Resenha: Selvagens

















Título: Selvagens
Autor(a): Don Winslow
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 288
Classificação: 3/5

Sou dessas pessoas que quando acompanha o trabalho de um artista gosta de ficar por dentro de tudo, e foi o meu amor gigante pelo Aaron Johnson que me motivou a assistir o filme "Savages", onde ele interpreta um dos personagens principais. Esse filme foi inspirado na obra "Selvagens", de Dom Winslow, e eu também resolvi ler o livro. Fiz todas essas coisas em nome do meu amor pelo Aaron Johnson, pela leitura e pelos filmes.
"Ambientalista e filantropo nas horas vagas, Ben comanda um negócio de maconha em Laguna Beach; Ao lado de seu parceiro, o ex-mercenário Chon, ele fatura lucros consideráveis e mantém uma clientela fiel. No passado, quando seu território foi invadido, Chon tratou de eliminar a ameaça. Agora, porém, eles parecem estar diante de uma força da qual não podem dar conta: o Cartel de Baja, do México quer tomar a região e avisa que não irá aceitar uma negativa como resposta. Quando os dois amigos se recusam a recuar, o cartel reforça a advertência sequestrando Ophelia, companheira e confidente dos rapazes. O sequestro deflagra uma gama alucinante de negociações habilidosas e reviravoltas inacreditáveis, que deixarão os leitores ansiosos para descobrir o custo da liberdade e o preço de um grande barato. Uma engenhosa combinação entre o suspense carregado de adrenalina e a reportagem policial, Selvagens é um thriller alucinante, escrito por um mestre do gênero no auge de sua carreira." 
Todos os negócios de sucesso têm uma origem. Ben estudou em Berkeley e se especializou em botânica e marketing, duas escolhas um tanto incomum, mas ninguém o questionou sobre isso. E em uma conversa, um tanto quanto reflexiva, na praia com seu melhor amigo e parceiro dos jogos de vôlei: Chon, eles decidiram o que queriam fazer de suas vidas.
"e Ben sai com o velho ditado: 'Faça o que ama e nunca trabalhará um só dia na vida.'
O que lhes parece legal.
Certo, o que a gente ama?, pergunta Chon.
Sexo
Voleibol
Ceveja
Erva

Eles não querem atuar em filmes pornôs nem produzi-los, então o sexo está fora. Só tem uns dois caras no mundo inteiro conseguem ter uma vida decente jogando vôlei, e essa coisa de microcervejaria é furada, então..." 
E depois desse papo altamente reflexivo sobre o que fazer no futuro, Ben e Chon decidiram entrar no negócio de maconha. Não como contrabandistas ou comerciantes, mas sim, como produtores.  E com o objetivo de conseguir encontrar a melhor semente de cannabis do mundo, Chon decide servir as forças armadas no Exército no Afeganistão, uma das regiões mais perigosas do mundo, apenas para contrabandear um pouco de semente. E com o talento de Ben para botânica tudo se encaixou completamente.
"Dar sementes de Viúva Branca a Ben foi como dar pincéis e um teto branco a Michelangelo e dizer:
É todo seu, camarada." 
Ben pegou a Viúva Branca e fez cruzamentos cuidadosos, deixando a semente ainda mais forte. E depois começou a criar diferentes misturas de indica e sativa, todas muito fortes, sem contar que ele podia personalizá-las para cada cliente. Aos poucos o negócio deles foi crescendo, fazendo com que ambos quase se tornassem figuras míticas.

Ele retira 99% da violência ao tráfico, pois seu principio básico de filosofia de vida é o budismo, tanto é que Ben se descreve como um bundista, ou seja, "um budista bundão", pois ele come carne, sente raiva, raramente medita e faz uso de substâncias alteradoras da consciência. Mas, de todos os fundamentos do budismo ele escolhe:
1) Não fazer o mal, que para ele significa: Não sacaneie as pessoas.
E o 1% que resta? É aí que Chon entra em ação. E mesmo com os discursos de Ben sobre paz e não sacanear com as outras pessoas, Chonny tem uma ideia totalmente diferente. Mesmo que os negócios não precisam ser violentos, eles são, e mudar isso é impossível.

Apesar dos gostos em comum dos dois amigos, também existem certas diferenças notáveis entre eles que não podem ser ignoradas. E uma das coisas que eles têm em comum é: O. (um apelido já que ela não gosta muito de seu verdadeiro nome: Ophelia).
"O. está feliz
por Ben estar voltando
Ben, sua outra base de sustentação
Os dois homens — Ben e Chon —
que significam alguma coisa em sua vida.
Os dois únicos que já significaram."
O que eles não estavam esperando era à aproximação do Cartel de Baja, querendo controlar a produção de Ben e Chon, além de estudarem as suas técnicas. Uma reunião é marcada para que eles conversem sobre esses termos. Porém os dois amigos acabam recusando a proposta, justificando que estavam querendo sair do ramo das drogas para apostar em algo mais limpo, como energia renovável. Contudo, a pessoa que gerencia o Cartel de Baja levou essa recusa para um lado muito pessoal e como forma de fazê-los eles aceitarem sua proposta acabou armando um sequestro para O., o grande amor de Ben e Chon, e a maior fraqueza deles.

Desesperados e temendo pela vida de O.. Ben e Chon começam a fazer o possível e o impossível para terem sua garota junto deles novamente. E muita das medidas que acabam tomando envolvem algumas mentiras, muita violência e barganha. Love gets savage.

Eu resolvi ler o livro depois de ter assistido o filme, é uma espécie de mania que eu tenho: se li um livro tenho que ver o filme, e vice-versa. E devo dizer que foi uma adaptação bastante fiel, o que é bom, pois algumas vezes os filmes acabam sendo completamente diferentes dos livros, como foi o caso da série do "Percy Jackson e os Olimpianos", nem da para fazer uma comparação.

Inicialmente demorei um pouco para me acostumar com o modo de escrever do Don Winslow, mas no final, o vocabulário despojado, a formulação das frases e os parágrafos curtos (a maioria, pelo menos), acabaram combinando perfeitamente coma história. Não consigo imaginar sendo de outra forma, e se tivesse feito de um modo diferente não combinaria tanto assim com o assunto que o livro trata, com as personagens.

Esse está longe de ser um livro clichê do qual você encontra a montes nas livrarias, e o que mais me agradou em toda a história foram a construção dos personagens. Por exemplo, muitas pessoas julgariam uma mulher como puta por estar se envolvendo mutuamente com dois homens (amigos, ainda por cima), mas ao longo da leitura fica evidente o quanto os três se amam por igual, ao ponto de serem capazes de morrerem um pelo outro. E também da tamanha doçura que o personagem Ben tem esse negócio que ele criou com o Chon foi apenas pensando na felicidade e não no dinheiro ou reconhecimento, essas duas coisas acabaram sendo consequências.

Sou fã de assuntos polêmicos, e isso o livro acaba abordando. É interessante ver o ponto de vista dos personagens sobre essa questão da maconha, e o quão longe estão dispostos a ir por ela. E é claro, contém algumas informações científicas sobre os tipos de maconha, e outras coisas mais, o que acaba ajudando a compreender alguns dos termos que aparecem.

E bem no fundo, há um pouco de questão filosófica nesse livro, algo que eu simplesmente amo! De uma forma minuciosa aborda assuntos como: "Quero trabalhar e ser feliz ao mesmo tempo"; o amor; sede de vingança que os humanos têm; e o conceito da palavra selvagem que aparece algumas vezes no livro e, sempre, variando de pessoa por pessoa.
"Vamos viver na praia e comer os peixes que apanharmos. Colheremos frutas frescas e subiremos em coqueiros. Dormiremos juntos em esteiras de palha e faremos amor.
Como selvagens.
Belos, belos selvagens."
 
A minha recomendação para todas as pessoas é: leiam esse livro. Sei que o tema que o livro aborda é de longe o favorito de muitas pessoas, eu mesma admito que não gosto desse tipo de coisa, mas foi uma boa experiência ler algo diferente das coisas que eu leio. Aprendi novas informações, e mesmo que nunca vá usar elas na minha vida para nada, ganhar um pouco de conhecimento nunca é ruim. E alguns personagens têm uma essência tão única que são apaixonantes. Assim como existem alguns personagens que você odeia instintivamente.





  • Share

Resenha: Álbum de Casamento

Título: Álbum de Casamento
Autor(a): Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 288
Classificação: 5/5

Sempre tive uma grande vontade de ler algum livro da Nora Roberts, já havia escutado muitos comentários sobre as obras dela, e isso apenas ia aumentando a minha vontade. E aproveitei o lançamento da série "Quarteto de Noivas" para saciar o meu desejo de ler algo da Roberts. Sendo assim eu comprei o livro "Álbum de Casamento", e no final da leitura percebi que tinha arranjado mais uma escritora favorita.

"Quando crianças, as amigas Parker, Emma, Laurek e Mac adoravam fazer casamentos de mentirinha no jardim. E elas pensavam em todos os detalhes. Depois de anos dessa brincadeira, não é de surpreender que tenham fundado a Votos, uma empresa de organização de casamentos bem-sucedida. Mas, apesar de planejar e tornar real o dia perfeito para tanto casais, nenhuma delas teve no amor a mesma sorte que tem nos negócios. Até agora. Com várias capas de revistas de noivas no currículo, a fotógrafa Mac é especialista em captar os momentos de pura felicidade, mesmo que nunca tenha experimentado em sua vida. Por causa da separação dos pais e de seu difícil relacionamento com eles, Mac não leva muita fé no amor. Por isso não entende o frio na barriga que sente ao reencontrar Carter Maguire, um colega de escola com o qual nunca falara direito. Carter definitivamente não é o seu tipo. Professor de inglês apaixonado pelo que faz, ele cita Shakespeare e usa paletó de tweed. Por causa de uma antiga quedinha por Mac, fica atrapalhado na frente dela, sem saber bem como agir e o que falar. E mesmo assim ela não consegue resistir ao seu charme. Agora Carter está disposto a ganhar o coração de Mac e convencê-la de que ela é capaz de criar suas próprias lembranças felizes."
O livro começa contando sobre a infância de Mackensie Elliot (ou simplesmente Mac), de suas brincadeiras de casamento junto de suas melhores amigas: Parker, Laurel e Emma, além das participações especias de Del (o irmão de Parker), dois cachorros, três gatos e um coelho. Também é apresentada a situação do divorcio de seus pais e do seu interesse por tirar fotos.
"Mac apertou o botão.
Dessa vez tinha certeza de que a imagem não ia ficar desfocada, escura sem definição ou descolorida. Seu polegar não taparia a lente. Sabia exatamente como a foto ia ficar, sabia que a avó, no fim das contas, estava errada."
E, alguns anos mais tarde, vemos que Mac finalmente se transformou em uma fotografa profissional, e junto de suas amigas acabou abrindo a Votos, uma empresa de organização de casamento. Foi como um sonho de criança se tornando realidade, já a brincadeira preferida das quatro quando mais novas era de brincar de casamento quando tinham, aproximadamente, oito anos de idade. Mas apesar dos anos que se passaram algumas coisas permaneceram as mesmas: Mac não se da muito bem com sua mãe e constantemente acaba brigando com ela, continua apaixonada por fotografia e casamentos e não acredita na ideia de felizes para sempre (o divórcio de seus pais foi uma situação um tanto quanto traumática, fazendo com que ela acabasse desacreditando no amor).
"Ser feliz para sempre talvez fosse conversa afiada, mas ela sabia que queria tirar mais fotos de momento que fossem felizes. Porque, assim, eles permaneceriam para sempre."
Mas o que Mac não pode prever é que o professor de inglês Carter Maguire iria fazer com que ela repensasse em sua crença sobre o amor.

Quando mais novo Carter teve uma paixonite durante os anos de escola por Mackensie, mas naquela época ela mal sabia de sua existência. E devido uma tremenda sorte do destino eles se reencontraram novamente, e dessa vez Carter está determinado em conseguir sair junto de sua antiga paixão de escola. Contudo, para um homem tímido, desajeitado e sem muito jeito para lidar com mulheres, convidar Mac para sair acaba sendo um verdadeiro desafio para ele, mas aos poucos ele consegue conquistar o coração dela.
"Carter comprou flores. Ficou meio aborrecido, porque já tinha pensado em fazer isso antes. Mas todas aquelas instruções de Bob transformaram um gesto simples numa ação complexa e simbólica, tão repleta de dificuldades que a princípio resolveu ignorar essa etapa."  
Estando saindo junto de Mac, o seu novo desafio passa a ser: mostrar para ela o quão bom é, de que ela não precisa ter medo de entregar seu coração à alguém, além de tentar provar que o felizes para sempre existe.

Esse foi o primeiro livro que eu li da Nora e, como citei anteriormente, o resultado acabou sendo positivo, tanto é que eu resolvi continuar lendo a série. O vocabulário não é complexo, e a narrativa fluí de uma forma impressionante (pessoalmente eu li o livro em um dia). No geral, é um ótimo livro e vale à pena lê-lo.
  • Share

Tim Maia!

Sábado passado, eu fui ao cinema junto dos meus amigos com o intuito de assistir o "Interstelar", um filme anglo-americano de ficção científica dirigido por Christopher Nolan e estrelado por Matthew McConaughey, Anne Hathaway, Jessica Chastain, Bill Irwin, Ellen Burstyn e Michael Caine. Contudo, a sala estava muito lotada, então eu e a Marina escolhemos assistir o filme do Tim Maia já que o horário das duas sessões eram bem próximas. Essa escolha acabou desagradando o João Pedro (sorry not sorry), mas teve um efeito bem diferente em mim e na Marina que acabamos adorando o filme.

"Cinebiografia do cantor Tim Maia, baseado no livro "Vale Tudo - O Som e a Fúria de Tim Maia". O filme percorre cinquenta anos na vida do artista, desde sua infância no Rio de Janeiro até a sua morte, aos 55 anos de idade, incluindo a passagem pelos Estados Unidos, onde o cantor descobre novos estilos musicais e é preso por roubo e posse de drogas."
Como a sinopse acima já diz o filme conta sobre a vida de Tim Maia, mostrando desde o seu nascimento até a sua morte. Conta que seu interesse pela música que começou quando ele estava entregando as marmitas que sua mãe vendia, ele passou por uma loja de música, gostou do que escutou, entrou e roubou o disco (a família dele era pobre, o que o levou a roubar). Foi assim que ele começou a se interessar pela música.

É apresentada também a criação do seu grupo vocal os "The Sputniks" (o nome foi influenciado pelos noticiários dos vôos orbitais da sonda Sputnik. Considerada pelos seus criadores um conjunto moderno e, portanto tinha que ter um nome de acordo com a época, e nada melhor do que um nome estrangeiro; de um satélite espacial). O grupo era composto por Tim Maia (na época conhecido como Tião Maia), Roberto Carlos, Arlênio Lívio, Edson Trindade e Wellington Oliveira. Eles se apresentavam em um programa de televisão, podendo ser considerado como o início de sua caminhada até atingir o sucesso.

Depois disso têm os anos em que ele passou morando nos Estados Unidos, das confusões que ele acabou se metendo por lá. E na sua volta para o Brasil, vemos Tim se metendo em mais encrencas para juntar dinheiro para se mudar para São Paulo na tentativa de realizar seu grande sonho: se tornar um músico famoso. Ele acaba tendo um caminho bastante árduo pela frente e isso é retratado no filme, e durante essa longa jornada ele acaba conhecendo algumas pessoas que ele acaba estabelecendo uma forte conexão.

Nunca fui uma grande fã de filmes nacionais, mas esse foi um que me chamou a atenção antes mesmo de lançar. Tinha ido ver "O Candidato Honesto", com a minha família e quando passou o trailer do "Tim Maia", e nesse momento eu afirmei para os meus pais que eu iria assistir ao filme assim que ele lançasse. Por mais que acabe soando muito clichê, gosto de comparar essa sensação com a do amor à primeira vista. Quando alguém vê uma pessoa e logo diz "Eu amo fulano", e comigo acabou sendo "Eu tenho que ver esse filme". Pelo menos essa relação acabou fazendo algum sentindo na minha cabeça, então não posso culpar se ninguém me entender, mas se você  se identifica com essa minha lógica maluca não deixe de comentar.

Admito que não sou uma das grandes fãs do cantor, apenas conheço algumas músicas dele devido a influência da minha mãe. Mas após esse filme eu passei a gostar ainda mais dele e, principalmente de suas músicas. E só tenho de lamentar pela morte dele. No dia 15 de março, de 1998, o Brasil acabou perdendo um grande músico, compositor, um verdadeiro gênio. E apesar dos erros que ele cometeu, das pessoas que ele magoou, é impossível não ficar tocado quando é anunciada a morte dele.

Acho que todo mundo deveria tirar um tempinho (aproximadamente 2:30 horas, é bem longo) do seu dia para ir ao cinema mais perto de casa e assistir ao filme, não importa se você é fã dele ou não. Uma história de vida emocionante, e louca feito essa deveria ser conhecida por todos. E assim como todo filme brasileiro ele tem sua pitada de comédia, e um vocabulário bastante rico em palavrões, o que combina com Tim Maia, de certo modo, pois ele era conhecido por arranjar briga facilmente com as pessoas (é citado que ele tem aproximadamente 49 processos contra ele).

Curiosidades:
  • Baseado no livro "Vale Tudo - O Som e a Fúria de Tim Maia", de Nelson Motta.
  • Os atores Vladimir Brichta e Fernanda Torres foram convidados para atuar no longa-metragem, mas tiveram que recusar devido a compromissos profissionais já agendados.
Ficha Técnica:
  • Título: Tim Maia.
  • Gênero: Drama, Bografia. 
  • Direção: Mauro Lima.
  • Elenco: Babu Santana, Robson Nunes, Alinne Moraes, Cauã Reymond, Laila Zaid, Nando Cunha, George Sauma, Luis Lubianco. 
  • Duração: 2h20min.


  • Share

Filmes que eu quero ver!

Faz um bom tempo desde que eu não vou para o cinema junto dos meus amigos, mas com a chegada das férias o tempo livre aumenta, consequentemente pretendo ir mais ao cinema. E para não me perder nesses planos envolvendo filmes aqui vai uma listinha dos filmes que eu pretendo ver.

1- Simplesmente acontece (Love, Rosie) 
"Rosie (Lily Collins) e Alex (Sam Claflin) são amigos inseparáveis desde a infância, enfrenando juntos os problemas do primeiro amor, primeira relação sexual, primeiras decepções... Até o dia em que Alex se muda com a família para os estados Unidos. Como ficará o relacionamento dos dois?"

Esse filme foi inspirado no livro "Simplesmente Acontece" da Cecelia Ahern, você pode encontrar a resenha dele aqui no blog, e aqui o link do trailer no YouTube












2- A Teoria de Tudo (The Theory of Everything)
"Baseado na biografia de Stephen Hawking, o filme mostra como o jovem astrofísico (Eddie Redmayne) fez descobertas importantes sobre o tempo, além de retratar o seu romance com a aluna de Cambridge Jane Wide (Felicity Jones) e a descoberta de uma doença motora degenerativa, quando ele tinha apenas 21 anos."

Quando eu vi o trailer do filme me apaixonei pela história dele, e por se tratar de uma história real acho que tudo fica mais emocionante. Além disso, sou uma grande fã do Eddie (Redmine, Redmeu) Redmayne, portanto não poderia deixar de assistir. 















3- Jogos Vorazes: A Esperança Parte 1 (The Hunger Games - Mockingjay: Part 1)
"Após sobreviver por duas vezes aos Jogos Vorazes, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) servirá como símbolo de uma revolução iniciada no Distrito 13. Além de ter que manter sua imagem de ícone, a jovem ainda precisa se preocupar em defender sua mãe e sua irmã no meio da guerra."

Tudo indica que esse é um dos filmes mais esperados para o ano de 2014, além de um dos mais fodas. Ele estreia amanhã, então se você não garantiu seu ingresso é melhor correr para comprar e se garantir (eu já tenho o meu, não para o dia 19, mas acredito que nesses próximos dias todas as sessões vão estar lotadas). E enquanto o filme não lança aqui está o link do trailer para aumentar a ansiedade do povo!






  • Share

Resenha: Simplesmente Acontece

Título: Simplesmente Acontece
Autor(a): Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 448
Classificação: 3/5

Esse é um livro antigo (também conhecido pelo título de "Onde Terminam os Arco-Íris") que eu acabei descobrindo quando vi o trailer do filme "Love, Rosie". Como uma grande amante de filmes e livros e assim descobri que a história foi inspirada no romance da Cecelia Ahern. Assim que fiz questão de conseguir comprar o livro e apesar da demora para o adquirir finalmente consegui realizar o meu objetivo.

"Um encantador romance sobre dois amigos de infância com quem o destino parece brincar. De crianças travessas a adolescentes rebeldes, Rosie e Alex uniram-se como unha e carne, mas a família de Alex se muda e eles se separaram. A mágica conexão entre os dois acompanha os altos e baixos da vida de cada um, mas nenhum deles sabe se sua amizade conseguirá sobreviver à distância. Mal-entendidos, circunstâncias e a mais absoluta má sorte os mantiveram separados. Mas quando se virem diante da última oportunidade, apostarão tudo em nome do verdadeiro amor?"
O livro conta a história de Alex Stewart e Rosie Dunne, que são dois melhores amigos que se conheceram quando tinham apenas cinco anos e desde então acabam se tornando inseparáveis, sempre superando algumas brigas e obstáculos que aparecem na vida de ambos. Juntos eles acabam se metendo em grandes confusões juntos, além de bolarem planos para o futuro. Contudo, devido o emprego do pai de Alex, ele e sua família acabam tendo de se mudar de Dublin para Boston, Estados Unidos. Rosie até que tenta convencer o Sr. e a Sra. Stewart deixarem Alex em sua casa para que ele acabe o colégio, mas acaba não adiantando.

Mesmo vivendo em continentes diferentes os dois amigos se aproximaram ainda mais, ao invés de se afastarem. Fazendo com que eles passem a trocar cartas cheias de conteúdo um para o outro, e com maior frequência, apesar de que em algumas ocasiões ambos estão ocupados e acabam se atrasando com as correspondências. E assim, por meio de cartas, e-mails, mensagens de texto e algumas visitas surpresas que Alex e Rosie vão se mantendo próximos apresar dos anos que vão se passando, além da maldita distância que os separa.
"De: Rosie
Para: Alex:
Assunto: Fica comigo!
 Não vá! Minha mãe e meu pai disseram que você pode ficar aqui com a gente este ano! Termina os estudos aqui em Dublin e nós dois decidimos o que fazer depois! Por favor, fique! Vai ser tão legal nós dois aqui, morando juntos. Vai ser igual àquela época em que a gente  era criança e ficava um acordando o outro a noite inteira com aqueles walkie-talkies!..."
Quando eu vi o trailer do filme acabei me apaixonando por ele, e quando descobri sobre o livro automaticamente acabei me apaixonando. Reconheço que coloquei muitas expectativas em relação a ele, e acabei me decepcionando um pouco com o fato do livro acontecer somente por troca de bilhetinhos, cartas, e-mails... Estava imaginando algo totalmente diferente do que foi.

Mas o livro também tem os seus pontos positivos, adorei o fato da autora ter fortalecido a amizade entre a Rosie e o Alex depois da mudança dele, ela poderia muito bem ter afastado ambos e criado um reencontro vários anos mais tarde. Ao longo da leitura, muitas vezes, eu desejei ter um melhor amigo como o Alex Stewart, ele sempre fez questão de estar ao lado da Rosie, tanto fisicamente quando simbolicamente, durante os melhores e piores momentos da vida dela. Também acabei dando muitas risadas com algumas discussões estabelecidas entre os dois.
   




  • Share