido feito um babaca inicialmente, a amizade que se estabelece entre os dois é bonita. Paul começa a ajudar John com algumas aulas de violão, são essas aulas que vão os aproximando.
"John: Why do you know so much? I mean you don't seem like the rock and roll kind of guy.
Paul McCartney: What you mean because I don't go around smashing things up and acting like a dick?
John: Yea.
Paul McCartney: No. It's the music. That's it, just music. Simple."
 Ao longo do filme é apresentada a formação dos Beatles que acontece mais para o final, apesar de que em nenhum momento do filme o nome da banda foi citada. E a explicação sobre o abandono de John, e a briga entre as irmãs Julia e Mimi finalmente acontece! Ao mesmo tempo em que é emocionante é difícil falar qual das duas está correta, elas fizeram o que acreditavam ser certo. Infelizmente, a felicidade não dura por muito tempo. Justo quando Julia, Mimi  e John estavam se entendendo uma tragédia acabou acontecendo. No dia 15 de julho de 1958, após visitar seu filho, Julia morreu atropelada por um policial fora de serviço, que conduzia embriagado.

Nem mesmo todas as palavras do mundo conseguiriam expressar o amor que eu sinto por esse filme, infelizmente ele não é muito conhecido aqui no Brasil, pelo menos, boa parte dos meus amigos nunca tinha ouvido falar dele. É uma história emocionante, por esse motivo recomendo o filme para todas as pessoas, não somente os fãs dos Beatles.

Outra coisa que eu gostei do filme foram as músicas, tanto é que coloquei todas no meu celular. Além disso, há o relacionamento entre Mimi e John, apesar de todas as brigas entre os dois ela foi como uma mãe para ele e o amava, apesar de não demonstrar tanto.

Curiosidades:

  1. Apesar de o filme narrar a adolescência de John Lennon, fundador dos Beatles, em nenhum momento é citado o nome da banda
  2. Baseado no livro "Imagine This: Growing Up With My Brother John Lennn", de Julia Baird
  3. Indicado ao BAFTA nas categorias de Melhor Roteiro Original, Melhor Maquiagem, Melhor Efeitos Sonoros, Melhor Figurino, Melhor Trilha Sonora, Melhor Ator e Melhor Atriz Coadjuvante

Ficha Técnica:

  • Título: Nowhere Boy (O Garoto de Liverpool)
  • Gênero: Drama, biografia, musical
  • Direção: Sam Taylor-Wood
  • Reteiro: Matt Greenhalgh
  • Elenco: Aaron Johnson, Anne-Marie Duff, Calum O'Toole, David Morrissey, Jack McElhone, Kristin Scott Thomas, Ophelia Lovibond, Sam Bell
  • Produção: Douglas Rae, Kevin Loader, Robert Bernstein
  • Duração: 98 min









  • Share

Resenha: Encontrada

Título: Encontrada
Autor(a): Carina Rissi
Editora: Verus
Número de páginas: 476
Classificação: 5/5

Existem autores que te conquistam, foi isso que a Carina Rissi fez comigo. Os livros dela me conquistaram, agora posso afirmar, com toda convicção, que sou uma grande fã do seu trabalho. Quando fiquei sabendo sobre o livro "Encontrada", fiquei contando os dias para o seu lançamento, e a minha ansiedade aumentou quando soube que no dia 18/08 teria o lançamento do livro na Leitura do Pátio Savassi, juntamente com uma seção de autógrafos com a Carina. Fiz uma contagem regressiva, e no dia do lançamento acabei indo da escola direto para o shopping. Cheguei lá por volta das 16:40, comprei o meu livro e tive que resistir para não ler o final do livro (eu sou uma pessoa que ama spoilers, e sempre acabo lendo o último capítulo de todo o livro que eu compro), pois tinha certeza que acabaria falando algo que não devia. Como cheguei duas horas antes do evento precisei esperar um bocado, mas o tempo acabou passando de uma formar muito rápida à medida que ia fazendo amizade com as garotas da fila, e diferente do autógrafo com a Cassandra Clare, ninguém tentou se matar. Tudo acontecer de forma organizada, divertida e ao som de OneRepublic.
 "Sofia está de volta ao século dezenove e mais que animada para começar a viver o seu final feliz ao lado de Ian Clarke. No entanto, em meio à loucura dos preparativos para o casamento, ela percebe que se tornar a sra.Clarke não vai ser tão simples quanto imaginava. As confusões encontram a garota antes mesmo de ela chegar ao altar — e uma tia intrometida que quer atrapalhar o relacionamento é apenas uma delas. Além disso, coisas  estranhas estão acontecendo na vila. Ian parece estar enfrentando alguns problemas que prefere não dividir com a noiva. Decidida, Sofia fará o que estiver ao seu alcance para ajudar o homem que ama. Ela não tá disposta a permitir que nada nem ninguém atrapalhe seu futuro. Porém suas ações podem pôr tudo a perder, e Sofia descobre que a única pessoa capaz de destruir seu felizes para sempre é ela própria."
Sofia Alonzo é uma jovem do século XXI, mas, para viver o seu felizes para sempre junto de Ian Clarke ela acaba escolhendo viver  no século XIX junto de seu amado, em nome do amor dos dois. Contudo, Sofia apresenta muitas dificuldades para se adaptar à sua nova vida. Além dos costumes diferentes, como por exemplo, usar calças, trabalhar... Ela também é considerada como louca por algumas pessoas da região, e que acreditam que ela não é a melhor escolha que Ian poderia ter feito. De qualquer modo, ela está se esforçando para se acostumar com os vestidos, e na medida do possível vem tentando se manter longe de confusões para não envergonhar o seu noivo. O único problema é: que com ela confusão vem atrás de mais confusão.
"Atravessamos a igreja sem pressa, recebendo os cumprimentos dos amigos. Mas acabei captando  uma conversa entre duas senhoras que certamente não devia. Uma delas era a Cara de Cavalo.
— Entrar sozinha na igreja! A dama de honra na frente!
— Realizado em português! Não deve ter validade, Ofélia.
— Que espécie de sapatos eram aqueles?
— E o vestido! Sem brilho, apagado. Parecia uma simples criadinha...
— Oh, agora só nos resta esperar para saber se haverá um escândalo ou um funeral muito em breve."
Como se o fato dela não ser popular na sociedade, os recém-casados acabam recebendo a visita de Tia Cassandra acompanhada de seu filho Thomas Clarke II, e esta vai fazer de tudo para acabar com a união do casal já que não pode fazer nada para impedir o casamento acreditando que Sofia não é uma jovem adequada para seu sobrinho Ian, além de acreditar que ela poderia acabar manchando a imagem de Elisa (irmã mais nova do Ian), a impedido de conseguir realizar um bom casamento.
"— A senhora não tem a metade da decência, da honra e da bondade dessa mulher — ele apontou furioso para mim, mas com os olhos cravados na tia. — Deixe a minha esposa em paz. Volte para o buraco do qual saiu e nos esqueça, ou, eu juro, farei com que se arrependa de um dia ter posto os olhos nelas."
E para piorar a situação marido e mulher começam a esconder segredos importantes uns dos outros. Ian está misterioso, e está procurando esconder à qualquer o motivo de ter adiado a viagem de lua de mel, chegando a ficar bravo ao saber que sua esposa andou mexendo em alguns livros de contabilidade da casa. Já Sofia, começou a ganhar dinheiro produzindo um condicionador, e teme que seu marido acaba descobrindo, na época era comum o homem sustentar a mulher e o fato dela estar começando o seu próprio negócio poderia ser compreendido como se Ian não estivesse dando o suficiente para ela.

Essa diferença de 200 anos entre os dois faz Sofia perceber que Tia Cassandra não é capaz de destruir o seu felizes para sempre, nem qualquer outra pessoa da região. A única pessoa que pode acabar com sua linda história de amor é ela mesma, e para tentar salvar seu casamento a sra.Clarke decide virar uma autêntica dama do século XIX.
"— Como é que a gente pôde se desencontrar tanto? Será que esses duzentos anos sempre vão separar a gente?"
Existem livros tão envolventes que você acaba lendo em questões de horas, é capaz de deixar tudo de lado apenas para ler e "Encontrada", é um livro tão envolvente que o leitor é capaz de passar horas e horas lendo, sem se preocupar com o mundo lá fora. Foi desse jeito comigo, e acredito que teria acabado o livro mais rápido ainda se não estivesse em semana de provas. A história criada por Carina Rissi é apaixonante, você se diverte com os personagens, se apaixona por eles e até sente raiva de alguns. E o final foi algo surpreendente ente brilhante, o que foi muito astuto por parte da autora. Com toda certeza, essa vai ser um livro que vai ficar para sempre na minha memória e que os personagens sempre vão continuar vivos em meu coração.

Novamente agradeço à minha amiga Beatriz Maciel por ter me apresentado aos livros da Carina Rissi, se não fosse por ela eu não iria conhecer essa pessoa extremamente brilhante e com um grande talento para escrever. Mais emocionante ainda foi conhecer a conhecer ela pessoalmente. Posso descrever esse encontro como emocionante e memorável, conhecer um ídolo sempre é algo emocionante, e se torna ainda mais quando você descobre que tem alguns gostos em comum com aquela pessoa!

Recomendo o livro "Encontrada" para todos os públicos, a leitura é fácil, extremamente envolvente e apaixonante. É uma boa opção caso você esteja com vontade de ler um romance, ou um livro para passar o tempo.

Caso você se interesse pela história apenas fique atento pois, "Encontrada" é o segundo e último livro da série. O primeiro é "Perdida", ele conta a vida de Sofia no século XXI, como ela foi parar no século XIX, ela se apaixonando por Ian... Ambos são livros excelentes.
  • Share

Bienal do Livro 2014: paraíso ou inferno?

Época de provas é algo exaustante, você se mata de estudar e às vezes é obrigado a deixar algo de lado. Esse é o motivo para o meu blog estar um pouco abandonado durante o mês de agosto, contudo, não estou aqui para falar sobre a inatividade do meu blog. Tenho um assunto mais interessante em mãos, hoje estou aqui para falar sobre a Bienal do Livro 2014, também conhecida como Jogos Vorazes 2014 (se você esteve lá no dia 23, vai entender exatamente o que eu quero dizer).

Para quem não sabe, eu sou de Belo Horizonte e o caminho que eu percorri junto do meu pai para chegar à Bienal foi exaustante, além de muito longo (mais precisamente 528,1 Km, aproximadamente 8h e 3min), portanto, acho que não é necessário entrar nos detalhes da viagem de carro.

No dia 23 eu cheguei ao local do evento (Anhembi Parque) por volta das 8 horas da manhã e me assuntei com o tamanho da fila que já tinha se formado, do lado de fora do local consegui ver milhares de pessoas. E perto da entrada estava uma verdadeira loucura, enquanto alguns encontravam-se na fila de forma organizada para pegar a senha do autógrafo do Harlan Cobe, o restante das pessoas estavam amontoadas na entrada com o objetivo de conseguirem pegar as senhas que mais tarde dariam a oportunidade dos fãs pegarem autógrafos com a Cassandra Clare, e a Kiera Cass. Com ajuda do meu pai eu me aventurei nesse bolo de pessoas, conheci pessoas legais durante a espera, contudo, não foi nada muito duradouro. O clima de amizade que se estabeleceu entre as pessoas estaria prestes a acabar no momento de abrir as portas do evento, um exemplo disso, foi um sinal de "Jogos Vorazes" que algumas pessoas fizeram alguns minutos antes.

Nos livros, esse sinal significa uma espécie de saudação que significa aprovação, apoio. companheirismo... Mas na Bienal foi utilizado com um significado totalmente diferente. No contexto, ele acabou significando que a partir do momento em que as portas abrissem era cada um por si. Pelo menos foi isso o que eu compreendi como um todo, afinal logo que as portas foram abertas o "empurra empurra" começou.  De uma hora para outra parecia que eu estava cercada por gnus tentando atravessar o rio Masai Mara, Quênia. Lembro que na confusão do momento quase que eu perdi a minha mochila, e infelizmente tive que presenciar e escutar a agonia de uma mulher que estava sendo prensada na porta, na hora, me senti mal por não conseguir oferecer algum tipo de ajuda, mas agora vejo que não poderia ter feito nada, sendo que eu estava enfrentando as minhas próprias dificuldades.

Assim que eu consegui entrar no local comecei a correr em direção onde estavam distribuindo as senhas para o autografo com a Cassandra, foi uma verdadeira luta contra o tempo e com as outras pessoas que tinham o mesmo objetivo que o meu. Em alguns momentos pensei que não daria conta, a minha mochila
estava caindo, assim como o meu casaco e o meu tênis estava começando a desamarrar. Admito que tive bastante sorte de conseguir um bom lugar na fila, e por um milagre consegui a minha tão esperada senha. Senti um grande alivio quando colocaram a fita azul no meu braço, já tinha alcançado metade do meu objetivo e poderia relaxar até 15:30 (o horário em que começaria a sessão de autógrafos).

Mas que engano meu. Levaria muito tempo e espaço para contar tudo o que acabou dando errado comigo, então vou resumir em algumas palavras: eu me perdi do meu pai, o meu crédito acabou, meu 3G parou de funcionar e o meu celular ficou sem serviço. Obviamente, esses problemas e outros mais que surgiram acabaram sendo superados. Consegui pegar autógrafos e tirar fotos com: a A.C.Meyer, Christina Lauren e Cassandra Clare. Me encontrei com a minha amiga do tumblr, a Beatriz Maciel.E ainda ganhei muitos livros!
Não sabia muito bem o que esperar da Bienal do Livro, mas na minha cabeça sempre imaginei com algo mágico e extremamente perfeito. No entanto, algumas coisas acabaram saindo totalmente ao contrário, ao mesmo tempo em que saí de lá com boas lembranças, também estava cheia de muitas frustrações. O evento acabou sendo muito desorganizado, eles poderiam ter usado o espaço de uma forma bem melhor. Andar pelos corredores era praticamente impossível, você acabava esbarrando nas pessoas ou pisava no lixo que se amontoava pelo chão. "Dois corpos não ocupam o mesmo lugar", já dizia Newton, isso porque não ele não estava na Bienal. Lá dois corpos não ocupavam o mesmo lugar, eram uns cinco para mais, dependendo do corredor em que você transitava.

Outro fator desagradável foi ver que pessoas estavam roubando os livros, aproveitando-se da segurança que era muito pequena. Isso comprova o famoso jeitinho brasileiro, em que o caminho mais fácil é sempre o melhor. Se eu quisesse ter roubado um livro eu poderia ter feito isso e ninguém teria notado, mas sou uma pessoa honesta e prefiro passar horas em uma fila para comprar um livro, do que pegar um sem pagar.

Algumas pessoas me perguntaram se eu gostei e eu respondi para todas que apesar de todos os problemas foi bom, consegui conhecer autoras que eu adoro, me encontrei com a minha miga e fiz amizade com as algumas pessoas. Valeu a penas. Porém, essa foi a primeira e última vez que vou ir à Bienal. Eu prefiro pagar uma passagem de avião e acampar na porta da casa da J.K. Rowling do que ir à Bienal ver ela, hipoteticamente falando.
Essa é apenas a minha opinião do evento, então se você comprou o seu ingresso não deixe de ir. A minha experiência não foi uma das melhores, mas isso não significa que o que aconteceu comigo vai acontecer com você. E se você foi à Bienal, não deixe de comentar como foi a sua experiência!


  • Share

Resenha: O Segredo do Meu Marido

Título: O Segredo do Meu Marido
Autor(a): Liane Moriarty
Editora: Intrínseca
Números de páginas: 368
Classificação: 5/5  

Lembro que há algum tempo atrás eu estava lendo o blog da minha amiga, quando eu vi a resenha que ela postou do livro "O Segredo do Meu Marido", da Liane Moriarty, pelo o que ela escreveu eu achei que foi uma trama bastante planejada. Depois de muito tempo eu tive a importunidade de comprar o livro, e após a leitura eu posso afirmar com plena certeza de que foi algo bastante planejante, além de totalmente brilhante.

"Ela virou o envelope. Estava lacrado com um pedaço de fita adesiva amarela. Quando a carta tinha sido escrita? Parecia  velha, como se tivesse sido anos antes, mas não havia como saber ao certo. Imagine que seu marido tenha lhe escrito uma carta que deve ser aberta apenas quando ele morrer. Imagine também que essa carta revela o seu pior e mais profundo segredo — algo com o potencial de destruir não apenas a vida que vocês construíram juntos, mas também a de outras pessoas. Imagine, então, que você encontra essa carta enquanto seu marido ainda está bem vivo... Cecilia Fitzpatrick tem tudo. É bem-sucedida no trabalho, um pilar da pequena comunidade em que vive, uma esposa e mãe dedicada. Sua vida é tão organizada e imaculada quanto sua casa. Mas uma carta vai mudar tudo, e não apenas para ela: Rachel e Tess mal conhecem Cecilia — ou uma à outra —, mas também estão prestes a sentir as repercussões do segredo do marido dela. Um romance emocionante, O Segredo do Meu Marido é um livro que nos convida a refletir até onde conhecemos nossos companheiros — e, em última instância, a nós mesmos."
Logo no início da trama é apresentada ao leitor a vida de três mães, que até onde se sabe, elas não tem nenhuma relação umas com as outras. Cecilia Fitzpratrick pode ser considerada como o sinônimo da perfeição, ela tem uma bela família, um ótimo marido chamado John-Paul, três filhas lindas: Isabel, Esther e Polly. É bem-sucedida em seu trabalho e sabe administrar perfeitamente sua casa.  

Tess, é uma mãe que concilia a maternidade junto com o seu trabalho na empresa que montou junto de seu marido Will, e se sua prima (uma ex-gordinha Felicity). Assim como Cecilia, sua vida parece ser perfeita, contudo, uma revelação pode acabar mudando a sua vida de cabeça para baixo. Nem tudo era tão perfeito como ela imaginava.

E por último e nem menos importante vem Rachel, uma velha senhora que perdeu o marido e sua filha Janie, e que está tentando convencer o filho Rob a não se mudar para New York junto de sua esposa e seu filho.

Inicialmente o leitor pode ficar um pouco confuso se perguntando qual é a relação entre essas três mulheres, a única característica em comum entre elas é que todas são mães, além de serem da mesma cidadezinha que fica na Austrália. Mas à medida que a história se passa Liane, consegue juntar de uma maneira bem planejada e articulada a história dessas três mulheres, fazendo que a história de cada uma se cruzam de maneira irreparável, ainda mais com a descoberta da carta que John-Paul escreveu para Cecilia há anos atrás.
"Deve ter sido um homem, claro. Só um homem poderia ter uma ideia tão cruel, tão essencialmente estúpida e de uma eficiência tão brutal." 
O segredo que está confidenciado na carta não é revelado logo no início do livro, pessoalmente eu achei essa decisão sábia por parte de Liane, além de deixar o leitor mais envolvente na narrativa, também faz com quem leia comece a formular algumas teorias. O que o marido de Cecilia pode ter feito de tão errado? Será que ele tem alguma doença grave? Inúmeras teorias se passam pela cabela do leitor, pelo menos foi o que aconteceu comigo.

O final foi algo surpreendente, nem mesmo com todas as teorias que eu formei na minha cabeça eu conseguiria chegar ao final que Liane faz para a obra. E uma das coisas que mais me agradou foi o fato dela levantar questões reflexivas, o famoso "e se" que perturba a vida de varias pessoas, inclusive a minha vida em alguns momentos.
"Nenhum de nós conhece todos os possíveis cursos que nossas vidas poderiam ter tomado. E provavelmente é melhor assim. Alguns segredos devem ficar guardados para sempre. Pergunte a Pandora."
Além do final, outra coisa que me surpreendeu foi o fato do livro mostrar personagens que aprenderam a perdoar, apesar de algumas situações parecerem imperdoáveis. Acho que é um exemplo que as pessoas deveriam seguir com mais frequência, passar uma vida inteira guardando rancor de alguém não me parece algo saudável.

Esse é o primeiro livro que eu leio da Liane Moriarty e o resultado foi positivo, "O Segredo do Meu Marido" é um livro cheio de detalhes e a história está longe de ser um clichê, pessoalmente eu não me lembro de ter lido algo parecido com isso. Admito que  achei o enredo e o desenvolvimento, num todo, algo extremamente genial. Talvez seja o mal do sobrenome Moriarty, Jim Moriarty (o inimigo do famoso detetive Sherlock Holmes) por mais que seja apenas um personagem, ainda é genial, do mesmo modo que Liane Moriarty é uma escritora com ideias geniais.


  • Share

1# Filmes e séries

Quando eu criei o blog o meu intuito sempre foi escrever posts sobre pensamentos, livros e qualquer outra coisa que seja do meu interesse. Hoje, quando eu acordei percebi que já tinha falado de muitas coisas que eu gosto e deixei de lado um tópico que eu adoro: filmes e séries. Então resolvi fazer uma lista das séries que eu assisto.

GREY'S ANATOMY
Meredith Grey (Ellen Pompeo) começa a trabalhar no Seattle Grace Hospital e logo descobre que passou a noite com um dos seus chefes, Dr. Derek Shepherd (Patrick Dempsey). Enquanto enfrenta os desafios da vida profissional, ela se aproxima de outros internos liderados pela residente Dra. Bailey (Chandra Wilson): Cristina Yang (Sandra Oh), Izzie Stevens (Katherine Heigl), George O'Malley (T.R. Knight) e Alex Karev (Justin Chambers)."
DOCTOR WHO 
O Doutor é um Senhor do Tempo - um alien de um planeta distante chamado Gallifrey que tem dois corações e aproximadamente 900 anos. Em sua nave espacial, a TARDIS, ele atravessa as barreiras do espaço e do tempo lutando contra inimigos e cirando aventuras com seus com seus companheiros, que sempre escolhe para viajar junto a ele. Quando ele está prestes a morrer, ele se regenera e renasce em outro corpo inteiramente novo."
SHERLOCK 
O dr. John Watson precisa de um lugar para morar em Londres. Ele é apresentado ao detetive Sherlock Holmes e os dois acabam desenvolvendo uma parceria intrigante, na qual a dupla vagará pela capital inglesa solucionando assassinatos e outros crimes brutais. Tudo isso em pleno século XXI."
F.R.I.E.N.D.S
Seis jovens são unidos por laços familiares, românticos e, principalmente, de amizade, enquanto tentam vingar em Nova York. Rachel é a garota mimada que deixa o noivo no altar para viver  com a amiga dos tempos de escola Monica, sistemática e apaixonada pela culinária. Monica é irmã de Ross, um paleontólogo que é abandonado pela esposa, que descobriu ser lésbica. Do outro lado do corredor do apartamento de Monica e Rachel, moram Joey, um ator frustado, e Chandler, de profissão misteriosa. A turma é completa pela exótica Phoebe."
THE VAMPIRE DIARIES

A cidade fictícia de Mystic Falls, na Virgina, é assombrada por criaturas sobrenaturais. Damon (Ian Somerhalder) e Stefan Salvatore (Paul Wesley) são irmãos que ganharam a condição de vampiro e desde então procuram manter sua imortalidade em segredo. Ao mesmo tempo, buscam resistir à vontade de atacar seres humanos. Ambos conhecem Elena Gilbert (Nina Dobrev), uma linda e popular estudante, e logo se atraem por ela. No entanto, a jovem corresponde apenas um dos interessados, e estes iniciam uma disputa por sua alma."
Todas as sinopses foram retiradas do site Adoro Cinema, e não deixem de comentar se vocês se identificarem com alguma das séries e também se sintam livres para me indicarem novas séries.


  • Share