Filmes para assistir durante o Carnaval

Diferente de algumas pessoas que gostam de comemorar o Carnaval fazendo a festa, eu prefiro algo muito mais calmo em minha casa. Só de estar junto fazendo algum programa interessante com a minha família, lendo algum livro ou vendo um filme já me sinto satisfeita.

E se você é uma dessas pessoas que não curte muito essa folia do Carnaval, assim como eu, e prefere ficar em casa quietinho no seu canto, lendo algum livro ou assistindo algum filme aqui vai a lista de filmes com algumas sugestões para você assistir:

1- A Minha Casa Caiu (De Mal a Pior, no Netflix)
"Meghan Miles (Elizabeth Banks) é uma repórter que sonha em assumir a função de âncora de um telejornal. E o sonho está prestes a ser realizado. Entretanto, uma louca e romântica noite lhe deixa vagando sozinha pelo centro de Los Angeles, sem telefone, identidade, carro ou dinheiro. Ela possui apenas oito horas para superar todos os problemas e comparecer à uma importante entrevista de emprego, que pode mudar sua vida."
2- Última Viagem a Vegas
"Billy (Michael Douglas), Paddy (Robert De Niro), Archie (Morgan Freeman) e Sam (Kevin Kline) são amigos desde a infância e hoje são senhores de idade. Quando Billy, o solteirão do grupo, decide enfim pedir em casamento sua namorada de trinta e poucos anos, ele e os amigos resolvem viajar até Las Vegas para reviver a juventude e curtir uma tremenda despedida de solteiro. O que eles não imaginavam é que a Las Vegas atual seria bem diferente da cidade que eles conheceram décadas atrás."
3- As Branquelas
"Os irmãos Marcus (Marlon Wayans) e Kevin Copeland (Shawn Wayans) são detetives do FBI que estão com problemas no trabalho. A última investigação da dupla foi um grande fracasso e eles estão sob a ameaça de serem demitidos. Quando um plano para sequestrar as mimadas irmãs Brittany (Maitland Ward) e Tiffany Wilson (Anne Dudek) é descoberto, o caso é entregue aos principais rivais dos irmãos Copeland, os agentes Vincent Gomez (Eddie Velez) e Jack Harper (Lochlyn Munro). Para aumentar ainda mais a humilhação da dupla, eles são escalados para escoltar as jovens mimadas do aeroporto até o local de um evento pelo qual elas esperaram por meses. Porém no trajeto um acidente de carro provoca um verdadeiro desastre: enquanto uma das irmãs arranha o nariz, a outra corta o lábio. Desesperadas, elas se recusam a ir ao evento. É quando,para salvar o emprego, Marcus e Kevin decidem por assumir as identidades das irmãs."
4- Orgulho e Preconceito
"Inglaterra, 1797. As cinco irmãs Bennet - Elizabeth (Keira Knightley), Jane (Rosamund Pike), Lydia (Jena Malone), Mary (Talulah Riley) e Kitty (Carey Mulligan) - foram criadas por uma mãe (Brenda Blethyn) que tinha fixação em lhes encontrar maridos que garantissem seu futuro. Porém Elizabeth deseja ter uma vida mais ampla do que apenas se dedicar ao marido, sendo apoiada pelo pai (Donald Sutherland). Quando o sr. Bingley (Simon Woods), um solteiro rico, passa a morar em uma mansão vizinha, as irmãs logo ficam agitadas. Jane logo parece que conquistará o coração do novo vizinho, enquanto que Elizabeth conhece o bonito e esnobe sr. Darcy (Matthew Macfadyen). Os encontros entre Elizabeth e Darcy passam a ser cada vez mais constantes, apesar deles sempre discutirem."
5- Sexo Sem Compromisso
"Adam (Ashton Kutcher) ainda sente o fato de ter sido chutado por Vanessa (Ophelia Lovibond), sua namorada por oito meses. Para piorar a situação, descobre que ela é a nova namorada de seu pai, Alvin (Kevin Kline), um astro da TV. Desejando esquecê-la e seguir em frente, ele fica bêbado e, em seguida, liga para todas as mulheres que tem no celular, no intuito de encontrar companhia. Quem responde o apelo é Emma (Natalie Portman), uma jovem médica com quem encontrou algumas vezes, anos atrás. Adam vai à casa dela e eles acabam transando. Como Emma não deseja ter um relacionamento sério, já que teme sofrer, propõe a Adam que se encontrem tendo o sexo como único objetivo. Ele topa mas, com o tempo, novos sentimentos florescem entre eles."
6- A Mentira
"Olive (Emma Stone) era aquele tipo de estudante cuja presença não era notada por ninguém, além de sua melhor amiga Rhiannon (Alyson Michalka). Quando ela a convida para passar um fim de semana acampando, Olive dá como desculpa que irá se encontrar com alguém. Na segunda seguinte Rhiannon lhe pergunta como foi o encontro e, para manter a história, Olive diz que perdeu a virgindade com ele. A notícia é ouvida por Marianne (Amanda Bynes), a crente da escola, que logo a espalha para os demais alunos. A situação altera o modo como as pessoas olham para Olive, o que faz com que ela se sinta dividida: ao mesmo tempo em que se sente mal por olharem para ela graças a uma mentira, ela gosta de enfim receber a atenção das pessoas. A situação potencializa ainda mais quando ela aceita a proposta feita por Brandon (Dan Byrd), seu amigo gay, de que finjam ter relações sexuais durante uma festa onde todos da escola estejam presentes. Desta forma Brandon passa a ser visto como heterossexual, deixando de ser perseguido, e Olive assume de vez a figura de vadia da escola. Só que ela não podia imaginar até onde sua fama iria levá-la."
7- Será Que?
"Wallace (Daniel Radcliffe) está sozinho há um ano, após terminar com a namorada depois de vê-la com outro homem. Encerrado o período de luto pelo fim do relacionamento, ele acredita que é hora de seguir em frente. Um dia, em uma festa organizada pelo melhor amigo Allan (Adam Driver), ele conhece Chantry (Zoe Kazan), a prima dele. Não demora muito para que o papo entre eles flua naturalmente e Wallace se ofereça para levá-la até em casa. Mas, ao chegar, ele descobre que Chantry tem um namorado, Ben (Rafe Spall), o que o desanima. Dias depois, Wallace e Chantry se reencontram por acaso e, após uma rápida conversa, decidem ser apenas amigos. A partir de então, eles andam juntos por tudo quanto é canto, apesar de Wallace nutrir um sentimento romântico por ela."
 8- Not Another Happy Ending
"Em Not Another Happy Ending traz a história de uma escritora, Jane Lockhart, que se encontra com um bloqueio de criatividade depois do sucesso do seu primeiro romance. Tom, o seu editor, pensa que o bloqueio se deve ao facto de Jane estar muito feliz e começa a irritar e destruir a vida da moça para conseguir o mais rápido possível o seu segundo livro, mas durante esse processo acaba se apaixonando por ela."
O que você achou dos filmes escolhidos? Não deixe de comentar a sua opinião sobre eles, e se você nunca assistiu algum que está listado tire um tempinho do seu dia, veja e depois comente aqui no blog o que você achou deles!
  • Share

Resenha: Contos da Seleção: O Príncipe & O Guarda















Título: Contos da Seleção: O Príncipe & O Guarda

Autor(a): Kiera Cass
Editora: Seguinte
Número de páginas: 264
Classificação: 5/5
Desde que a minha amiga Bea me apresentou os livros da Kiera Cass, me tornei uma grande fã da trilogia e somente depois de muito tempo que fui acabar adquirindo o livro "Contos da Seleção: O Príncipe & O Guarda" (presente da minha mãe durante a viagem de Curitiba/Gramado), e ele acabou caindo feito uma luva, de tão perfeitamente que o livro acabou servindo como uma grande forma de entretenimento para mim.

E ATENÇÃO: A leitura desse livro é recomendada para aqueles que já leram "A Seleção" e "A Elite", ou a trilogia inteira. Caso o contrário você vai ter problemas para se situar na história, e muito provavelmente vai acabar abandonando a leitura.
"Os dois contos que se passam no universo criado por Kiera Cass, autora da trilogia A Seleção, agora estão disponíveis em edição impressa. Em “O Príncipe e O Guarda”, o leitor pode acompanhar de perto os pensamentos e emoções dos dois homens que lutam pelo amor de America Singer. Antes de America chegar ao palácio, já havia outra garota na vida do príncipe Maxon. O conto O príncipe não só proporciona um vislumbre das reflexões de Maxon nos dias que antecedem a Seleção, como também revela mais um pouco sobre a família real e as dinâmicas internas do palácio. Descobrimos como era a vida do príncipe antes da competição, suas expectativas e inseguranças, assim como suas primeiras impressões quando as trinta e cinco garotas chegam. Para America, a vida antes da Seleção também era muito diferente. A começar pelo fato de que ela estava completamente apaixonada por um garoto chamado Aspen Leger. Criado como um Seis, ele nunca imaginou que acabaria se tornando membro da guarda do palácio. Em O guarda, acompanhamos Aspen a partir do momento que o grupo de trinta e cinco garotas da Seleção é reduzido para a Elite, conhecemos sua rotina dentro das paredes da casa da família real — e as verdades sobre esse mundo que America nunca chegou a conhecer. Leitura indispensável para os fãs de A Seleção, esta antologia inclui, ainda, um final estendido do conto O Príncipe; conteúdos extras exclusivos, como uma entrevista com a autora e dados inéditos sobre os personagens; além dos três primeiros capítulos de A escolha, o aguardado desfecho da trilogia, que será lançado em maio de 2014."
O primeiro conto que o livro aborda é "O Príncipe", que é narrado pelo ponto de vista do nosso amado príncipe Maxon. A história começa na véspera do aniversário de seu aniversário e vimos momentos como a pressão constante que ele vem sofrendo com a Seleção; sua amizade com a princesa Dhapne; o relacionamento dele com o seu pai: o Rei Clarkson; e o seu relacionamento com America que vai desde o momento em que eles se conheceram quando ela queria dar uma volta nos jardins e por pouco foi impedida pelos guardas do palácio, mas graças a presença de Maxon ele consegue a ajudar, e vai até o segundo encontro desastroso que eles acabaram tendo.
"Repreendi a mim mesmo mentalmente. Que previsível era eu ficar tão encantado pela primeira garota pela qual tinha autorização de nutrir algum sentimento."
Já em "O Guarda" que narra a história é o valente soldado Aspen Leger, que antes pertencia à Casta Seis. Nesse  conto descobrimos um bocado sobre o passado e outras questões que nunca foram reveladas nos três livros da trilogia (A Seleção, A Elite e A Escolha), tais como a sua relação com a sua família, num geral. Também conhecemos o ponto de vista dele sobre o início de seu relacionamento dele com a America, além dos encontros secretos que eles acabam tendo no castelo. Sem contar que também é apresentado a relação de Aspen com alguns de seus colegas de trabalho, e o quão dedicado ele pode ser  com o seu posto de guarda, principalmente, quando se trata de proteger a senhorita America.
"Quando faltavam palavras, nossos corpos falaram. Nada de beijos, apenas abraços silenciosos; eles eram tudo de que precisávamos. Senti tudo o que sentira em Carolina, e tive a certeza de que podíamos voltar a ser como antes. Talvez até mais."
Uma das melhores coisas de um livro de contos é que, muitas vezes, se tratam de livros pequenos que você pode ler rapidamente, mas não foi isso que eu mais gostei em "Contos da Seleção: O Príncipe & O Guarda". Para mim, a melhor parte desse livro foi poder conhecer tão profundamente dois personagens importantes como o Maxon e o Aspen, muitas coisas que eu nunca poderia imaginar apenas lendo os livros que são narrados pelo ponto de vista da America. Esse livro apenas serviu para aumentar o amor que eu sinto pelo Maxon, e fez com que eu passasse a gostar um pouco do Aspen.

Foi interessante saber que apesar de ser um príncipe, Maxon, assim como todas as pessoas do mundo possui os seus momentos de insegurança, principalmente se tratando do futuro: quando ele se tornar rei e a responsabilidade por governar Illéa da melhor forma possível, for sua. Sem contar com A Seleção, ter de escolher apenas uma garota entre trinco e cinco selecionadas é uma pressão e tanto, e lavando em conta seu histórico de relacionamento com garotas pode ser julgado como desastroso levando em conta a sua experiência com a Dhapne, uma pergunta que vive em sua cabeça é "Como vou saber que estou apaixonado?"

E o conto de "O Guarda" serviu para que eu começasse a me simpatizar um pouco com o Aspen, antes eu o condenava por ter terminado com a America, mas depois de ler esse conto, acabou ficando bem claro para mim o quão apaixonado ele é por ela, apesar de ainda ser TeamMaxon.

Recomendo esse livro para todas as pessoas que acompanham a trilogia, pois além de se tratar de uma leitura bastante rápida (li em menos de um dia), você conhece dois personagens de uma maneira mais profunda; contém uma entrevista com a Kiera Cass, os três primeiros capítulos de "A Escolha" e outras curiosidades bem interessantes, como a lista completa das selecionadas e playlists. Sem dúvida é como um arquivo de colecionador que as fãs da trilogia deveriam ler.





  • Share

Resenha: Bem-Casados


Título: Bem-Casados
Autor(a): Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 288
Classificação: 3/5

E aqui estou eu novamente resenhando mais um livro da Nora Roberts, o terceiro da série Quarteto de Noivas. Caso você se interesse por ler esse livro, essa é uma série em que não importa a ordem que você leia os livros, pois de qualquer modo você é capaz de compreender a história e o máximo que pode acontecer é você conseguir alguns spoilers (foi o que aconteceu comigo, já que eu resolvi ler "Bem-Casados" antes de "Mar de Rosas"). Mas caso você tenha o interesse de ler os livros anteriores da série, aqui estão as a resenhas feitas por mim: Álbum de Casamento e Mar de Rosas.
"Bem-casados, terceiro livro da série Quarteto de Noivas, é uma linda história sobre a doçura do amor. Quando terminar de lê-lo, você terá certeza de que os sonhos podem se realizar das formas mais inesperadas. Parker, Mac, Emma e Laurel, amigas de infância, ganham a vida realizando o sonho de inúmeros casais apaixonados. As quatro são proprietárias da Votos, uma empresa de organização de casamentos. Após ter trilhado um caminho muito duro para conseguir ser alguém na vida, Laurel McBane se tornou a criadora dos bolos e quitutes mais lindos e saborosos do estado. Ela preza sua independência acima de tudo e não aceita que ninguém interfira em suas decisões. Talvez por isso, apesar do sucesso profissional, ainda não tenha se entregado ao amor. Apaixonada desde sempre por Delaney Brown, irmão de Parker, ela nunca teve coragem de revelar seus sentimentos. Afinal, sabe que é como uma irmã para ele. Advogado da Votos, Del se sente responsável por cuidar não só dos assuntos burocráticos da empresa, mas também do bem-estar das quatro sócias. Porém, sua postura paternalista e superprotetora começa a gerar desentendimentos entre ele e Laurel. Mas essas diferenças de opinião também fazem ferver uma química que vinha cozinhando em fogo brando havia muito tempo, acendendo uma faísca que eles não sabem se conseguirão – ou se querem – conter. Agora Laurel e Del precisarão conciliar suas convicções e personalidades para que o orgulho não fale mais alto que a paixão."
Em cada um dos livros o foco é a vida de uma das quatro integrantes da Votos (uma empresa bem sucedida que organiza casamento), e em "Bem-Casados" chega a hora de conhecer um pouco mais sobre a vida de Laurel McBane, a confeiteira extremamente talentosa das Votos.

Diferentemente de Parker que nasceu em um verdadeiro berço de ouro; ou da família bem unida que Emma possui; Laurel não nasceu em uma família importante e durante a sua infância precisou lidar com problemas familiares, e quando mais velha precisou batalhar para chegar aonde chegou (recebendo apenas uma ajuda da Sra. Grady, a governanta da família dos Brown que financiou o estudo dela de gastronomia em New York), se tornando uma grande chef de cozinha (principalmente se tratando dos doces, que é sua especialidade, praticamente).

De todas as quatro amigas Laurel é a que possui um dos gênios mais forte (talvez seja devido os problemas familiares que precisou  enfrentar, além de ter batalhado desde cedo na vida para conseguir alcançar o que ela tanto desejava), ela é uma mulher independente, bastante pé no chão, sabe reconhecer qual é o seu lugar no mundo e pode-se dizer que é uma pessoa confiante, principalmente quando se trata de seu trabalho. O seu único ponto fraco pode ser resumido em apenas duas palavras: Delaney Brown, o irmão de Parker, que também é um advogado que curta da parte burocrática da Votos.
"Ela sempre havia sido durona... Durona, forte, e não tinha medo de quase nada. A maioria das mulheres teria gritado, não teria? Mas não Laurel ela lutava. Se a empurrassem, ela empurrava de volta. Com mais força."
Desde pequeno Del sempre esteve presente na vida da irmã, e consequentemente acabou se aproximando bastante das amigas dela: Mac, Emma e Laurel, e com o tempo ele passou a considerá-las praticamente como suas irmãs o que justifica o fato de ser super protetor quando o assunto se trata delas. Porém, um desejo antigo acaba vindo a tona depois de algumas taças de vinho e pode mudar completamente a relação entre Del e Laurel.

Um beijo foi o que aconteceu entre eles. Um beijo nada fácil de ser esquecido, e muito menos fingir que ele nunca aconteceu. Com isso em mente Del e Parker acabam fazendo um acordo de que vão namorar, e sexo apenas um mês depois de estarem juntos, pois nesse meio tempo eles têm a oportunidade de se conhecerem ainda mais profundamente. Essa história acaba  gerando várias apostas entre seus amigos, alguns a favor deles e outros contra. E como era de se esperar a atração entre eles é tão grande que esperar um mês chega a ser algo bastante impossível.    
"Agarrou-o pelo nó perfeito da elegante gravata e o puxou para baixo enquanto lhe segurava os cabelos e o trazia para frente. Em seguida, colou a boca à dele em um beijo ardente e frustrado que fez seu coração saltar no peito enquanto sua mente sussurrava: eu sabia!" 
Nem sempre uma amizade que vira namoro acaba funcionando, e Del e Laurel vão precisar se esforçar para o relacionamento deles acabar dando certo. Enquanto ele é super protetor e é capaz de fazer tudo para Laurel, ela por sua vez pode ser considerada como uma pessoa bem cabeça dura e que não abre a mão de sua independência por nada.
"— Eu a amei durante toda a vida, e isso foi fácil. Não sei, não com certeza, há quanto tempo estou apaixonado por você, mas sei que isso não é tão fácil. Mas é certo e é real, e não quero que seja fácil. Quero você."
De todos os livros que eu já li da série esse é o que eu menos gostei, até agora. Talvez seja pelo fato de que não gostei muito da personalidade forte e extremamente independente (forte ao ponto dela não se sentir confortável com o Del pagando a conta do restaurante) da Laurel, acabei ficando com a impressão que de todas as amigas ela era a mais "mal humorada". Sei que esse comportamento dela pode ser justificado pelo passado complicado, os problemas que já precisou enfrentar ao longo da vida, mas ainda sim essa personalidade dela não acabou me conquistando, talvez se ela fosse um pouco mais divertida ou espontânea. Porém, o livro também apresentou algumas partes interessantes como às apostas feitas em relação a Del e Laurel, eu me diverti lendo a opinião de cada um dos amigos; e o "barraco" entre Laurel e Linda (a mãe de Mac). Sem contar que é muito bom rever alguns personagens antigos, e acompanhar um pouco mais do avanço da Votos e do relacionamento entre Mac e Carter, e Emma e Jack.

Assim como os demais livros da série "Bem-Casados" possui um final bastante previsível, e apesar de alguns pontos negativos ainda sim é uma boa leitura. A escrita da Nora Roberts é simples e flui com uma grande facilidade, tanto é que não demorei muitos dias para terminar de lê-lo. E esse livro é recomendável para as fãs de romance, por mais que não se trate do casal mais romântico de toda a série eles têm sim química e muita atração, e combinam muito bem apesar de terem personalidades muito fortes e que às vezes batem de frente.

  • Share

Resenha: A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista


Título: A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista
Autor(a): Jennifer E. Smith
Editora: Galera Record
Número de páginas: 224
Classificação: 4/5

Lembro que vi em vários blogs a resenha desse livro, e a coisa que mais me chamou atenção foi a capa bem colorida com cores fortes que me chamaram a minha atenção, e logo depois o título de me deixou bastante curiosa para saber sobre o que se tratava a história desse dia. Foi então que eu decidi que queria ler esse livro. Ele entrou na minha lista de Natal e depois de duas idas na leitura consegui achá-lo (já estava perdendo as minhas esperanças de encontrar "A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista"). E no fim o livro acabou sendo uma ótima distração durante uma viagem de avião.
"Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia."
Hadley é uma jovem nova-iorquina de 17 anos que vive junto de sua mãe está indo contra sua vontade para Londres, onde é esperada para participar do segundo casamento de seu pai com uma mulher que ela nunca viu em sua vida. Essa situação como um todo parece ser o fim do mundo para a garota, afinal de contas, ao seu ver o seu pai abandonou a sua família para viver um romance com uma outra mulher. Mas por uma grande ironia do destino a sua vida toma um rumo completamente diferente: devido a 4 minutos Hadley perde o voo e é obrigada a ficar no aeroporto por mais três horas para conseguir pegar o próximo avião.
"Ela estava quatro minutos atrasada, o que não parece ser muito. É o tempo de um comercial, de um intervalo entre as aulas, de descongelar um prato no micro-ondas. Quatro minutos não é nada. (...) Hadley não acredita em coisas como o acaso ou destino, mas também jamais acreditou na pontualidade das companhias aéreas. ''
Só de pensar que tem de ficar mais três horas sentada no aeroporto apenas esperando deixa Hadley desanimada, sem contar que ainda precisa contar para seu pai sobre a pequena mudança nos planos. E para piorar a situação ela começa a achar que está sendo seguida por um garoto: Oliver, um  encantador britânico que estuda em New York e, aparentemente um grande fã das obras de Charles Dickens. No início Hadley fica irritada com ele a seguindo de um canto para o outro, mas depois acaba cedendo e se diverte conversando e comendo junto de Oliver. Na companhia dele as horas parecem passar muito mais rápido.

O que era apenas para ser uma conversa rápida acaba se estendendo, pois devido uma grande coincidência do destino ambos estão indo para Londres e seus lugares são na mesma fileira, e devido uma gentil senhora eles conseguiram sentar-se um ao lado do outro, o que rendeu boas horas de conversas. Hadley contou para ele sobre o seu drama familiar, o que iria fazer em Londres e alguns outros fatos de sua infância, e Oliver também contou um pouco sobre a sua família, além de escutar atentamente o que Hadley contava e dando alguns "conselhos" às vezes. Mesmo se conhecendo por poucas horas conversaram sobre assuntos profundo como amor (compartilhando alguma de suas experiências amorosas) e sobre se apaixonar, era como se eles se conhecessem a muito mais tempo.
''Talvez seja o sotaque ou a maneira interessada como a olha, mas tem alguma coisa nele que faz com que seu coração acelere, que nem quando leva um susto. Talvez seja isso: a situação toda é muito surpreendente. Ficou tanto tempo preocupada com a viagem que não estava preparada para que alguma coisa acontecesse, alguma coisa inesperada.''
Porém, tudo o que é bom dura pouco e quando eles chegam no destino final Hadley apenas fica com um beijo em suas lembranças, e com algumas informações básicas sobre Oliver, mas procurar por ele em Londres seria a mesma coisa que procurar uma agulha no palheiro. Ela segue o seu caminho: enfrenta o "temido" casamento e, no final percebe que apesar de seu pai estar casado com outra mulher e morar em outro continente ele nunca vai deixar de ser o seu pai, e até que sua nova madrasta não é uma mulher tão detestável como ela imaginava. E Oliver também segue o seu destino, indo participar de um compromisso familiar.

Será que é possível que eles se encontrem novamente? Ou o encontro dos dois na sala de embarque e no avião foi apenas uma coincidência?
"— As pessoas que se encontram em aeroportos têm 72 por cento de chance de se apaixonarem que as pessoas que se encontram em outros lugares."
Esse é um típico romance com um final bem previsível, um clichê. Mas como algumas pessoas gostam de dizer "se os clichês não fossem bons eles jamais existiriam". O livro é bem pequeno narrando apenas uma história que se passa em um final de semana, contando apenas com alguns flashbacks da vida de Hadley. A leitura flui com extrema facilidade e é narrado na terceira pessoa.

Uma coisa que eu achei interessante foi a importância que a autora deu para 4 minutos. Normalmente, para uma pessoa esse tempo é desprezível e não é capaz de mudar nada na vida de alguém, mas Jennifer E. Smith mostra sim que 4 minutos podem mudar completamente o destino; a vida de uma pessoa.

Já o ponto negativo de Hadley era o drama que ela fazia em relação ao novo casamento de seu pai. Por mais que uma situação como essa não seja fácil de encarar, ela lida com isso de uma forma infantil para alguém de 17 anos. Por mais que no início da separação ela tenha agido de forma bastante madura para ajudar sua mãe, em relação ao casamento ela age como se fosse uma criança sendo capaz de magoar algumas pessoas. Pelo menos, no final do livro ela percebe que estava agindo de maneira bem infantil em relação ao seu pai, ao novo casamento dele e sua madrasta.

Recomendo esse livro para as pessoas que são fãs de romances ou que apenas estão buscando um livro bom, divertido e rápido de se ler "A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista" é uma boa escolha!

  • Share