O DICAPRIO É BAILE DE FAVELA

Já é um conhecimento geral, praticamente, para todas as pessoas sobre a longa história do Leonardo DiCaprio e o Oscar. Foram quatro ocasiões que o ator foi indicado ao prêmio, mas infelizmente não conseguiu ganhar o prestigiado prêmio do cinema. De certa forma isso sensibilizou os internautas de modo que começaram a surgir variadas piadas e memes falando sobre o Leo e o Oscar que ele não ganhou, até mesmo foi criado um mutirão no facebook a partir de eventos como o "Doe seu pingente de Ouro pra fazer um Oscar pro Leonardo DiCaprio"

Porém, a sorte do ator mudou no domingo (28), que depois de muitos anos e indicações ele finalmente levou o tão esperado prêmio para casa! Sendo assim, resolvi fazer esse post como uma forma de comemorar esse acontecimento tão esperado. Aqui, pretendo reunir todos os filmes em que Leo recebeu a indicação do Oscar, e ainda com o acréscimo dos meus dois filmes favoritos que tem ele no elenco: Titanic e O Grande Gatsby! 
1) GILBERT GRAPE - APRENDIZ DE SONHADOR (INDICADO EM 1994)
Endora, Estados Unidos. Gilbert Grape (Johnny Depp) é um adolescente que, desde a morte do pai, é o responsável por sustentar a família. Sua mãe Bonnie (Darlene Cates) sofre de obesidade mórbida desde que entrou em depressão, após o suicídio do marido, o que faz com que o caçula Arnie (Leonardo DiCaprio) fique sob os cuidados de Grape. Há ainda duas irmãs, Amy (Laura Harrington) e Ellen (Mary Kate Schellhardt), que estão sempre ocupadas na cozinha. A vida em família é repleta de carinho e proteção, apesar das dificuldades enfrentadas. Até que Grape se apaixona por Betty (Mary Steenburgen), uma dona de casa casada.

 2) O AVIADOR (INDICADO EM 2005)
Howard Hughes (Leonardo DiCaprio) ficou milionário já aos 18 anos, devido à herança que seu pai, um inventor texano, deixou para ele. Pouco depois se mudou para Los Angeles, onde passou a investir na indústria do cinema. Hughes ajudou a carreira de vários astros, como Jean Harlow (Gwen Stefani), e ainda trabalhou em filmes de grande sucesso, como "Hell's Angels", que dirigiu. Paralelamente se dedicou a uma de suas maiores paixões, a aviação, e se envolveu com as atrizes Katharine Hepburn (Cate Blanchett) e Ava Gardner (Kate Beckinsale).
 3) DIAMANTE DE SANGUE (INDICADO EM 2007)
Serra Leoa, final da década de 90. O país está em plena guerra civil, com conflitos constantes entre o governo e a Força Unida Revolucionária (FUR). Quando uma tropa da FUR invade uma aldeia da etnia Mende, o pescador Solomon Vandy (Djimon Hounsou) é separado de sua família, que consegue fugir. Solomon é levado a um campo de mineração de diamantes, onde é obrigado a trabalhar. Lá ele encontra um diamante cor-de-rosa, que tem cerca de 100 quilates. Solomon consegue escondê-lo em um pedaço de pano e o enterra, mas é descoberto por um integrante da FUR. Neste exato momento ocorre um ataque do governo, que faz com que Solomon e vários dos presentes sejam presos. Ao chegar na cadeia lá está Danny Archer (Leonardo DiCaprio), um ex-mercenário nascido no Zimbábue que se dedica a contrabandear diamantes para a Libéria, de onde são vendidos a grandes corporações. Danny ouve um integrante da FUR acusar Solomon de ter escondido o diamante e se interessa pela história. Ao deixar a prisão Danny faz com que Solomon também saia, propondo-lhe um trato: que ele mostre onde o diamante está escondido, em troca de ajuda para que possa encontrar sua família. Solomon não acredita em Danny mas, sem saída, aceita o acordo.

 4) O LOBO DE WALL STREET (INDICADO EM 2014)
Durante seis meses, Jordan Belfort (Leonardo DiCaprio) trabalhou duro em uma corretora de Wall Street, seguindo os ensinamentos de seu mentor Mark Hanna (Matthew McConaughey). Quando finalmente consegue ser contratado como corretor da firma, acontece o Black Monday, que faz com que as bolsas de vários países caiam repentinamente. Sem emprego e bastante ambicioso, ele acaba trabalhando para uma empresa de fundo de quintal que lida com papéis de baixo valor, que não estão na bolsa de valores. É lá que Belfort tem a ideia de montar uma empresa focada neste tipo de negócio, cujas vendas são de valores mais baixos mas, em compensação, o retorno para o corretor é bem mais vantajoso. Ao lado de Donnie (Jonah Hill) e outros amigos dos velhos tempos, ele cria a Stratton Oakmont, uma empresa que faz com que todos enriqueçam rapidamente e, também, levem uma vida dedicada ao prazer.
 5) O REGRESSO (VENCEU 2016)
1822. Hugh Glass (Leonardo DiCaprio) parte para o oeste americano disposto a ganhar dinheiro caçando. Atacado por um urso, fica seriamente ferido e é abandonado à própria sorte pelo parceiro John Fitzgerald (Tom Hardy), que ainda rouba seus pertences. Entretanto, mesmo com toda adversidade, Glass consegue sobreviver e inicia uma árdua jornada em busca de vingança.
 6) TITANIC (FAVORITO)
Jack Dawson (Leonardo DiCaprio) é um jovem aventureiro que, na mesa de jogo, ganha uma passagem para a primeira viagem do transatlântico Titanic. Trata-se de um luxuoso e imponente navio, anunciado na época como inafundável, que parte para os Estados Unidos. Nele está também Rose DeWitt Bukater (Kate Winslet), a jovem noiva de Caledon Hockley (Billy Zane). Rose está descontente com sua vida, já que sente-se sufocada pelos costumes da elite e não ama Caledon. Entretanto, ela precisa se casar com ele para manter o bom nome da família, que está falida. Um dia, desesperada, Rose ameaça se atirar do Titanic, mas Jack consegue demovê-la da ideia. Pelo ato ele é convidado a jantar na primeira classe, onde começa a se tornar mais próximo de Rose. Logo eles se apaixonam, despertando a fúria de Caledon. A situação fica ainda mais complicada quando o Titanic se choca com um iceberg, provocando algo que ninguém imaginava ser possível: o naufrágio do navio.

7) O GRANDE GATSBY (FAVORITO)
Nick Carraway (Tobey Maguire) tinha um grande fascínio por seu vizinho, o misterioso Jay Gatsby (Leonardo DiCaprio). Após ser convidado pelo milionário para uma festa incrível, o relacionamento de ambos torna-se uma forte amizade. Quando Nick descobre que seu amigo tem uma antiga paixão por sua prima Daisy Buchanan (Carey Mulligan), ele resolve reaproximar os dois, esquecendo o fato dela ser casada com seu velho amigo dos tempos de faculdade, o também endinheirado Tom Buchanan (Joel Edgerton). Agora, o conflito está armado e as consequências serão trágicas.

Se você já viu alguns desses filmes que eu citei ou tem vontade de assistir, não deixe de comentar a sua opinião aqui no blog!
  • Share

We keep this love in a photograph

Como eu tinha avisado aqui no blog no final de Janeiro eu fiz uma viagem de navio — o Costa Fascinosa, ele passou pelo Rio de Janeiro, Búzios, Ilhabela, Montevidéu, Buenos Aires e Angra dos Reis. E quase um mês após essa viagem aqui estou eu para começar a fazer uma série de posts aqui no blog para contar como foi, achei melhor do que fazer um único post falando sobre tudo.

Sempre gostei de fotografias, o fato de elas capturarem em uma imagem algum momento importante de sua vida, ou simplesmente uma paisagem muito bonita. E para começar com a série de posts sobre a viagem, eu resolvi fazer um focando nas minhas fotos preferidas que acabei tirando ao longo dos nove dias em que passei fora. Não se trata de algo muito profissional, pois no momento a fotografia é apenas um hobbie que eu tenho e eu consigo me virar utilizando apenas a câmera do meu celular.
 Se você gostou de uma das fotos, ou se achou interessante essa minha ideia de fazer um post contendo apenas fotos não deixe de comentar aqui no blog, afinal de contas a opinião de cada um é importante para mim!
  • Share

Sete meses

Imagem do We Heart It
A garota batia seus dedos levemente na mesa de madeira onde ficava o computador, enquanto ficava olhando fixamente para a tela apenas esperando para que ele a mandasse uma mensagem. Já estava ficando impaciente com aquela situação, depois de terem tido uma conversa agradável dias anteriores ainda não havia nenhum sinal dele. Aquilo era simplesmente angustiante, e para piorar a situação tinha recebido o conselho de suas amigas de que deveria esperar pelo garoto dar o primeiro passo.

Mas que grande bobagem.

Tinham se dado tão bem quando haviam se conhecido e agora tinha que esperar um tempo para iniciar uma simples conversa? Simplesmente aquilo não fazia nenhum sentido na cabeça da garota, afinal de contas não havia nenhum motivo de privar duas pessoas de conversarem, ainda mais se tratando de duas pessoas que tinham interesses em comum e que já haviam conversado cara a cara em uma situação anterior. Não fazia nenhum sentido esperar, sem contar que a jovem não queria esperar. Ela ansiava tanto por uma mensagem que encarava a tela do computador com certa fixação, como se a qualquer momento pudesse receber algo em um pequeno momento de distração e ela queria estar presente caso recebesse uma mensagem, queria responder o mais rápido o possível e conversar com quele garoto que tinha se mostrado ser tão interessante nas últimas vezes em que o vira.

Estava até disposta a deixar sua tremenda timidez de lado, pois sabia muito bem que não podia perder aquela oportunidade de o conhecer melhor e não queria que nada atrapalhasse. Algo em seu coração — por mais que soasse como um verdadeiro clichê — dizia que aquele rapaz não era como os outros que ela havia conhecido anteriormente, algo nele era diferente dos outros e ela queria ter a chance de descobrir se sua intuição realmente certa. Precisava tentar descobrir se ele realmente era legal e interessante como tinha aparentado ser em outras ocasiões, e por mais que odiasse admitir em voz alta, naquele momento, ela precisava desesperadamente daquela conversa.

Sua ansiedade era tanta que estava odiando a posição em que se encontrava, se ao menos tivesse coragem o suficiente para mandar um "oi", ou para ignorar as opiniões ao seu redor de pessoas que a mandavam esperar. Ela já estava cansada de toda aquela espera, e até mesmo um pouco do palpite dos outros apesar de que sabia que eles apenas falavam aquilo na tentativa de ajudar e que estavam pensando apenas no meu melhor.

Já estava quase no seu horário de dormir quando a jovem olhou novamente para a tela do seu computador com a esperança de ter recebido uma notificação no Facebook, mas como era de se esperar nada tinha acontecido como era de se esperar. Qualquer outra pessoa em seu lugar provavelmente teria desligado o computador, afinal de contas não valia a pena perder horas de sono a espera de algo acontecer. Contudo, a obstinação da menina era tão grande que ela resolveu enrolar um pouco antes de ir dormir. Apenas cinco minutos, aquele era o tempo que iria ficar no seu computador esperando por uma mensagem, afinal de contas cinco minutos pode ser um tempo suficiente para mudar uma vida inteira e quem sabe alguma mudança poderia acontecer na vida da garota.

O que estava prestes a acontecer poderia ser chamado de sorte por alguns, ajuda de forças mística por outros, ou simplesmente destino. A mensagem que tanto estava esperando finalmente havia chegado, foi um cumprimento como qualquer outro que já tinha recebido, mas a espera tinha valido a pena e por isso foi quase inevitável sorrir de felicidade. Naquele momento, tudo o que estava desejando se concretizou com uma mensagem no Facebook. E durante a conversa ingênua que tiveram a garota nem imaginava que em tão pouco tempo aquele rapaz iria se tornar muito importante para ela, alguém que viria a proporcionar momentos de alegria, risada e até mesmo um pouco de choro. Alguém com quem ela iria viver uma história única. Alguém que continuaria ao seu lado durante sete meses. 
  • Share

Resenha: Ligue os Pontos — Poemas de Amor e Big Bang

Título: Ligue os Pontos — Poemas de Amor e Big Bang
Autor(a): Gregorio Duvivier
Editora: Companhia das letras
Número de páginas: 88
Classificação: 5/5

Para quem acompanha o blog há algum tempo já não deve ser nenhuma novidade ver mais uma resenha de um livro do Gregorio, afinal de contas sempre acabo deixando bastante evidente que sou uma grande fã dele e de seu trabalho. Eu o considero como um grande escritor, sendo assim resolvi me aventurar nos livros de poema dele apesar de eu não ser muito fã de poesias.  "Ligue os Pontos — Poemas de Amor e Big Bang" não é somente especial por se tratar de uma obra de um dos meus autores favoritos, ou por ser um livro que me obrigou a sair da minha zona de conforto, esse livro tem um significado especial para mim, pois foi um presente de uma pessoa muito especial na minha vida — Arthur, obrigada por viver me surpreendendo. Meus dias não seriam os mesmos sem você. Até hoje eu não sei como essa pessoa conseguiu achar um exemplar desse livro, afinal de contas passei mais de dois meses procurando por ele e não tive nenhum resultado! Suspeito que ele tenha usado Magia das Trevas ou quem sabe ele foi para o Dark Side... mas independente de qual tenha sido a maneira que ele arranjou esse livro, a única coisa que importa no momento é que eu vou escrever uma resenha dele!
"Com mais de 400 milhões de visualizações em pouco mais de um ano, os vídeos do coletivo Porta dos Fundos transformaram a maneira de fazer rir no Brasil. Um dos maiores responsáveis por esse sucesso é sem dúvida o ator e roteirista Gregorio Duvivier, que tem revelado grande habilidade em transformar a tragicomédia da vida contemporânea numa provocativa salada de gags que misturam absurdo e realidade. Ligue os pontos mostra que, para além da prosa humorística, o tratamento lúdico das palavras pode render poesia de qualidade. Refinada no curso de Letras da PUC-Rio - e elogiada por autoridades como Millôr Fernandes, Paulo Henriques Britto e Ferreira Gullar -, a escrita poética de Duvivier tem foco na importância descomunal dos momentos insignificantes do cotidiano. Flashes pungentes e irônicos da adolescência - o autor é um expoente da 'geração do bug do milênio' -, o mistério da criação, as palavras e suas relações inusitadas, a experiência do amor vivido enfim como gente grande, a transitoriedade de tudo - tendo a geografia sentimental do Rio de Janeiro como pano de fundo, a constelação de poemas de 'Ligue os Pontos' revela uma dicção marcadamente individual, que flerta, contudo, com o melhor da tradição carioca nonchalante, e extrai do dia a dia compartilhado imagens de desconcertante beleza."
O livro é dividido em duas partes: Cartografia afetiva e Aprender a gostar muito. A primeira parte reúne uma coletânea de poesias que apresentam como tema central o Rio de Janeiro, nesses poemas o Gregorio fala de algumas de suas lembranças que viveu na cidade. São textos mais objetivos — se comparados com os poemas da segunda parte — e observadores, abordando diversos lugares da Cidade Maravilhosa: as avenidas famosas, bairros e cartões-postais. Também faz brincadeiras envolvendo alguns pontos turísticos, como Copacabana e Urca.

Já a segunda parte os poemas são mais subjetivos com um tom mais reflexivo e sensível, Gregorio fala sobre o amor, a vida e o universo. Ele faz pequenas declarações de amor, trocadilhos com as palavras e questionamento sobre o mundo.
"enquanto você dormia liguei
os pontos sardentos das suas
costas na esperança de que
a caneta esferográfica revelasse
a imagem de algum ser mitológico
de nome proparoxítono o mapa
detalhado de algum tesouro
submerso formasse quem sabe
alguma constelação ruiva oculta
na epiderme e me deparei
com o contorno de um polígono
arbitrário que não me fornecia
metáforas não apontava direções
simplesmente dizia: você está aqui"
Por se tratar de um livro pequeno a leitura dele é extremamente rápida e fácil, mas ao mesmo tempo se trata de uma obra que deve ser apreciada cuidadosamente por apresentar algumas reflexões, afinal de contas por se tratar de um texto do Duvivier sempre têm aquela piadinha básica ou uma pequena crítica, artimanhas que já se tornaram marcas registradas de suas obras.

Eu me surpreendi com a leitura de "Ligue os Pontos — Poemas de Amor e Big Bang", não esperava gostar dele o tanto que gostei. Os poemas desse livro são corriqueiros, falam sobre os assuntos do cotidiano de uma maneira totalmente sensível. São poemas bem diferentes dos que eu costumava a ler nas aulas de Literatura — nada contra os outros poetas —, eles não tem a linguagem extremamente rebuscada e não obedece a ordem das rimas. Esse é um livro que eu li e reli várias vezes e até hoje não me cansei, pois se trata de uma atividade bem gostosa.

Para as pessoas que gostam de poemas esse é um livro que não deve faltar na estante, e até mesmo as pessoas que não gostam tanto assim de poemas (como eu) deveriam sair um pouco da zona de conforto e experimentar algo novo, afinal de contas se trata de uma leitura fácil, rápida e extremamente prazerosa. Então, se você já leu o livro não deixe de comentar aqui no blog o que você achou dele, e se você ficou interessado em ler também não deixe de comentar!
  • Share

Um dos melhores filmes do ano: Deadpool

Já comecei muito bem o ano de 2016 ao conseguir ver um dos filmes que estava na minha lista dos lançamentos que eu quero assistir, agora é torcer para que eu consiga ver os oito restantes e cumprir essa minha meta! Mas voltando ao ponto central desse post, Deadpool foi um filme tão incrível, um dos melhores do ano para mim, que eu não poderia deixar de escrever sobre ele no meu blog ou enrolar para fazer isso.
 "Baseado no anti-herói não convencional da Marvel Comics, Deadpool conta a história da origem do ex-agente das Forças Especiais que se tornou o mercenário Wade Wilson. Depois de ser submetido a um desonesto experimento que o deixa com poderes de cura acelerada, Wade adota o alter ego de Deadpool. Armado com suas novas habilidades e um senso de humor negro e distorcido, Deadpool persegue o homem que quase destruiu sua vida."
Wade Wilson é um verdadeiro mercenário que mata pessoas por dinheiro, leva uma vida solitária, mas nada que chegue ao ponto de o incomodar. Ele está satisfeito da maneira que as coisas vão indo, e para melhorar ainda mais a situação ele consegue encontrar o amor verdadeiro em Vanessa, uma mulher bonita e sensual, que aceita o emprego politicamente incorreto dele e que tem uma loucura bastante parecida com a dele. Por mais que soe clichê os dois se complementam, mas como a vida é incerta e cheia de altos e baixos era somente uma questão de tempo até ela passar uma rasteira em Wade, justo quando tudo parecia estar dando certo ele descobre que está com câncer — el cáncer — em um estado bem avançado.

O ruim do el cáncer não é o que ele faz com você, e sim com as pessoas ao seu redor. De tal modo Wade sai em busca de sua única chance de se curar que é através de uma intervenção proibida pelo governo. Em tese tudo parece bem simples, é preciso somente que ele se aliste no tratamento clandestino que catalisa os genes humanos, elevando-os até que ocorra uma mutação no DNA. A parte complicada é que até ocorra uma mutação nos genes, Wade acaba sofrendo diversas torturas bastante dolorosas até finalmente fazer com que a mutação ocorra.

Quando a transformação ocorre Wade Wilson não se curou apenas do el cáncer, e sim do el tudo. Porém, junto das suas habilidades ele percebe sua aparência um tanto quanto monstruosa o que o deixa revoltado, e assim se inicia a missão para encontrar Francis, o homem responsável por tudo aquilo. Jurando conseguir recuperar sua antiga vida, Wade enfim se torna o Deadpool.
Como era de se esperar de qualquer filme de ação, Deadpool está recheado de mortes e cenas de luta bastante dolorosas, sangue para todo lado e tripas espalhas. Também há um vocabulário extremamente rico em palavrões e várias cenas de sexo, apesar de não serem bem explicitas. Sendo assim, a classificação de +16 anos fez jus ao filme.

Diferente de outros filmes de super-heróis, nesse filme logo no começo o Deadpool faz questão de explicar que ele não é um herói. Ele não é um cara bonzinho que coloca uma roupa especial e sai correndo atrás dos bandidos, e salvando as pessoas da cidade trazendo paz para o local. Ele se descreve como um anti-herói, alguém meio desonesto, tagarela e extremamente brincalhão. Ele não possui a ganância de salvar o mundo, e sim a de matar o homem que o transformou — apesar de que no modo geral ele não parece apresentar nenhum problema ou receio em matar as pessoas, de um modo geral.

O filme está recheado de piadas, algumas de cunho nerd e outras com um conteúdo meio nerd, fazendo referência ao Lanterna Verde — filme que Ryan Reynolds também estrelou — e a franquia de Star Wars. Até mesmo é feita uma piada sobre o próprio Ryan Reynolds! Fazia muito tempo que eu não me divertia e ria tanto vendo um filme, e na sala de cinema todos riam em algum momento de piada ou com alguma gracinha que o personagem Wade Wilson/Deadpool acabava fazendo. E mesmo sendo um filme com um foco maior voltado para a ação, ele conseguiu ser muito mais engraçado do que alguns de comédia que existem por ai.  

Da mesma maneira que Robert Downey Jr. nasceu para interpretar o Homem de Ferro, Ryan Reynolds nasceu para interpretar o Deadpool, de forma que ele se destacou ainda mais no seu papel. Ele conseguiu incorporar perfeitamente a essência do personagem!

Deadpool é um filme muito bom em todos os sentidos, o que justifica o seu grande sucesso. Então, se você ainda não viu o filme não perca tempo e corra para o cinema mais próximo de sua casa. E se você não gosta muito de filmes de super-heróis e de ação esqueça de tudo o que já viu, pois posso garantir que a experiência de Deadpool vai ser completamente diferente. Da mesma forma que as propagandas são sensacionais, o filme também é!
Ficha técnica:

  • Título: Deadpool
  • Gênero: Ação, Aventura e Comédia. 
  • Direção: Tim Miller
  • Elenco: Ryan Reynolds, Morena Baccarin, Ed Skrein, Gina Carano, Brianna Hildebrand, T.J. Miller, Andre Tricoteux, Leslie Uggams
  • Duração: 1h48min
Se você já assistiu ao filme não deixe de comentar aqui no blog a sua opinião sobre ele, e se você também tem vontade de assistir não deixe de comentar!

  • Share

Filmes que Quero Assistir em 2016

Imagem do We Heart It
Ir ao cinema sempre foi um dos meus passatempos favoritos, mas devido a questão de vestibular o ano de 2015 foi muito corrido e eu não tive o tempo livre que tinha antes, e consequentemente não conseguir ir ao cinema muitas vezes e muito menos consegui assistir todos os filmes que tinha vontade de ver.

Agora, como toda essa questão de vestibular e o estresse passaram a minha vida acalmou um pouco, sendo assim voltei a ter um maior tempo livre. E uma das minhas metas para esse ano é voltar a ir regularmente ao cinema, e tentar assistir a maioria desses filmes que vou listar aqui no post.

1) DEADPOOL
Ex-militar e mercenário, Wade Wilson (Ryan Reynolds) é diagnosticado com câncer em estado terminal, porém encontra uma possibilidade de cura em uma sinistra experiência científica. Recuperado, com poderes e um incomum senso de humor, ele torna-se Deadpool e busca vingança contra o homem que destruiu sua vida.
2) CAPITÃO AMÉRICA: GUERRA CIVIL
Steve Rogers (Chris Evans) é o atual líder dos Vingadores, super-grupo de heróis formado por Viúva Negra (Scarlett Johansson), Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), Visão (Paul Bettany), Falcão (Anthony Mackie) e Máquina de Combate (Don Cheadle). O ataque de Ultron fez com que os políticos buscassem algum meio de controlar os super-heróis, já que seus atos afetam toda a humanidade. Tal decisão coloca o Capitão América em rota de colisão com Tony Stark (Robert Downey Jr.), o Homem de Ferro.
3) COMO EU ERA ANTES DE VOCÊ
Will (Sam Claflin) é um garoto rico e bem-sucedido, até sofrer um grave acidente que o deixa preso a uma cadeira de rodas. Ele está profundamente depressivo e contrata uma garota (Emilia Clarke) do campo para cuidar dele. Ela sempre levou uma vida modesta, com dificuldades financeiras e problemas no trabalho, mas está disposta a provar para Will que ainda existem razões para viver.
4) ESQUADRÃO SUICIDA
Reuna um time dos super vilões mais perigosos já encarcerados, dê a eles o arsenal mais poderoso do qual o governo dispõe e os envie a uma missão para derrotar uma entidade enigmática e insuperável que a agente governamental Amanda Waller (Viola Davis) decidiu que só pode ser vencida por indivíduos desprezíveis e com nada a perder. No então, assim que o improvável time percebe que eles não foram escolhidos para vencerem, e sim para falharem inevitavelmente, será que o Esquadrão Suicida vai morrer tentando concluir a missão ou decidem que é cada um por si?
5) CONVERGENTE
Após a mensagem de Edith Prior ser revelada, Tris (Shailene Woodley), Quatro (Theo James), Caleb (Ansel Elgort), Peter (Miles Teller), Christina (Zoë Kravitz) e Tori (Maggie Q) deixam Chicago para descobrir o que há além da cerca. Ao chegarem lá, eles descobrem a existência de uma nova sociedade.
6) ANIMAIS FANTÁSTICOS E ONDE HABITAM
Baseado no livro homônimo de J.K. Rowling. O excêntrico magizoologista Newt Scamander (Eddie Redmayne) chega à cidade de Nova York com sua maleta, um objeto mágico onde ele carrega uma coleção de fantásticos animais do mundo da magia que coletou durante as suas viagens. Em meio a comunidade bruxa norte-america que teme muito mais a exposição aos trouxas do que os ingleses, Newt precisará usar suas habilidades e conhecimentos para capturar uma variedade de criaturas que acabam saindo da sua maleta.
7) PROCURANDO DORY
Um ano após ajudar Marlin (Albert Brooks) a reencontrar seu filho Nemo, Dory (Ellen DeGeneres) precisa agora lidar com vários peixes do seu passado, entre eles alguns pelos quais ela foi apaixonada.
8) A LENDA DE TARZAN
Releitura da clássica lenda de Tarzan, na qual um pequeno garoto órfão é criado na selva, e mais tarde tenta se adaptar à vida entre os humanos. Na década de 30, Tarzan, aclimitado à vida em Londres em conjunto com sua esposa Jane, é chamado para retornar à selva onde passou a maior parte da sua vida onde servirá como um emissário do Parlamento Britânico.
9) BATMAN VS SUPERMAN - A ORIGEM DA JUSTIÇA
Após os eventos de O Homem de Aço, Superman (Henry Cavill) divide a opinião da população mundial. Enquanto muitos contam com ele como herói e principal salvador, vários outros não concordam com sua permanência no planeta. Bruce Wayne (Ben Affleck) está do lado dos inimigos de Clark Kent e decide usar sua força de Batman para enfrentá-lo. Enquanto os dois brigam, porém, uma nova ameaça ganha força.
O que vocês acharam da escolha de filmes? Se gostaram de algum e também tem vontade de assistir deixe sua opinião nos comentários. E se você sabe de outros lançamentos que parecem ser interessantes também não deixe de comentar!
  • Share

Resenha: Vida e Morte — Crepúsculo Reimaginado

Título: Vida e Morte — Crepúsculo Reimaginado
Autor(a): Stephenie Meyer
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 391
Classificação: 3/5

É um verdadeiro fato de que “Crepúsculo”, foi um verdadeiro fenômeno aqui no Brasil, e assim como várias adolescentes eu me tornei uma grande fã da saga. Atualmente, não sou mais tão fã como já fui no passado, mas reconheço que essa série de livros teve um papel fundamental no quesito de me estimular como leitora. Foi através de séries como Crepúsculo e Harry Potter, que eu acabei me tomando um grande gosto pela leitura. E quando foi anunciado que a Stephenie Meyer iria lançar uma reescrita de “Crepúsculo” com os gêneros invertidos, ao primeiro momento me pareceu como uma ideia com grandes chances de dar errado. Admito que estava bastante insegura em relação ao livro, mas depois de ler a resenha que a minha amiga Laura escreveu no blog dela, o Nostalgia Cinza, e conversar um pouco com ela sobre o livro, resolvi dar uma chance para a leitura de “Vida e Morte”, que foi uma experiência meio nostálgica por me remeter ao livro onde tudo começou, e também foi uma experiência interessante.
"O clássico de Stephenie Meyer revisitado 10 anos depois.
Novamente, os leitores vão se apaixonar pela arrebatadora história de amor de Bella e Edward... ou, quem sabe, será uma primeira vez. A edição especial de aniversário inclui um conteúdo extra e exclusivo: Vida e morte, nova versão em que autora inverte o gênero dos principais personagens.
Em Vida e morte os leitores vão se maravilhar com a experiência de ler a icônica saga de amor agora pelos olhos de um adolescente que se apaixona por uma sedutora vampira. Numa publicação ao estilo “vira-vira”, a edição comemorativa traz mais de 400 páginas de conteúdo extra, além da nova capa, com Crepúsculo de um lado e Vida e morte de outro. Os milhares de fãs de Bella e Edward não vão querer perder a oportunidade de ver seus tão queridos personagens em novos papéis.
“Fico maravilhada que já se tenham passado 10 anos da primeira edição de Crepúsculo”, cometa a autora Stephenie Meyer. “Para mim, esse aniversário é uma comemoração dos fãs, que sempre foram inacreditavelmente dedicados e apaixonados.”
A história é basicamente a mesma, exceto pela mudança de gênero e por pequenas mudanças que ocorreram na personalidade de alguns personagens. Beaufort Swan — ou simplesmente Beau, como ele gosta de ser chamado — é um jovem filho de pais separados, ele vivia junto de sua mãe  Renée na ensolarada Phoenix, Arizona. Quando mais novo ele costumava a passar as férias junto de seu pai Charlie, na pequena e chuvosa cidadezinha chamada Forks, mas há anos parou de visitar o seu pai pelo simples motivo de não gostar daquela cidade. Sendo assim, seus pais são pegos de surpresa quando Beau decide ir passar um tempo morando junto de seu pai, pois acredita que o fato de sua mãe ter de ficar em casa tomando conta dele, enquanto seu segundo marido fica viajando devido o seu emprego como jogador de baseball a deixa um pouco infeliz.

Ir para Fork talvez não seja uma ideia tão ruim, afinal das contas pode ser a oportunidade perfeita para se aproximar um pouco mais de seu pai, sem contar que vai ser muito bom deixar sua mãe passar um tempo junto de seu novo marido.
"— Eu quero ir — menti. Nunca menti bem, mas vinha contando a mesma mentira com tanta frequência ultimamente que agora parecia quase convincente." 
Assim que chegou à cidade a primeira coisa que Beau notou foi o fato da paisagem ser excessivamente verde, aquilo estava errado em sua cabeça, as coisas não deveriam ser daquela maneira. E em pouco tempo o rapaz já estava sentindo falta do calor e do Sol, afinal de contas estava morando agora em um local onde a maioria dos dias eram nublados e chuvosos. Ele definitivamente odiava Forks, mas apesar do tempo ruim nem tudo estava sendo péssimo. Charlie foi bastante receptivo chegando ao ponto de lhe dar um carro como presente de boas vindas, e na escola acabou se tornando o centro das atenções o que facilitou e muito na hora de fazer amizades, contudo nem todos os alunos aparentam gostar dele. E esse é o caso da misteriosa Edythe Cullen, que não consegue disfarçar o seu incomodo durante a aula que têm juntos.
"— Quem é a garota de cabelo avermelhado? — perguntei.
Tentei olhar casualmente na direção dela, como se estivesse dando uma avaliada no refeitório; ela estava me encarando, mas não com cara espantada, como os outros alunos hoje. Ela tinha uma expressão meio frustrada, que não entendi. Olhei para baixo novamente.
— É Edith. Ela é gata, é claro, mas não perca seu tempo. Ela não sai com ninguém. Ao que parece, nenhum dos caras aqui é bom o bastante para ela. — Jeremy falou com amargura, depois grunhiu. Eu me perguntei quantas vezes ela o tinha rejeitado."
  
De início ela tenta se afastar de Beau, e até sugere para ele que não é uma boa ideia eles serem amigos que isso é algo bastante perigoso. Porém, para ambos vai ser difícil conseguir se manter afastados um do outro.

Admito que antes de ler o livro eu estava bastante receosa acreditando que essa ideia de troca de gêneros não iria funcionar, mas acabei me surpreendendo positivamente ao ver que foi algo bem executado. Não ficou estranho e foi fácil fazer a identificação dos personagens, nesse quesito a autora não deixou nada a desejar. Por outro lado, acho que Meyer poderia ter realizado maiores mudanças na personalidade de alguns personagem e também nos diálogos, pois em certos momentos reparei que algumas falas eram as mesmas de Crepúsculo o que me fez pensar "qual livro estou lendo mesmo?", sem contar que nem sempre achei que essas falas se adequaram muito bem com a situação envolvendo a troca de gêneros. Acho que a única mudança grandiosa que ela fez na história foi o final alternativo, que foi bastante surpreendente.

De modo geral, recomendo esse livro para as pessoas que são fãs de romance, mas principalmente para aquelas pessoas que são ou já foram fãs de Crepúsculo, para essas pessoas acredito que é necessário ter a experiência dessa leitura. E como qualquer livro "Vida e Morte", apresenta seus pontos positivos e negativos, mas ao meu ver os positivos acabam ressaltando mais e no fim das contas se trata de uma leitura bem gostosa.


  • Share

Crônica da Cidade Maravilhosa

A medida que as ondas batiam na areia as pegadas iam se apagando, era como se ninguém tivesse passado por ali alguns minutos antes. O som do mar se misturava com a voz estridente dos vendedores ambulantes oferecendo seus produtos aos banhistas, e com a voz fina das crianças que se divertiam fazendo – ou pelo menos tentando – castelos de areia ou correndo das ondas do mar, como se alegrar fosse a coisa mais importante naquele momento.

E no famoso calçadão, pessoas de todas as idades resolvem tirar um minuto do seu tempo para se exercitar – seja correndo, caminhando, andando de bicicleta ou passeando com o animal de estimação – bem cedo, enquanto outras aproveitam o fim de semana para dormirem até mais tarde e recompor as energias gatas ao longo da semana – ninguém é de ferro, e quando se tem uma rotina puxada nada é melhor do que horas a mais de sono –, ainda mais com o templo nublado que faz com que a vontade de ficar na cama seja maior ainda. Mesmo com o mau tempo, ainda faz bastante calor o que torna a situação bastante ideal. Com um sol escaldante, talvez nem todas as pessoas do calçadão ou da praia teriam a disposição de estar ali.

No outro lado da rua, os prédios de mais variados tamanhos se encontram praticamente colocados uns aos outros, o que remete a um tempo passado, mesmo que não esteja mais tão evidente na estrutura de algumas construções. Enquanto alguns edifícios possuem um aspecto mais moderno, outros são mais antigos cuja a aparência tem lá o seu charme único e pessoal. Esse é o encontro do novo com o antigo, da mesma maneira que acontece em outros lugares da cidade, e quase sempre com um aspecto natural também presente – seja uma praia, um grande rochedo ou um aglomerado de árvores. E também há o encontro de várias classes sociais, e de pessoas diferentes.

O Rio é uma cidade que apresenta muitas diferenças, e essa que é a grande beleza da cidade. Claro que os pontos turísticos e algumas paisagens são belas ao ponto de tirar o folego, isso não tem como negar. Mas, a verdadeira beleza está presente nessa mistura de coisas, está presente nas coisas simples, está presente em um jantar no barzinho da esquina enquanto se observa o encontro do sol com o mar durante o crepúsculo, uma imagem tão bela que é digna de um cartão postal.

E é assim que se encerra mais um dia no Rio de Janeiro, a cidade maravilhosa.
  • Share