Vinte anos após o Independence Day, o filme retorna com um novo que tem a mesma temática, que é um segundo ataque alienígena na Terra e sua sequência de destruição ao redor do mundo, mas tudo isso em maiores proporções se comparado com o primeiro.
"Após o devastador ataque alienígena ocorrido em 1996, todas as nações da Terra se uniram para combater os extra-terrestres, caso eles retornassem. Para tanto são construídas bases na Lua e também em Saturno, que servem como monitoramento. Vinte anos depois, o revide enfim acontece e uma imensa nave, bem maior que as anteriores, chega à Terra. Para enfrentá-los, uma nova geração de pilotos liderada por Jake Morrison (Liam Hemsworth) é convocada pela presidente Landford (Sela Ward). Eles ainda recebem a ajuda de veteranos da primeira batalha, como o ex-presidente Whitmore (Bill Pullman), o cientista David Levinson (Jeff Goldblum) e seu pai Julius (Judd Hirsch)."
Após os ataques que ocorreram em 1996, foi criada a Earth Space Defense (ESD), um programa de defesa global sediado na Área 51 e que também possui bases na Lua e também em Saturno, tudo isso com o objetivo de prevenir um próximo ataque. Contudo, quando uma nova ameaça aparece novamente, o Capitão Dylan Dubrow-Hiller (Jessie Usher), junto da Tenente Rain Lao (Angelababy ), de Jake Morrison (Liam Hemsworth) e Charlie (Travis Tope) vão ter de lutar junto de seus outros colegas e pilotos da ESD. Sem contar que, eles também acabam contando com a ajuda de alguns veteranos de guerra como Thomas Whitmore (Bill Pullman), ex-presidente dos Estados Unidos que liderou o ataque vitorioso de 1996, e David Levinson (Jeff Goldblum), um cientista e especialista em computadores herói da Guerra de 1996, e Diretor do ESD.
"Hoje lutarão mais uma vez por nossa liberdade. Não da tirania, opressão ou perseguição, mas da aniquilação. Caso vençamos hoje, o 4 de julho não será mais lembrado como um feriado americano, mas como o dia em que o mundo declarou numa só voz: não iremos em silêncio para a escuridão. Não iremos desaparecer sem uma luta. Viveremos. Sobreviveremos. Hoje, comemoramos nosso dia da Independência. Presidente Thomas Whitmore."
Mesmo para as pessoas que não assistiram ao primeiro filme, é possível notar o quanto alguns personagens se referem à guerra de 1996, é algo que não se pode esquecer, mesmo que alguns não tenham participado ativamente lutando contra a Guerra, ela acabou deixando a sua marca em alguns. O que também contribuiu para isso é o fato de alguns personagens lendários do primeiro filme que retornaram nessa sequência, como Thomas Withmore, David Levinson, e até mesmo o personagem de Will Smith, que não estava presente no filme, foi citado como um grande herói da Guerra.
E falando nos personagens, alguns não foram muito aprofundados, mas mesmo assim ainda foi possível se divertir e dar boas risadas em alguns momentos cômicos do filme. E também devo ressaltar que o Liam Hemswoth acabou roubando muitas cenas, não sei se era um objetivo do diretor colocar o Capitão Dylan como o grande herói, por conta do seu pai Steven Hiller (personagem do Will Smith no filme anterior), mas se era acabou sendo algo bem falho. Na maioria das vezes, o Liam conseguiu roubar a cena por algum tipo de fala ou ação cômica, definitivamente, eu me diverti bastante com o seu personagem.

Outro personagem que eu senti que foi deixado um pouco de lado foi a presidente Landford, interpretada pela Sela Ward. Poderiam ter dado coisas mais grandiosas para essa personagem.
Apesar de ter alguns personagens pouco aprofundados, o filme conseguiu se superar na questão dos efeitos técnicos que ficaram incríveis.  Trata-se de sequências de tirar o fôlego, dá para ver que elas foram muito bem executadas, assim como as cenas de ação (o filme está repleta delas) que ficaram bastante dinâmicas. Nesses pontos, eles estão de parabéns!

"Independence Day: O Ressurgimento" não é um filme que vai mudar vidas, ou que vai passar uma importante lição de vida e, talvez, entre na minha lista de melhores filmes do ano. Ele é um bom filme que cumpre a sua função de entretenimento, então se você gosta de um bom filme de ação essa é uma boa escolha, e o fato de você não ter assistido o primeiro não interfere em nada. E, se você é um grande fã do "Independence Day", também acho que vale a pena assistir esse segundo filme.

Ficha Técnica:

  • Título: Independence Day: O Ressurgimento.
  • Gênero: Ficção científica, Ação.
  • Direção: Roland Emmerich.
  • Duração: 2h01mim
  • Elenco: Jeff Goldblum, Liam Hemsworth, Maika Monroe, Jessie T. Usher, Sela Ward, William Fichtner, Brent Spiner, Vivica A. Fox, Angelababy, Deobia Oparei, Nicolas Wright, Travis Tope, Chin Han, Joey King, James A. Woods, Charlotte Gainsbourg, Bill Pullman, Judd Hirsch e Robert Loggia.

Se você já viu o filme ou tem interesse de assistir não deixe de comentar a sua opinião aqui no blog! E "Independence Day: O Ressurgimento" está em cartaz nos cinemas.


Imagem do We Heart It
Umas das coisas que eu mais gosto de fazer quando estou com tempo livre é ficar vendo vídeos no YouTube, sendo assim resolvi trazer para esse post um pouco sobre os meus Youtubers preferidos, vou aproveitar para falar um pouco sobre como conheci o canal de cada um e o que eu mais gosto neles.

1) JOUT JOUT
Sim, o blog Escritora Whovian faz parte da família Jout Jout (spoiler: em breve vai ter resenha do livro dela aqui no blog)!! Eu conheci o canal da Jout Jout no ano passado, minha amiga Marina vivia me falando do canal da Jout Jout e me mandando assistir. Admito que demorei muito para seguir esse conselho da minha amiga, vivia enrolando e sempre arrumando coisa para fazer ao invés de assistir os vídeos, mas quando eu finalmente decidi ver me identifiquei bastante com os temas que a Jout Jout abordava, também adorei o modo informal e divertido que ela se comunica com o povo nos vídeos dela. Sou muito fã dessa mulher, sério.

E atualmente, eu acabei de ler o livro que ela lançou recentemente "Tá Todo Mundo Mal", o que fez com que eu me identificasse ainda mais com a Jout Jout, percebi que muitas das crises que ela teve eu também já tive. Então, posso afirmar sem nenhum pingo de dúvida que ela é uma das minhas Youtubers favoritas. Ela é feminista, faz vídeos sobre os diversos assuntos, dá conselhos bem úteis para a vida, faz uns "funks" legais, gosta de Orange Is The New Black, se formou em jornalismo, é quase impossível não gostar dessa mulher. 

E bônus: como sou mineira me sinto na obrigação de colocar o vídeo "Finalmente uma Resposta", independente do que me digam pra mim tudo é biscoito.

2) LUBA TV
Conheci o canal do Luba quando vi um vídeo dele com a Kéfera, logo de cara o achei bastante carismático e desde então venho o acompanhando. Além de carismático, ele consegue ser bastante engraçado e os vídeos são os desafios que ele faz com a participação de outros Youtubers, como o COMO SER A MILEY! (com Gabbie Fadel), ou o O QUE TEM NA MINHA BOCA? (ft. Imbizita).

Também adoro os vídeos que tem a participação dos pais dele, ou quando ele trata de alguns assuntos um pouco sérios como a questão dele ser gay, um dos momentos que me deixou um pouco emocionada foi quando a mãe dele, em um dos vídeos, lembrou do que o pai de Luba disse quando ele confirmou ser gay: “Se ele pudesse escolher o que tu seria, tu seria exatamente o que é e como é. Eu não gostaria que tu fosse diferente em nada”.


3) ISABELA FREITAS
Conheci a Isabela Freitas através de seu livro "Não Se Apega, Não" (que por sinal é muito bom, e eu to devendo a resenha dele aqui para vocês), e como gostei bastante da leitura do livro resolvi conhecer um pouco mais sobre a Isabela. Fui ao blog dela e li alguns textos, e também me aventurei no canal dela no YouTube. Os vídeos da Isabela, na maioria das vezes, são voltados para questões de relacionamentos e dá conselhos muito bons sobre esses assuntos. Além de ser uma pessoa super fofa, a Isabela também é mineira e tem vontade de fazer jornalismo!


4) CARECA TV
Acho que é difícil achar alguma pessoa que não se emocionou com a história da Lorena, do Careca TV. Quando vi o vídeo inicial dela falando sobre o sonho de criar um canal, contando um pouco de sua história, falando sobre o que pretendia abordar no canal, acabei sendo conquistada logo de cara. Achei a Lorena tão carismática e fofa, tanto é que não foi nenhuma surpresa seu canal ter conseguido muitos seguidores em pouco tempo, então só me resta desejar bastante sucesso para a Lorena e bastante paciência para ela conseguir lidar com os haters. 

Espero que vocês tenham gostado da minha sugestão dos meus Youtubers preferidos, e se vocês gostarem de algum outro que não está nessa lista é só me indicar, adoro receber sugestões e conhecer coisas novas.


Imagem do We Heart It
Nesses últimos dias eu peguei uma gripe e os meus dias se resumiram em duas coisas: (1) ficar jogando Zoo Tycon 2, onde você tem que construir e administrar um zoológico, era o meu preferido quando eu tinha uns 12 anos e eu fiquei jogando para matar um pouco da saudade e (2) passar boa parte do dia no Facebook. Por ter passado tanto tempo na minha rede social eu li muitos textos e assisti alguns vídeos, então tive a ideia de fazer um post reunindo os links de algumas coisas interessantes que eu encontrei.

1) Como 'Orange Is the New Black' deturpa os presídios femininos e por que isso importa
2) 18 coisas que só fãs de musicais vão entender
3) Em Amsterdã, cidadãos ganham WiFi grátis na rua quando nível de poluição do ar está baixo
4) A pessoa certa é aquelaque te prova, todos os dias, que ter que na vida dela
5) A falácia da liberação sexual e as novas formas de dominação
6) A batalha por Winterfell, de Game of Thrones, aconteceu de verdade
7) Autor tetraplégico citado em “Como Eu Era Antes de Você” critica o filme
8) 99 frases clássicas de Oscar Wilde
9) Cauã Reymond vira travesti em vídeo contra a intolerância
10) 11 coisas que mulheres não aguentam mais ouvir no Brasil
11) Coleção sobre antiprincesas e antiheróis ajuda a desconstruir estereótipos de gênero em sala de aula
12) 'Game of Thrones': Mulheres roubam a cena no episódio 'Battle of the Bastards'
13) Uma balsa teve um problema e alguém resolveu tocar a música de “Titanic”
14) Projeto fotográfico prova que não é preciso equipamento profissional para fazer fotos incríveis
15) Três coisas que aprendi quando o meu avião caiu

Espero que gostem de alguns itens dessa listinha que eu fiz. Esse não é um post típico aqui do blog, mas sempre é bom inovar.


Imagem do We Heart It
Ei amiga, tudo bem com você? Sei que faz um tempão que a gente não se fala, mas mesmo assim ainda me preocupo com você. Sabe como é, amizade de verdadeira não é algo que se encontra facilmente em qualquer lugar, e mesmo sabendo que o "desfecho" da nossa amizade não aconteceu da maneira que eu imaginava eu ainda me importo, afinal de contas é impossível apagar completamente da sua vida uma pessoa que esteve ao seu lado por bons anos (não sou muito boa em matemática, então vou dispensar as contas). São muitas memórias e lembranças que não podem ser apagadas, mas que são colocadas de lado em uma caixinha como se isso fosse diminuir a dor do afastamento, afinal de contas não tem como acabar com uma amizade importante sem ao menos sofrer um pouco.

Todo tipo de afastamento é triste. 

Não sei se você se sente como eu, se você tinha uma grande consideração pela minha amizade, mas independente de qual seja a sua resposta eu não vou parar de me importar e preocupar, é pra isso que servem os amigos, não é? Amigo é aquela pessoa que você pode contar para praticamente todos os tipos de coisa, é aquela pessoa que vai topar participar dos seus esquemas malucos de diversão, é aquela pessoa que vai ficar ao seu lado quando você estiver na pior e que vai fazer o possível para você se sentir melhor, é aquela pessoa que vai te chamar atenção quando necessário e que vai te incentivar a seguir seus sonhos por mais loucos que sejam. Resumindo: amigo é aquela pessoa que está ao seu lado nos piores e nos melhores momentos. Eu posso não estar ao seu lado e muito menos sou uma pessoa presente em sua vida, mas mesmo assim estou te observando bem de longe apenas para saber se está tudo bem. Pode me chamar de tola, mas você sabe muito bem que eu tenho meus motivos para essa preocupação.

Nesses últimos dias fiquei sabendo que você não tá passando por uma fase muito legal na sua vida, e eu me preocupo. Talvez não esteja ao meu alcance o poder de fazer muita coisa,  de fazer com que você melhore do dia para a noite. A única coisa que está ao meu alcance é escrever um texto — sinto que consigo me expressar de uma melhor forma através das palavras — para aliviar um pouco essa dor que você está sentindo. Ao mesmo tempo em que as palavras podem machucar mais que um soco, elas também podem ajudar a curar.

Então, espero que esse texto consiga chegar em suas mãos e que você se sinta um pouco melhor após o ler. E, sempre, que se sentir triste, que o mundo parece uma grande merda, lembre-se que você tem amigos que se importam e se preocupam com você, e eles te amam muito e vão estar ao seu lado para o que der e vier.

E o mais importante: lembre-se da sua força. Você é uma garota forte e eu sei que vai superar isso, e se precisar seus amigos vão estar do seu lado para te dar um apoio, como diziam os Beatles "oh I get by with a little help from my friends hm I get high with a little help from my friends hm gonna try with a little help from my friends".

Obrigada por ter sido uma grande amiga.


Imagem do We Heart It
Alguns dias são tão cansativos e estressantes que, às vezes, a gente só quer desaparecer do mundo, nem que seja apenas um por um pequeno instante. Nesses dias dormir e acordar daqui um mês chega a ser uma opção encantadora — como se isso fosse resolver algum tipo de problema, e a música mais tocada do celular é "The Sound of Silence". Nesses dias a sensação é de que não temos paciência para praticamente nada.

Resumindo: não é um bom dia, não está sendo uma boa semana.

Quando isso acontece o melhor a se fazer é esperar e torcer para os problemas irem embora o mais rápido possível. Tentar focar em qualquer coisa que lhe faça esquecer-se dos problemas. Algumas pessoas usam da respiração para se manterem calmas, aquele método de respirar e inspirar. Respirar e inspirar. Respirar e inspirar. De fato, isso funciona, mas pessoalmente eu tenho — e prefiro — outro método bastante pessoal.

Meu método é você.

No início eu me assustei com o tamanho da influência que você tem sobre mim. Posso ser considerada como uma pessoa um pouco fechada, não estava acostumada a lidar com sentimentos tão poderosos assim, e muito menos a expor eles para os outros. Foi um momento assustador em que eu me senti exposta, mas aos poucos foi se tornando algo comum para mim e que convivo diariamente. Agora “eu te amo” se tornou muito comum no meu vocabulário, algo que há alguns meses atrás eu não teria a coragem de dizer em voz alta talvez, apenas, em um texto e olhe lá.

Eu adoro ver você sorrindo, sua risada é contagiosa, admiro o fato de como você consegue manter o seu bom humor até mesmo nos momentos mais difíceis, eu adoro quando você me abraça e me beija, eu gosto muito quando estou perto de você. A sua presença me acalma, me tranquiliza, me deixa feliz.

Quando não estou nos meus melhores dias você consegue me deixar animada fazendo alguma piada, ou falando algo fofo. Quando você me abraça ou beija é como se todo o mundo parasse ao meu redor, é como se todos os meus problemas desaparecessem com o meu passe de mágica. Tudo bem que às vezes nós dois temos nossas diferenças, mas isso não muda o fato de que você me faz bem. Você vem me fazendo bem há 10 meses.

Não sei se você se dá conta, mas você é uma pessoa completamente incrível e especial que consegue me alegrar nos dias mais difíceis.

Obrigada por tudo. Obrigada por estar ao meu lado.


Faz muito tempo desde que eu não falo sobre séries aqui no blog, sendo assim resolvi reunir algumas que eu tenho vontade de assistir aqui nesse post.

1)SENSE8

"Grupos de pessoas ao redor do mundo que estão ligadas mentalmente, e precisam achar uma maneira de sobreviver sendo caçados por aqueles que os veem como uma ameaça para a ordem mundial."
2)GILMORE GIRLS
"Lorelai Gilmore (Lauren Graham) tem uma relação tão amigável com sua filha, Rory (Alexis Bladel), que muitas vezes elas são confundidas como irmãs. Entre o relacionamento de Lorelai com seus pais, a nova escola preparatória de Rory, e os romances nas vidas das duas, há muito drama e muita diversão acontecendo."
3)DOWNTON ABBEY
"No início do século XX, a família Crawley luta para manter o legado de Downton Abbey. Após a morte de um parente que estava à bordo do Titanic, Robert Crawley (Hugh Bonneville) descobre que o novo herdeiro da propriedade é um sobrinho distante, Matthew Crawley (Dan Stevens), um advogado com pensamentos modernistas. Enquanto Robert e sua esposa Cora (Elizabeth McGovern) se preocupam com o futuro das suas filhas, Mary (Michelle Dockery), Edith (Laura Carmichael) e Sybil (Jessica Brown Findlay), os empregados da mansão trabalham para manter a rotina da família, com todas as regras da época."
4)AGENTS OF S.H.I.E.L.D
"Após os acontecimentos em Nova York, retratados em Os Vingadores, a S.H.I.E.L.D. (Superintendência Humana de Intervenção, Espionagem, Logística e Dissuasão) deve mobilizar seus integrantes para solucionar vários casos relacionados com super-heróis. A equipe é liderada pelo agente Phil Coulson."
5)HOUSE OF CARDS
"Frank Underwood é um astuto congressista norte-americano que é traído pelo presidente que ele ajudou a eleger. Com a ajuda da esposa, de uma jornalista ambiciosa e de um outro político com problemas com alcoolismo, Underwood inicia um plano para minar adversários políticos e conquistar, em alguns anos, a presidência dos Estados Unidos."
Se vocês assistem algumas dessas séries ou tem mais algumas para me recomendar, não deixe de comentar a sua opinião aqui no blog!


Imagem do We Heart It
Quando tinha 14 anos, prestes a me "formar" do Ensino Fundamental e começar o Ensino Médio, o pessoal da minha escola organizou um dia no sítio para os alunos se divertirem, fugirem um pouco da rotina escolar, e também para falar um pouco sobre essa transição que nós estávamos prestes a passar. Até ai tudo bem, foi uma dinâmica bem divertida e eu tenho boas recordações dos momentos que passei junto das minhas amigas. Mas também tenho uma lembrança um tanto desagradável, que marcou um pouco a minha vida.

Durante as dinâmicas que fizeram com o pessoal da minha turma, teve uma atividade em que cada um colou um papel nas costas, recebeu uma caneta e o objetivo era escrever a sua opinião sobre o coleguinha. A expectativa de ler o que as pessoas estavam escrevendo no meu papel era alta, queria saber o que algumas pessoas pensavam sobre mim e não tinha coragem de me dizer pessoalmente. Quando chegou a tão esperada hora de ler o que as pessoas tinham escrito eu estava bastante empolgada, me lembro de ter ficado feliz com que as minhas amigas escreveram sobre mim, mas teve um comentário que me marcou muito mais do que as palavras botinhas das minhas amigas: "Você é estranha".

Você é estranha.

Essa frase ficou naquela cabeça por um bom tempo, e assim eu comprovei que as palavras podem machucar muito mais que ações. Talvez, tivesse sido melhor levar um soco do que ter lido aquela frase. Um soco machuca na hora e depois de alguns minutos já passou, mas aquelas palavras ficaram na minha cabeça me torturando por um tempo.

Eu era estranha. Eu era diferente das minhas colegas e queria saber o motivo disso. Será que era por eu gostar de ler e preferir um bom livro ou filme a alguma festa? Será que era por eu não ser tão vaidosa como o resto delas? Será que era por eu nunca ter beijado um carinha? Será que era por eu gostar de música coreana? Será que era por eu ser tímida? Será que era por eu ver séries pouco conhecida pelos meus colegas? Será que era por ter peitos pequenos? Queria conseguir a resposta necessária para essa pergunta, quem sabe assim eu pudesse melhorar e me tornar uma pessoa normal.

Por alguns anos fiquei acreditando que eu era estranha, e por um tempo achei que era por isso que eu não tinha um namoradinho e não estava conseguindo fazer amizades na minha nova escola. Aceitei que era estranha, e por isso devia ficar sozinha e com apenas alguns amigos. Era mais fácil aceitar isso, machucava menos do que pensar que eu era estranha, que eu tinha algum tipo de problema.

Agora, aos 19 anos, cinco anos passados desse ocorrido, eu percebo o quão patética eu era na época por acreditar em uma coisa dessas, por acreditar que o problema estava em mim. Se eu sou estranha ou não isso não importa mais, pois eu estou feliz comigo mesma, com o meu corpo, com a minha personalidade. Não preciso mudar nada em mim para poder agradar ninguém. E agora, percebi que apesar do peito pequeno, do meu gosto musical eclético que não agrada a todos, da minha timidez, e da minha preferência de livros e filmes a uma festa, não são fatores que me impedem de ter amigos ou um namorado. Posso afirmar, com toda certeza, que as pessoas que estão ao meu lado são as melhores do mundo, eu não as trocaria por nada, pois elas me fizeram perceber o quanto eu sou especial.