Finalmente entrei de férias e isso significa que finalmente vou poder colocar as minhas séries (que são muitas) em dia, e pensando nisso, resolvi fazer esse post totalmente dedicado a Gossip Girl!
"Após passar um ano estudando fora por motivos misteriosos, Serena van der Woodsen (Blake Lively) está de volta em Nova York. Seu retorno agita o Upper East Side, onde vivem os jovens mais privilegiados da cidade, como a sua melhor amiga Blair Waldorf (Leighton Meester), o namorado de Blair, Nate Archibald (Chace Crawford), e ainda Chuck Bass (Ed Westwick). Enquanto lida com os problemas da mãe, Lily van der Woodsen (Kelly Rutherford), e o irmão Eric (Connor Paolo), Serena irá começar um relacionamento com Dan Humphrey (Penn Badgley), um garoto de um mundo completamente diferente".
Antes de começar a acompanhar a série eu já tinha escutado algumas pessoas fazerem criticas positivas sobre ela, tanto é que tenho duas amigas que amam a série, mas, sinceramente, achava que era algo totalmente fútil. Mostrando apenas jovens riquinhos vivendo em seu mundo, ostentando, fazendo merdas e gastando dinheiro. E quando me falavam "Assista, quem sabe você acabe gostando", sentia uma pontada de preguiça crescendo dentro de mim.

Até o final do ano eu não tinha planejado acompanhar a série, tudo acabou acontecendo por acaso em uma tarde de domingo. Estava sem nada para fazer, então fiquei vendo os filmes e séries que tem no Nexflix e foi assim que eu decidi dar uma chance "Talvez Gossip Girl seja bom como minhas amigas falam". Admito que não estava dando nada para a série, mas bastou que eu assistisse o primeiro episódio para que eu acabasse ficando viciada nela. E se não fossem as provas de final de ano eu seria capaz de ficar vendo seguidamente os episódios, e ainda fiz questão de mostrar a série para a minha prima que também acabou amando.

É engraçado pensar que antes eu não dava nada pela série, e agora estou morrendo de amores por ela, praticamente. E minha visão acabou mudando, percebi que não se trata apenas de jovens ricos do Upper East Side que ficam ostentando, fazendo loucuras e gastando o dinheiro. Enquanto um episódio aborda um pouco sobre a questão da amizade, outro é sobre o perdão, porém esse não é o foco central da trama, são apenas algumas consequências devido às ações que algumas personagens tomaram.
"Blair: Please don't go. I don't care about dating a prince. I don't care about dating anyone. I just care about yoy. I really need my fried rigth now. I've been acting like i'm okay, but i'm not. They say it's a broken heart, but... I hurt in my hole body. I mean what if I stay like this forever? What if I never get over Chuck?
Serena: You will. You'll see.
Blair: I just don't knoe what i'd do without you. I'm scared if you come to Columbia that i'll do something to destroy us.
Serena: Well, you pushed me in a fountain tonight, and here we are talking about like mature young women. So i'd say that's a good sing.
Blair: And whar if Columbia's a disarter, and we lose each other for good?
Serena: Anda what if it's amazing, and we became closer than we've ever been? Come on. Live dangerously."
E uma das coisas que eu acabei amando na série foi o personagem Chuck Bass — ele me conquistou de primeira com a frase "I'm Chuck Bass" —, apesar de ser uma babaca de primeira, é impossível não amar esse cara. Apesar de toda a frieza que ele possui, das escolhas erradas que toma, no fundo é uma boa pessoa e ao longo das temporadas está se mostrando ser mais humano, além de deixar alguns sentimentos transparecerem — acabei de chegar à quarta temporada, e depois de analisar o comportamento dele ao longo delas formulei tal conclusão.
Também me tornei uma grande fã do casal: Chuck e Blair, eles são simplesmente perfeitos um para o outro. E pensando nisso resolvi fazer algo totalmente inovador aqui no meu blog, devido esse post dedicado a série Gossip Girl, e a um dos meus OTPs preferidos, resolvi fazer uma playlits
"Blair: Você é Chuck Bass.
Chuck: Eu não sou Chuck Bass sem você."












         It wouldn't be my world without you in it [listen]
"three words eight letters. say it and i'm yours"
i- Stripper (The Soho Dolls) ii- Bang Bang ( Jessie J feat. Ariana Grande, Nicki Minaj) iii- Love Runs Out (OneRepublic) iv- Love The Way You Lie: Part 2 (Rihanna feat. Eminem) v- Amnseia (5 Seconds Of Summer) vi- A Thousand Years (Christina Perri feat.  Steve Kazee) vii- One (Ed Sheeran) viii- Haunted (Taylor Swift) ix- Good Gilrs Go Bad (Cobra Starship feat, Leighton Meester) x- Embers (Just Jack) xi- Animal (Miike Snow) xii- Do I Wanna Know? (Artic Monkeys) xiii- Never Let Me Go (Florence and The Machines) xiv- Unconditionally (Katy Perry) xv- Legendary Lovers (Katy Perry) xvi- Heart Attack (Demi Lovato) xvii- Nirvana (Sam Smith) xviii- Feel So Close (Calvin Harris) xix- With Me (Sum 41)

Não deixe de comentar o que você acha de Gossip Girl, e se você também shippar Chuck/Blair (Chair), assim como eu, não deixe de comentar a sua opinião sobre as músicas.



 

"Ângelo (Matheus Abreu) é um garoto de 14 anos que descobre uma antiga lenda sobre diamantes perdidos e parte em busca desse tesouro para salvar a vida do pai. Para isso, ele e seus amigos Julia (Rachel Pimentel) e Carlinhos (Alberto Gouvêa) terão que decifrar o enigma e vencer a perseguição do vilão Silvério (Rui Rezende), que também sabe do tesouro e não vão desistir do tesouro até encontrá-lo."
Um dos temas que eu adoro abordar aqui no blog, além dos livros, são sobre os filmes e séries que eu vejo. E dentre todos os filmes que eu já vi em toda minha vida "O Segredo dos Diamantes", foi o único em que eu tive uma experiência realmente única — recebi um convite especial para assisti-ló antes da estréia, e tive a oportunidade de tirar fotos e conversar com alguns dos atores. Sem contar que se trata de uma produção em que parentes meus estão envolvidos. Tudo isso fez com que eu adquirisse um carinho muito grande por ele.


Admito que estou longe de ser uma grande fã dos filmes nacionais, sempre procuro ver filmes onde atores que eu gosto estão atuando, quando é a adaptação de algum livro que eu li ou se acho o trailer bacana. São raras as vezes que eu vejo algum filme brasileiro, tanto é que posso afirmar com toda certeza que, nesse ano, eu cheguei a assistir uns três (sem contar com esse). E "O Segredo dos Diamantes", acabou superando as expectativas que eu tinha para ele. Com uma trama brilhante, um enredo cativante e ótimos atores era o que se esperar.

Uma das coisas que mais me chamou atenção (de maneira positiva) foi a escolha de atores não tão conhecidos para atuarem nos papeis principais, algo que considero super bacana, pois além de ser uma espécie de sonho realizado para qualquer ator, também é uma forma de mostrar outros talentos escondidos que existem pelo Brasil. E diferentemente dos filmes feito pela Rede Globo, esse não se passa no Rio de Janeiro ou São Paulo — o Brasil é muito mais do que essas duas cidades — e não tem o humor baseado em piadinhas sexuais, como acontece na maioria dos filmes feito pela Globo. De certa forma, acaba quebrando todos os clichês com que já estamos acostumados quando assistimos algum filme brasileiro.

A construção dos personagens foi brilhante. Boa parte deles são cativantes, e nem todos são o que realmente aparentam ser (spoilers) e pessoalmente eu adoro isso, pois uma atitude diferente da esperada pode acabar mudando completamente o rumo da trama. E um dos personagens preferidos foi o Carlinhos, com o grande senso de humor ele me conquistou rapidamente. Além de roubar a batata também acabou roubando a cena.  

"O Segredo dos Diamantes" estreia oficialmente nos cinemas de todo o Brasil no dia 18/12 (quinta-feira) e é um filme que recomendo para as pessoas de todas as idades, seja para ir sozinho(a) ou junto dos familiares. É um filme divertido que vale a pena assistir, muitas risadas e momentos de tensões são garantidas! E ainda tem mais: esse filme vale um tesouro! É só seguir esses passos para participar da promoção:

  1. Assista "O Segredo dos Diamantes"
  2. Guarde seu ingresso
  3. Acesse o site
  4. Clique no link da "Promoção" e preencha o regulamento que aparece. 
  5. Fique torcendo para conseguir ganhar a jóia feita exclusivamente para o filme. 
Ficha Técnica:

  • Título: O Segredo dos Diamantes.
  • Gênero: Aventura, Família.
  • Direção: Helvécio Ratton.
  • Elenco: Matheus Abreu, Rachel Pimentel, Alberto Gouvêa, Rui Rezede, Dira Paes, Manoelita Lustosa, Marcelo Campos.
  • Duração: 1h26min.























Título: Selvagens
Autor(a): Don Winslow
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 288
Classificação: 3/5

Sou dessas pessoas que quando acompanha o trabalho de um artista gosta de ficar por dentro de tudo, e foi o meu amor gigante pelo Aaron Johnson que me motivou a assistir o filme "Savages", onde ele interpreta um dos personagens principais. Esse filme foi inspirado na obra "Selvagens", de Dom Winslow, e eu também resolvi ler o livro. Fiz todas essas coisas em nome do meu amor pelo Aaron Johnson, pela leitura e pelos filmes.
"Ambientalista e filantropo nas horas vagas, Ben comanda um negócio de maconha em Laguna Beach; Ao lado de seu parceiro, o ex-mercenário Chon, ele fatura lucros consideráveis e mantém uma clientela fiel. No passado, quando seu território foi invadido, Chon tratou de eliminar a ameaça. Agora, porém, eles parecem estar diante de uma força da qual não podem dar conta: o Cartel de Baja, do México quer tomar a região e avisa que não irá aceitar uma negativa como resposta. Quando os dois amigos se recusam a recuar, o cartel reforça a advertência sequestrando Ophelia, companheira e confidente dos rapazes. O sequestro deflagra uma gama alucinante de negociações habilidosas e reviravoltas inacreditáveis, que deixarão os leitores ansiosos para descobrir o custo da liberdade e o preço de um grande barato. Uma engenhosa combinação entre o suspense carregado de adrenalina e a reportagem policial, Selvagens é um thriller alucinante, escrito por um mestre do gênero no auge de sua carreira." 
Todos os negócios de sucesso têm uma origem. Ben estudou em Berkeley e se especializou em botânica e marketing, duas escolhas um tanto incomum, mas ninguém o questionou sobre isso. E em uma conversa, um tanto quanto reflexiva, na praia com seu melhor amigo e parceiro dos jogos de vôlei: Chon, eles decidiram o que queriam fazer de suas vidas.
"e Ben sai com o velho ditado: 'Faça o que ama e nunca trabalhará um só dia na vida.'
O que lhes parece legal.
Certo, o que a gente ama?, pergunta Chon.
Sexo
Voleibol
Ceveja
Erva

Eles não querem atuar em filmes pornôs nem produzi-los, então o sexo está fora. Só tem uns dois caras no mundo inteiro conseguem ter uma vida decente jogando vôlei, e essa coisa de microcervejaria é furada, então..." 
E depois desse papo altamente reflexivo sobre o que fazer no futuro, Ben e Chon decidiram entrar no negócio de maconha. Não como contrabandistas ou comerciantes, mas sim, como produtores.  E com o objetivo de conseguir encontrar a melhor semente de cannabis do mundo, Chon decide servir as forças armadas no Exército no Afeganistão, uma das regiões mais perigosas do mundo, apenas para contrabandear um pouco de semente. E com o talento de Ben para botânica tudo se encaixou completamente.
"Dar sementes de Viúva Branca a Ben foi como dar pincéis e um teto branco a Michelangelo e dizer:
É todo seu, camarada." 
Ben pegou a Viúva Branca e fez cruzamentos cuidadosos, deixando a semente ainda mais forte. E depois começou a criar diferentes misturas de indica e sativa, todas muito fortes, sem contar que ele podia personalizá-las para cada cliente. Aos poucos o negócio deles foi crescendo, fazendo com que ambos quase se tornassem figuras míticas.

Ele retira 99% da violência ao tráfico, pois seu principio básico de filosofia de vida é o budismo, tanto é que Ben se descreve como um bundista, ou seja, "um budista bundão", pois ele come carne, sente raiva, raramente medita e faz uso de substâncias alteradoras da consciência. Mas, de todos os fundamentos do budismo ele escolhe:
1) Não fazer o mal, que para ele significa: Não sacaneie as pessoas.
E o 1% que resta? É aí que Chon entra em ação. E mesmo com os discursos de Ben sobre paz e não sacanear com as outras pessoas, Chonny tem uma ideia totalmente diferente. Mesmo que os negócios não precisam ser violentos, eles são, e mudar isso é impossível.

Apesar dos gostos em comum dos dois amigos, também existem certas diferenças notáveis entre eles que não podem ser ignoradas. E uma das coisas que eles têm em comum é: O. (um apelido já que ela não gosta muito de seu verdadeiro nome: Ophelia).
"O. está feliz
por Ben estar voltando
Ben, sua outra base de sustentação
Os dois homens — Ben e Chon —
que significam alguma coisa em sua vida.
Os dois únicos que já significaram."
O que eles não estavam esperando era à aproximação do Cartel de Baja, querendo controlar a produção de Ben e Chon, além de estudarem as suas técnicas. Uma reunião é marcada para que eles conversem sobre esses termos. Porém os dois amigos acabam recusando a proposta, justificando que estavam querendo sair do ramo das drogas para apostar em algo mais limpo, como energia renovável. Contudo, a pessoa que gerencia o Cartel de Baja levou essa recusa para um lado muito pessoal e como forma de fazê-los eles aceitarem sua proposta acabou armando um sequestro para O., o grande amor de Ben e Chon, e a maior fraqueza deles.

Desesperados e temendo pela vida de O.. Ben e Chon começam a fazer o possível e o impossível para terem sua garota junto deles novamente. E muita das medidas que acabam tomando envolvem algumas mentiras, muita violência e barganha. Love gets savage.

Eu resolvi ler o livro depois de ter assistido o filme, é uma espécie de mania que eu tenho: se li um livro tenho que ver o filme, e vice-versa. E devo dizer que foi uma adaptação bastante fiel, o que é bom, pois algumas vezes os filmes acabam sendo completamente diferentes dos livros, como foi o caso da série do "Percy Jackson e os Olimpianos", nem da para fazer uma comparação.

Inicialmente demorei um pouco para me acostumar com o modo de escrever do Don Winslow, mas no final, o vocabulário despojado, a formulação das frases e os parágrafos curtos (a maioria, pelo menos), acabaram combinando perfeitamente coma história. Não consigo imaginar sendo de outra forma, e se tivesse feito de um modo diferente não combinaria tanto assim com o assunto que o livro trata, com as personagens.

Esse está longe de ser um livro clichê do qual você encontra a montes nas livrarias, e o que mais me agradou em toda a história foram a construção dos personagens. Por exemplo, muitas pessoas julgariam uma mulher como puta por estar se envolvendo mutuamente com dois homens (amigos, ainda por cima), mas ao longo da leitura fica evidente o quanto os três se amam por igual, ao ponto de serem capazes de morrerem um pelo outro. E também da tamanha doçura que o personagem Ben tem esse negócio que ele criou com o Chon foi apenas pensando na felicidade e não no dinheiro ou reconhecimento, essas duas coisas acabaram sendo consequências.

Sou fã de assuntos polêmicos, e isso o livro acaba abordando. É interessante ver o ponto de vista dos personagens sobre essa questão da maconha, e o quão longe estão dispostos a ir por ela. E é claro, contém algumas informações científicas sobre os tipos de maconha, e outras coisas mais, o que acaba ajudando a compreender alguns dos termos que aparecem.

E bem no fundo, há um pouco de questão filosófica nesse livro, algo que eu simplesmente amo! De uma forma minuciosa aborda assuntos como: "Quero trabalhar e ser feliz ao mesmo tempo"; o amor; sede de vingança que os humanos têm; e o conceito da palavra selvagem que aparece algumas vezes no livro e, sempre, variando de pessoa por pessoa.
"Vamos viver na praia e comer os peixes que apanharmos. Colheremos frutas frescas e subiremos em coqueiros. Dormiremos juntos em esteiras de palha e faremos amor.
Como selvagens.
Belos, belos selvagens."
 
A minha recomendação para todas as pessoas é: leiam esse livro. Sei que o tema que o livro aborda é de longe o favorito de muitas pessoas, eu mesma admito que não gosto desse tipo de coisa, mas foi uma boa experiência ler algo diferente das coisas que eu leio. Aprendi novas informações, e mesmo que nunca vá usar elas na minha vida para nada, ganhar um pouco de conhecimento nunca é ruim. E alguns personagens têm uma essência tão única que são apaixonantes. Assim como existem alguns personagens que você odeia instintivamente.






Título: Álbum de Casamento
Autor(a): Nora Roberts
Editora: Arqueiro
Número de páginas: 288
Classificação: 5/5

Sempre tive uma grande vontade de ler algum livro da Nora Roberts, já havia escutado muitos comentários sobre as obras dela, e isso apenas ia aumentando a minha vontade. E aproveitei o lançamento da série "Quarteto de Noivas" para saciar o meu desejo de ler algo da Roberts. Sendo assim eu comprei o livro "Álbum de Casamento", e no final da leitura percebi que tinha arranjado mais uma escritora favorita.

"Quando crianças, as amigas Parker, Emma, Laurek e Mac adoravam fazer casamentos de mentirinha no jardim. E elas pensavam em todos os detalhes. Depois de anos dessa brincadeira, não é de surpreender que tenham fundado a Votos, uma empresa de organização de casamentos bem-sucedida. Mas, apesar de planejar e tornar real o dia perfeito para tanto casais, nenhuma delas teve no amor a mesma sorte que tem nos negócios. Até agora. Com várias capas de revistas de noivas no currículo, a fotógrafa Mac é especialista em captar os momentos de pura felicidade, mesmo que nunca tenha experimentado em sua vida. Por causa da separação dos pais e de seu difícil relacionamento com eles, Mac não leva muita fé no amor. Por isso não entende o frio na barriga que sente ao reencontrar Carter Maguire, um colega de escola com o qual nunca falara direito. Carter definitivamente não é o seu tipo. Professor de inglês apaixonado pelo que faz, ele cita Shakespeare e usa paletó de tweed. Por causa de uma antiga quedinha por Mac, fica atrapalhado na frente dela, sem saber bem como agir e o que falar. E mesmo assim ela não consegue resistir ao seu charme. Agora Carter está disposto a ganhar o coração de Mac e convencê-la de que ela é capaz de criar suas próprias lembranças felizes."
O livro começa contando sobre a infância de Mackensie Elliot (ou simplesmente Mac), de suas brincadeiras de casamento junto de suas melhores amigas: Parker, Laurel e Emma, além das participações especias de Del (o irmão de Parker), dois cachorros, três gatos e um coelho. Também é apresentada a situação do divorcio de seus pais e do seu interesse por tirar fotos.
"Mac apertou o botão.
Dessa vez tinha certeza de que a imagem não ia ficar desfocada, escura sem definição ou descolorida. Seu polegar não taparia a lente. Sabia exatamente como a foto ia ficar, sabia que a avó, no fim das contas, estava errada."
E, alguns anos mais tarde, vemos que Mac finalmente se transformou em uma fotografa profissional, e junto de suas amigas acabou abrindo a Votos, uma empresa de organização de casamento. Foi como um sonho de criança se tornando realidade, já a brincadeira preferida das quatro quando mais novas era de brincar de casamento quando tinham, aproximadamente, oito anos de idade. Mas apesar dos anos que se passaram algumas coisas permaneceram as mesmas: Mac não se da muito bem com sua mãe e constantemente acaba brigando com ela, continua apaixonada por fotografia e casamentos e não acredita na ideia de felizes para sempre (o divórcio de seus pais foi uma situação um tanto quanto traumática, fazendo com que ela acabasse desacreditando no amor).
"Ser feliz para sempre talvez fosse conversa afiada, mas ela sabia que queria tirar mais fotos de momento que fossem felizes. Porque, assim, eles permaneceriam para sempre."
Mas o que Mac não pode prever é que o professor de inglês Carter Maguire iria fazer com que ela repensasse em sua crença sobre o amor.

Quando mais novo Carter teve uma paixonite durante os anos de escola por Mackensie, mas naquela época ela mal sabia de sua existência. E devido uma tremenda sorte do destino eles se reencontraram novamente, e dessa vez Carter está determinado em conseguir sair junto de sua antiga paixão de escola. Contudo, para um homem tímido, desajeitado e sem muito jeito para lidar com mulheres, convidar Mac para sair acaba sendo um verdadeiro desafio para ele, mas aos poucos ele consegue conquistar o coração dela.
"Carter comprou flores. Ficou meio aborrecido, porque já tinha pensado em fazer isso antes. Mas todas aquelas instruções de Bob transformaram um gesto simples numa ação complexa e simbólica, tão repleta de dificuldades que a princípio resolveu ignorar essa etapa."  
Estando saindo junto de Mac, o seu novo desafio passa a ser: mostrar para ela o quão bom é, de que ela não precisa ter medo de entregar seu coração à alguém, além de tentar provar que o felizes para sempre existe.

Esse foi o primeiro livro que eu li da Nora e, como citei anteriormente, o resultado acabou sendo positivo, tanto é que eu resolvi continuar lendo a série. O vocabulário não é complexo, e a narrativa fluí de uma forma impressionante (pessoalmente eu li o livro em um dia). No geral, é um ótimo livro e vale à pena lê-lo.


Sábado passado, eu fui ao cinema junto dos meus amigos com o intuito de assistir o "Interstelar", um filme anglo-americano de ficção científica dirigido por Christopher Nolan e estrelado por Matthew McConaughey, Anne Hathaway, Jessica Chastain, Bill Irwin, Ellen Burstyn e Michael Caine. Contudo, a sala estava muito lotada, então eu e a Marina escolhemos assistir o filme do Tim Maia já que o horário das duas sessões eram bem próximas. Essa escolha acabou desagradando o João Pedro (sorry not sorry), mas teve um efeito bem diferente em mim e na Marina que acabamos adorando o filme.


"Cinebiografia do cantor Tim Maia, baseado no livro "Vale Tudo - O Som e a Fúria de Tim Maia". O filme percorre cinquenta anos na vida do artista, desde sua infância no Rio de Janeiro até a sua morte, aos 55 anos de idade, incluindo a passagem pelos Estados Unidos, onde o cantor descobre novos estilos musicais e é preso por roubo e posse de drogas."
Como a sinopse acima já diz o filme conta sobre a vida de Tim Maia, mostrando desde o seu nascimento até a sua morte. Conta que seu interesse pela música que começou quando ele estava entregando as marmitas que sua mãe vendia, ele passou por uma loja de música, gostou do que escutou, entrou e roubou o disco (a família dele era pobre, o que o levou a roubar). Foi assim que ele começou a se interessar pela música.

É apresentada também a criação do seu grupo vocal os "The Sputniks" (o nome foi influenciado pelos noticiários dos vôos orbitais da sonda Sputnik. Considerada pelos seus criadores um conjunto moderno e, portanto tinha que ter um nome de acordo com a época, e nada melhor do que um nome estrangeiro; de um satélite espacial). O grupo era composto por Tim Maia (na época conhecido como Tião Maia), Roberto Carlos, Arlênio Lívio, Edson Trindade e Wellington Oliveira. Eles se apresentavam em um programa de televisão, podendo ser considerado como o início de sua caminhada até atingir o sucesso.

Depois disso têm os anos em que ele passou morando nos Estados Unidos, das confusões que ele acabou se metendo por lá. E na sua volta para o Brasil, vemos Tim se metendo em mais encrencas para juntar dinheiro para se mudar para São Paulo na tentativa de realizar seu grande sonho: se tornar um músico famoso. Ele acaba tendo um caminho bastante árduo pela frente e isso é retratado no filme, e durante essa longa jornada ele acaba conhecendo algumas pessoas que ele acaba estabelecendo uma forte conexão.

Nunca fui uma grande fã de filmes nacionais, mas esse foi um que me chamou a atenção antes mesmo de lançar. Tinha ido ver "O Candidato Honesto", com a minha família e quando passou o trailer do "Tim Maia", e nesse momento eu afirmei para os meus pais que eu iria assistir ao filme assim que ele lançasse. Por mais que acabe soando muito clichê, gosto de comparar essa sensação com a do amor à primeira vista. Quando alguém vê uma pessoa e logo diz "Eu amo fulano", e comigo acabou sendo "Eu tenho que ver esse filme". Pelo menos essa relação acabou fazendo algum sentindo na minha cabeça, então não posso culpar se ninguém me entender, mas se você  se identifica com essa minha lógica maluca não deixe de comentar.

Admito que não sou uma das grandes fãs do cantor, apenas conheço algumas músicas dele devido a influência da minha mãe. Mas após esse filme eu passei a gostar ainda mais dele e, principalmente de suas músicas. E só tenho de lamentar pela morte dele. No dia 15 de março, de 1998, o Brasil acabou perdendo um grande músico, compositor, um verdadeiro gênio. E apesar dos erros que ele cometeu, das pessoas que ele magoou, é impossível não ficar tocado quando é anunciada a morte dele.

Acho que todo mundo deveria tirar um tempinho (aproximadamente 2:30 horas, é bem longo) do seu dia para ir ao cinema mais perto de casa e assistir ao filme, não importa se você é fã dele ou não. Uma história de vida emocionante, e louca feito essa deveria ser conhecida por todos. E assim como todo filme brasileiro ele tem sua pitada de comédia, e um vocabulário bastante rico em palavrões, o que combina com Tim Maia, de certo modo, pois ele era conhecido por arranjar briga facilmente com as pessoas (é citado que ele tem aproximadamente 49 processos contra ele).

Curiosidades:
  • Baseado no livro "Vale Tudo - O Som e a Fúria de Tim Maia", de Nelson Motta.
  • Os atores Vladimir Brichta e Fernanda Torres foram convidados para atuar no longa-metragem, mas tiveram que recusar devido a compromissos profissionais já agendados.
Ficha Técnica:
  • Título: Tim Maia.
  • Gênero: Drama, Bografia. 
  • Direção: Mauro Lima.
  • Elenco: Babu Santana, Robson Nunes, Alinne Moraes, Cauã Reymond, Laila Zaid, Nando Cunha, George Sauma, Luis Lubianco. 
  • Duração: 2h20min.



Faz um bom tempo desde que eu não vou para o cinema junto dos meus amigos, mas com a chegada das férias o tempo livre aumenta, consequentemente pretendo ir mais ao cinema. E para não me perder nesses planos envolvendo filmes aqui vai uma listinha dos filmes que eu pretendo ver.

1- Simplesmente acontece (Love, Rosie) 
"Rosie (Lily Collins) e Alex (Sam Claflin) são amigos inseparáveis desde a infância, enfrenando juntos os problemas do primeiro amor, primeira relação sexual, primeiras decepções... Até o dia em que Alex se muda com a família para os estados Unidos. Como ficará o relacionamento dos dois?"

Esse filme foi inspirado no livro "Simplesmente Acontece" da Cecelia Ahern, você pode encontrar a resenha dele aqui no blog, e aqui o link do trailer no YouTube












2- A Teoria de Tudo (The Theory of Everything)
"Baseado na biografia de Stephen Hawking, o filme mostra como o jovem astrofísico (Eddie Redmayne) fez descobertas importantes sobre o tempo, além de retratar o seu romance com a aluna de Cambridge Jane Wide (Felicity Jones) e a descoberta de uma doença motora degenerativa, quando ele tinha apenas 21 anos."


Quando eu vi o trailer do filme me apaixonei pela história dele, e por se tratar de uma história real acho que tudo fica mais emocionante. Além disso, sou uma grande fã do Eddie (Redmine, Redmeu) Redmayne, portanto não poderia deixar de assistir. 















3- Jogos Vorazes: A Esperança Parte 1 (The Hunger Games - Mockingjay: Part 1)
"Após sobreviver por duas vezes aos Jogos Vorazes, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) servirá como símbolo de uma revolução iniciada no Distrito 13. Além de ter que manter sua imagem de ícone, a jovem ainda precisa se preocupar em defender sua mãe e sua irmã no meio da guerra."

Tudo indica que esse é um dos filmes mais esperados para o ano de 2014, além de um dos mais fodas. Ele estreia amanhã, então se você não garantiu seu ingresso é melhor correr para comprar e se garantir (eu já tenho o meu, não para o dia 19, mas acredito que nesses próximos dias todas as sessões vão estar lotadas). E enquanto o filme não lança aqui está o link do trailer para aumentar a ansiedade do povo!







Título: Simplesmente Acontece
Autor(a): Cecelia Ahern
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 448
Classificação: 3/5

Esse é um livro antigo (também conhecido pelo título de "Onde Terminam os Arco-Íris") que eu acabei descobrindo quando vi o trailer do filme "Love, Rosie". Como uma grande amante de filmes e livros e assim descobri que a história foi inspirada no romance da Cecelia Ahern. Assim que fiz questão de conseguir comprar o livro e apesar da demora para o adquirir finalmente consegui realizar o meu objetivo.

"Um encantador romance sobre dois amigos de infância com quem o destino parece brincar. De crianças travessas a adolescentes rebeldes, Rosie e Alex uniram-se como unha e carne, mas a família de Alex se muda e eles se separaram. A mágica conexão entre os dois acompanha os altos e baixos da vida de cada um, mas nenhum deles sabe se sua amizade conseguirá sobreviver à distância. Mal-entendidos, circunstâncias e a mais absoluta má sorte os mantiveram separados. Mas quando se virem diante da última oportunidade, apostarão tudo em nome do verdadeiro amor?"
O livro conta a história de Alex Stewart e Rosie Dunne, que são dois melhores amigos que se conheceram quando tinham apenas cinco anos e desde então acabam se tornando inseparáveis, sempre superando algumas brigas e obstáculos que aparecem na vida de ambos. Juntos eles acabam se metendo em grandes confusões juntos, além de bolarem planos para o futuro. Contudo, devido o emprego do pai de Alex, ele e sua família acabam tendo de se mudar de Dublin para Boston, Estados Unidos. Rosie até que tenta convencer o Sr. e a Sra. Stewart deixarem Alex em sua casa para que ele acabe o colégio, mas acaba não adiantando.

Mesmo vivendo em continentes diferentes os dois amigos se aproximaram ainda mais, ao invés de se afastarem. Fazendo com que eles passem a trocar cartas cheias de conteúdo um para o outro, e com maior frequência, apesar de que em algumas ocasiões ambos estão ocupados e acabam se atrasando com as correspondências. E assim, por meio de cartas, e-mails, mensagens de texto e algumas visitas surpresas que Alex e Rosie vão se mantendo próximos apresar dos anos que vão se passando, além da maldita distância que os separa.
"De: Rosie
Para: Alex:
Assunto: Fica comigo!
 Não vá! Minha mãe e meu pai disseram que você pode ficar aqui com a gente este ano! Termina os estudos aqui em Dublin e nós dois decidimos o que fazer depois! Por favor, fique! Vai ser tão legal nós dois aqui, morando juntos. Vai ser igual àquela época em que a gente  era criança e ficava um acordando o outro a noite inteira com aqueles walkie-talkies!..."
Quando eu vi o trailer do filme acabei me apaixonando por ele, e quando descobri sobre o livro automaticamente acabei me apaixonando. Reconheço que coloquei muitas expectativas em relação a ele, e acabei me decepcionando um pouco com o fato do livro acontecer somente por troca de bilhetinhos, cartas, e-mails... Estava imaginando algo totalmente diferente do que foi.

Mas o livro também tem os seus pontos positivos, adorei o fato da autora ter fortalecido a amizade entre a Rosie e o Alex depois da mudança dele, ela poderia muito bem ter afastado ambos e criado um reencontro vários anos mais tarde. Ao longo da leitura, muitas vezes, eu desejei ter um melhor amigo como o Alex Stewart, ele sempre fez questão de estar ao lado da Rosie, tanto fisicamente quando simbolicamente, durante os melhores e piores momentos da vida dela. Também acabei dando muitas risadas com algumas discussões estabelecidas entre os dois.
   





"Em 1994 um conflito político em Ruanda levou à morte de quase um milhão de pessoas em apenas cem dias. Sem apoio dos demais países, os ruandenses tiverem que buscar saúdas em seu próprio cotidiano para sobreviver. Uma delas foi oferecida por Paul Rusesabagina (Don Cheadle), que era o gerente do hotel Milles Collines, localizado na capital do país. Contando apenas com sua coragem, Paul abrigou mais de 1200 pessoas durante o conflito."
O filme se passa no ano de 1994, em Kigali, capital da Ruanda. Uma agitação toma conta do local devido alguns conflitos de etnia que estão acontecendo entre a população que se divide em: hutu e tutsi —  Os tutsi são reconhecidos por terem a pele mais clara, o nariz mais fino e o porte melhor. Já os hutus, são opostos a essas características. Essa diferenciação foi feita pelos colonizadores belgas, que buscavam nos habitantes nativos negros, os que tivessem as características mais próximas que às características europeias. Contudo, após a miscigenação entre as duas etnias, a única coisa que os diferencia é o seu documento —, muitas autoridades e líderes importantes, jornalistas estão hospedados no Hotel Milles Collines para acompanhar às questões políticas do país.

O gerente do hotel Paul Rusesabagina, está aproveitando a oportunidade para conseguir fazer amizades com pessoas influentes caso no futuro ele e sua família venham precisar de ajuda, mas ele se mantem positivo, crente de que um acordo de paz seria assinado. Contudo, o presidente de Ruanda morre em um atentado após assinar um acordo de paz. Imediatamente os hutus entram em guerra aos tutsis, dando início a matança de tutsis.

Logo quando essa notícia é anunciada nas rádios, Paul corre para sua casa, preocupado com a sua família, já que sua mulher e filhos são tutsis. Chegando em sua residência ele se depara com toda sua família e vizinhos escondidos em um cômodo, uma vez que ele é o único hundu em que eles confiam. Relutante, ele decide ajudar à todos e os leva para o hotel onde trabalhava, no entanto, assim que chegou lá se deparou com alguns homens hutus e precisou barganhar com eles para assegurar a vida de sua mulher, filhos e vizinhos.

O Hotel Milles Collines que era um mar de tranquilidade, se transformou de uma hora para a outra se transformou em um local de tensão e confusão. Turistas tentando ir embora embora, ruandenses que vão chegando em busca de abrigos, funcionários que param de trabalhar... Pelo menos, devido a compra de favores dos militares e da milícia Interahamwe, Paul consegue manter o hotel a salvo.

E a esperança vai diminuindo quando tropas belgas surgem, mas ao invés de ajudarem a população, eles etão lá apenas para resgatar os estrangeiros, não tendo como objetivo interromper o massacre de tutsis pelos hutus.

Nesse contextos, Paul se vê em uma situação complicada para proteger o hotel e os refugiados que nele se encontram. Em um ato de compaixão ele começa a fazer todos os esforços possíveis para proteger os tutsis do genocídio.
"Não virão nos resgatar. Não virá um exército de intervenção. Temos que salvar a nós mesmos. Muitos aqui conhecem pessoas influentes. Liguem para eles. Vocês devem contar o que vai nos acontecer. Digam adeus. Mas quando disserem adeus, façam como se, através do telefone, segurassem a mão deles. Façam com que saibam que, se eles soltarem a mão, vocês vão morrer. Façam com que sintam vergonha e mandem ajuda."
Esse é um filme extremamente comovente, apesar de contar com cenas muito fortes de espancamento. Sem contar do caráter altamente reflexivo, mesmo que de uma forma implícita, fica colocado que, se não fosse pela colonização belga esse massacre, possivelmente, não teria acontecido. Durante o processo de colonização da Bélgica, os tutsi correspondiam aproximadamente 15% da população de Ruanda. Mesmo sendo minoria, eles foram escolhidos pelo poder colonial para governar o país pelo fato de terem a cor da pele mais clara, o nariz mais fino e por serem mais altos. A maioria hutu, que correspondia à 85% da população, ficou excluída do processo socieconômico do país. De um modo geral, boa parte dos conflitos que já aconteceram e estão acontecendo no continente africano, são resultados da colonização dos europeus, que "redesenharam" o continente, separando tripos, e juntando etnias inimigas.

A história também é capaz de gerar indignação em quem assiste, pelo fato das tropas estrangeiras tendo indo embora, deixando os ruandenses por si só. Pessoalmente, me questiono se isso teria acontecido caso o conflito tivesse ocorrido em outro lugar, como França, Bélgica, Portugal... Na verdade, acredito que se fosse em um desses lugares, mais tropas seriam enviadas ao invés de se retirarem.

E algo que me comoveu,foi o fato de Paul Rusesabagina ter dado sua própria vida para ajudar sua família, amigos e e completos estranhos. Mais pessoas como ele deveriam existir.

Curiosidades:

  1. O Diretor Terry George tinha o ator Don Cheadle em mente para protagonizar Hotel Ruanda desde o começo de seu envolvimento no projeto. Vários estúdios chegaram a se interessar em produzir o filme desde que ele fosse estrelado por um ator mais conhecido, como Denzel Washington, Wesley Snipes, Mekhi Phifer e Will Smith, mas o diretor preferiu rodá-lo de forma independente e manter Cheadle no papel.
  2. O personagem de Nick Nolte foi parcialmente inspirado no general Roméo Dallaire, oficial canadense que comandou as Forças de Paz das Nações Unidas durante o genocídio ocorrido em Ruanda.
  3. A primeira versão do roteiro levou um ano para ser escrita. Durante esse processo um dos roteiristas ligou para a embaixada de Ruanda em Wahington, para solicitar informações sobre o caso. A mulher que atendeu ao telefone era justamente um dos sobreviventes do caso retratado no filme.
  4. Os verdadeiros Paul e Tatiana Rusesabagina retornaram a Ruanda, juntamente com o diretor Terry George, para que pudessem realizar pesquisas para o filme. O trio foi recebido por várias pessoas da população local no aeroporto.

Ficha técnica:

  • Título: Hotel Rwanda (Hotel Ruanda).
  • Gênero: Drama.
  • Direção: Terry George.
  • Roteiro: Terry George e Keir Pearson.
  • Elenco: Don Cheadle, Sophie Okonedo, Desmond Dube, Hakeem Kae-Kazim, Nick Nolte, Joaquin Phoenix.
  • Duração: 121 min.




Título: Mayada - Filha do Iraque
Autor(a): Jean P. Sasson
Editora:Best Seller
Número de páginas: 263
Classificação: 4/5

Quando se é estudante, muitas vezes acabamos tendo de ler livros para a escola. Nem sempre os livros indicados pelos professores acabam agradando aos alunos, às vezes uma boa parte acaba não lendo. E em algumas ocasiões ocorre do livro indicado agradar a turma, no geral, além de contar uma história profunda e muito emocionante.
"Mayada, relata a história verídica de Mayada Al-Askari. Apesar de pertencer a uma influente família iraquiana, ela foi presa e torturada pela polícia secreta de Saddan Hussein sob a falsa acusação de imprimir propaganda contra o governo em sua gráfica. Existem muitas especulações ao redor do mundo sobre as crueldades de Saddan Hussein. Em Mayada: Filha do Iraque, as especulações deram lugar a fatos verídicos através da história de uma mulher que conheceu profundamente o regime de Saddan e o terror. Viveu sob a intimidação e o silêncio impostos pelo tirano e viu de perto como o país se transformou em uma das maiores ditaduras da história contemporânea. A sensibilidade da autora, sua intimidade com a personagem e com os cenários que retrata tornam o livro uma obra apaixonante e inesquecível."
Mayada relata a história de uma mulher iraquiana que nasceu em uma boa família, uma vez que os Al-Askari eram influentes. Mas apesar disso, um acontecimento fatídico acaba ocorrendo no ano de 1999. Mayada acaba sendo presa, e ela não sabe explicar o por quê disso. Ela era uma mulher que levava uma vida tranquila junto de seus dois filhos (Fay e Ali), não fazia ideia do que poderia ter feito para ser interpretado como algum tipo de oposição contra o governo.

Sua vida acaba virando de cabeça para baixo, em uma questão de segundos a sua vida acabou tendo uma virada radical em uma questão de segundos, praticamente. Mayada acabou sendo levada para Baladiyat, o quartal general da polícia secreta iraquiana, onde também havia um complexo carcerário. Somente quando ela chegou lá acabou descobrindo o motivo de estar sendo acusada. A acusação era de que ela estava imprimindo folhetos contra o governo, já que Mayada era dona de uma — pequena — gráfica.
"Mayada ficou muda, sem saber qual palavra ou gesto poderia salvá-la. Os três homens reviraram as dependências de sua pequena gráfica. Despejaram o conteúdo das latas de lixo, vasculharam sob as cadeiras, abrira aparelhos de telefone com chaves de fenda. Depois carregaram seus valiosos computadores e impressoras e os depositaram nos porta-malas dos dois Toyota Corollas brancos, veículos prediletos da polícia secreta iraquiana. Ao vê-los fazer isso, Mayada pensou que nunca teria de novo recursos para substituir os equipamentos. Impotente, assistindo à destruição de seu futuro, lentamente amassou os papéis do estudante tunisiano que tinha nas mãos."  
Mayada acabou sendo presa na cela 52, e no momento em que isso aconteceu o número parecia atingir o seu coração como um punho de aço — o número 52 era um número de má sorte que perseguia a sua família há gerações. A tentativa de implorar para ficar em outra cela acabou gerando nenhum resultado, ela foi empurrada com violência para dentro do lugar. Ela passa a dividir o local com outras 17 mulheres que também se encontravam em uma situação semelhante à dela, desse modo, as mulheres-sombras (modo que Mayda chamava suas companheiras) e Mayada começaram a contar suas histórias e aos poucos acabam se transformando em amigas.  Elas começaram a ajudar umas às outras, a rezar toda vez que uma delas era torturada — um verdadeiro "hábito" entre elas, visto que, todos os dias várias mulheres da cela eram levadas para a tortura.
"As mulheres começaram a falar de suas próprias vidas. Mayada ficou sabendo que uma delas, Iman, era xiita do sul. Uma outra, Safans, era curda. Outra, sunita  de Bagdá. Elas pediram a Mayada que contasse tudo o que havia visto fora da cela. Mayara suspirou pesadamente e disse que não conseguia falar, mas, que, no dia seguinte, responderia de boa vontade a todas as perguntas."  
Um mês depois Mayada acabou sendo solta, ela voltou para os seus filhos, Fay e Ali, e acompanhada dos dois fugiu para a Jordânia. Somente no dia 15 de abril de 2003, os integrantes da coalização declararam o término da Guerra no Iraque. Foi nesse momento que Mayada decidiu contar sua história ao mundo.
"Esse era o segundo momento na história do Iraque moderno em que uma página em branco se abria no livro da nação, uma página em que os anais da história estavam à espera de serem  escritos, uma página que descreveria o futuro do Iraque.
Mayada olhou para o leste e rezou:
— Que Alá guie a mão que escreve nessa página em branco." 
O livro "Mayada - Filha do Iraque", conta uma história emocionante e triste ao mesmo tempo o que pode tornar a leitura dele um pouco difícil para algumas pessoas. Os detalhes são extremamente ricos dando a sensação de que o leitor está lá no local presenciando determinada cena, o que pode levar algumas pessoas a se questionarem sobre: como uma pessoa é capaz de suportar tudo aquilo? Quais são os limites da maldade humana? O mais duro de tudo é pensar que aquilo realmente aconteceu com um ser humano, na verdade, mais de um. Apesar disso, se trata de um ótimo livro cuja leitura flui com grande facilidade, além de contar uma história que todos deveriam conhecer.


É um conhecimento geral de que o mês de Outubro há duas datas relativamente importantes que são: O Dia das Crianças (12/10), e o Halloween (31/10). Pensando nisso eu resolvi buscar um modo de homenagear essas duas datas aqui no blog, depois de muitas ideias concluí que nada seria melhor do que falar sobre o filme Hocus Pocus (Abracadabra). Ele se passa no Halloween, e fez parte da infância de boa parte das pessoas, pelo menos é o que eu acredito (mesmo o filme sendo de 1993 ─ quatro anos antes de eu nascer ─ tive a oportunidade de conhecê-lo devido o canal Disney Channel, durante a época da minha infância esse filme passava direto lá, principalmente, no mês de outubro).
"Winnie (Bette Midler), Sarah (Sarah Jessica Parker) e Mary (Kathy Najimy) são três bruxas do século XVIII, que chegam ao século XX após seus espíritos serem evocados no Dia das Bruxas há 300 anos devido à pratica de feitiçaria, elas estão dispostas a tudo para garantir sua juventude e imortalidade. Porém precisarão enfrentar três crianças e um gato falante, que podem atrapalhar seus planos." 
O filme começa no ano de 1693, na cidade de Salém, onde três irmãs bruxas: Winifred "Winnie", Sarah e Mary Sanderson, estão atraindo crianças para poderem sugar a energia vitais delas, e ficando mais jovens. Uma garotinha chamada Emily acaba sendo atraída pelas bruxas, mas ela não saiu despercebida. Seu irmão mais velho, Thackery Binx, nota que sua irmã está indo em direção a casa das bruxas que fica na floresta, desse modo, ele a segue na tentativa de a salvar, mas Binx acaba chegando tarde demais e é obrigado a ver a sua irmã morrendo. E como se isso não fosse o bastante, as irmãs Sanderson acabam transformando Thackery em um gato preto, imortal e falante, devido uma ofensa que ele havia direcionado a elas.

Por uma questão de minutos, os aldeões da cidade não chegaram a tempo de ver o que aconteceu com Binx, sendo assim ele acabou sendo "declarado" como morto junto de sua irmã Emily. Como punição as irmãs Sanderson são sentenciadas a morte, mas antes de serem enforcadas, Winifred acaba lançando um feitiço capaz de fazer que elas voltem do mundo dos mortos quando um virgem acendesse a vela da chama negra. Sem meios de regressar para sua família, Thackery resolve usar a sua imortalidade para guardar a casa das bruxas na tentativa de impedir que alguém acenda a vela.

No entanto, 300 anos após a morte de Winnie, Sarah e Mary, no ano de 1993 o feitiço que elas lançaram antes de serem enforcadas acabou se realizando. Apesar dos esforços de Binx, ele não consegue impedir Max Dennison (Omri Katz), um adolescente que se mudou de Los Angeles para Salém, junto de seus pais e sua irmã mais nova Dani (Thora Birch). Ele não estava com grandes expectativas para o Halloween daquele ano, mas ao se apaixonar por Allison (Vinessa Shaw), uma jovem que adora o Dia das Bruxas e que possui um grande conhecimento das irmãs Sanderson, faz com que o rumo das coisas acabe mudando. Max, Dani e Allison se juntam e juntos vão há antiga casa das bruxas.

Os três acabam mexendo em vários objetos, e nesse momento Max acaba acendendo a vela da chama negra (mas antes foi atacado por um gato preto, o Binx) fazendo com que Winnie, Sarah e Mary acabem retornando do mundo dos mortos. Enquanto as irmãs Sanderson estão bolando um plano para sugarem as energias vitais das crianças e ficarem lindas e jovens para sempre, Max, Dani e Alisson tem de impedir que as bruxas acabem concretizando o plano do mal delas, mas não encontram ninguém que acredite na volta delas, assim como, as pessoas acham que as irmãs são apenas três velhotas que já estão muito velhas para o Halloween.

Esse filme me conquistou na primeira vez em que eu o vi, ao mesmo tempo que era um pouco assustador, também tinha uma pitada de comédia (as bruxas tentando se adaptar ao século XX, realmente, é algo muito cômico). Lembro que ele era um dos motivos principais para que eu ficasse animada com a chegada do Dia das Bruxas, que para mim era o sinônimo de "Abracadabra passando direto na Disney". Bons tempos aqueles. E anos mais tarde, acabei comprando o DVD para assistir ao filme sempre que quisesse, um ato do qual não me arrependo, já que faz um bom tempo desde a última vez que eu vi Abracadabra sendo exibido na TV.

Também fiquei um bom tempo viciada na versão da música "I Put a Spell On You", que as irmãs Sanderson acabaram cantando.

Curiosidades:

  1. A canção "Almost Unreal", do Roxette, inicialmente faria parte da tilha sonora de Abracadabra, mas foi descartada. Amúsica integrou a trilha sonora de Super Mario Bros. (1993), lançado no mesmo ano
  2. A personagem Mary Sanderson foi oferecida a Rosie O'Donnell, que não aceitou por não querer interpretar uma "bruxa assustadora".
  3. O personagem Max Dennison foi oferecido a Leonardo DiCaprio, que recusou para atuar em Gilbert Grape - Aprendiz de Sonhador (1993).
Ficha Técnica:

  • Título: Hocus Pocus (Abracadabra)
  • Gênero: Fantasia, comédia, família, terror. 
  • Direção: Kenny Ortega
  • Elenco: Bette Midler, Sarah Jessica Parker, Kathy Najimy, Thora Birch, Vinessa Shaw, Omri Katz, Charles Rocket, Stephanie Faracy, Doug Jones, Sean Murray, Amanda Shepherd.



Antes de começar com a resenha eu gostaria de me desculpar com os seguidores do blog devido o período de um mês de inatividade, mês passado eu tive muitos problemas coma internet daqui de casa que acabou parando de funcionar. Felizmente, esse problema foi superado e eu vou voltar a apostar aqui com maior frequência.

Título: Johnny Depp -Biografia Ilustrada
Autor(a): Nick Johnstone
Editora: Universo dos Livros
Número de páginas: 208
Classificação: 5/5

Todo mundo que me conhece sabe que o Johnny Depp é o meu ídolo, nunca me canso de descobrir novas informações e curiosidades sobre ele, de assistir os filmes dele ou de sempre arranjar algum pôster e colocar na parede do meu quarto, que por sinal, já está lotada. Sabendo disso, o meu pai resolveu me dar esse livro de presente durante a Bienal do Livro 2014.

"Johnny Depp ─ Biografia ilustrada traz mais de 140 fotos de um dos maiores atores de todos os tempos. Comparado a Marlon Brando, Depp foi responsável por alguns dos grandes sucessos de bilheteria de Hollywood, como Piratas do Caribe, Alice no País das Maravilhas e A Fantástica Fábrica de Chocolate. Essa é uma biografia que percorre toda a sua trajetória profissional e pessoal, trazendo os bastidores, as curiosidades e uma filmografia completa e detalhada."

"Excelente ator, bad boy, descolado, rebelde, outsider de Hollywood, ídolo adolescente, camaleão, papai dedicado, arrasa-corações, galã às avessas, maverick." 
Há 51 anos, em 9 de junho de 1963, em  Owensboro, Kentucky, nascia John Christopher Depp II
(mas para não se confundir com o seu pai, a família passou a chamá-lo de Johnny), o quarto filho de John Depp, um engenheiro, e Betty Sue, uma garçonete que trabalhava em uma cafeteria local. Eles nunca foram a família mais rica de região, na verdade, viviam com uma renda apertada; anos mais tarde Depp descreveria sua criação como "pobre".

Com apenas 13 anos, mudou-se junto de sua família para a Flórida, uma época marcada pela instabilidade e a incerteza. Lá, Johnny e sua família tiveram de morar em uma sucessão de hospedarias enquanto seus  pais estavam na busca por empregos. As mudanças eram tão constantes que, com apenas 15 anos, Depp já havia morado em cerca de 20 casas diferentes. Adaptar-se aos novos lares às vezes chegava a ser um desafio. Na escola, ele era um completo outsider, tinha problemas com alguns professores (uma vez chegou a receber suspensão, que durou 15 dias, por mostrar suas nádegas para uma professora que era hostil com ele), mas mesmo assim conseguiu fazer alguns amigos.

Essa época coincidiu com o seu interesse pelo rock'n'roll, de certa forma, até que combinava com o seu comportamento rebelde. Escavar túneis, gravar conversas ou ler livros sobre Evil Knievel ou sobre os nazistas deixaram de ser suas atividades favoritas, ele não se contentava mais com isso. Depp preferia escutar o Kiss, descobrir as drogas e bagunçar na escola. Não estava fazendo nada muito bom, mas graças a sua mãe que o presenteou com uma guitarra, Johnny encontrou uma oportunidade de extravasar positivamente suas frustrações. Isso o fez criar uma meta, uma ambição: se tornar um guitarrista famoso, formar uma superbanda e ser um astro do rock.

Mal podia imaginar que alguns anos mais tarde a sua vida mudaria de curso, completamente, devido a sua ex-mulher Lori Anne, que no desespero de tentar ajudar Johnny a encontrar um caminho na vida que o fizesse feliz, ela o apresentou ao ator Nicolas Cage. A amizade entre ambos aconteceu de modo natural e, quando Cage descobriu o sonho de Depp em relação à música, ele perguntou ao amigo o que ele acharia de ser um ator. Na hora, por mais que a pergunta fosse apenas algo casual, acabou sendo o ponto de virada na vida de John Christopher Depp II.

Detectando um talento oculto em Johnny, Nicolas recomendo-o para uma agente que ele conhecia (Tracey Jacobs), mas mesmo concordando em se encontrar com ela, Depp não tinha intenção de deixar de lado o seu amor pela música. Mesmo com a sua falta de experiência como ator, Jacobs o encaminhou para o teste de um personagem no novo filme de terror do diretor Wes Craven, e para a grande surpresa de todos, horas mais tarde Johnny recebeu a notícia de que ele ganhará o papel de Glen Lantz, o namorado.

A Hora do Pesadelo, foi o primeiro dos muitos filmes que Johnny viria ao fazer ao longo de sua carreira, e ao longo dos anos ficou bastante claro o talento de Depp como ator e o tipo de personagens que ele gostava de interpretar, que deixaram de ser bonitinhos para se tornarem cada vez mais excêntricos.
"Não quero fazer carreira tirando a camisa. A vontade que me dá é de raspar todo o cabelo, todos os pelos, até as sobrancelhas... Aí eu quero ver!"
 Ao longo de sua carreira um dos personagens mais excêntricos que ele já interpretou (se não for o mais), e que recebeu maior notoriedade foi o Capitão Jack Sparrow.

Quando iniciaram-se as filmagens de Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra, em outubro de 2002, ninguém se surpreendeu  ao saber que Johnny Depp iria fazer o personagem principal, já tinha se tornado sua marca em Hollywood a sua escolha por papéis nada convencionais.

O Capitão Jack acabou sendo a combinação de um personagem de desenho animado: Pepe Le Pew (Pepe Le Gambá), um rastafari, e o guitarrista dos Rolling Stones, Keith Richards. E para o papel, Johnny mandou folhear a outro quatro dentes, além de fazer uma tatuagem falsa de um pardal (que após o término das filmagens se tornou definitiva, e acrescentou o nome de seu filho Jack). Vários executivos de alta patente da Disney, após observarem algumas cenas, ficaram inseguros como o personagem seria recebido pelo público, mas quando o filme estreou e se tornou um megassucesso de bilheteria, Johnny recebeu um telefonema dos mesmos executivos, eles o parabenizaram.
"Ele não é um ator que segue a tradição. O que ele usa é a osmose." 

 
 O livro é rico em detalhes e fotografias que contam a história do Johnny Depp, desde a sua infância, passando por sua adolescência um tanto conturbada, até os dias atuais. É um verdadeiro paraíso para os fãs do ator, pessoalmente, a leitura da biografia me fez o admirá-lo ainda mais como pessoa. Ao longo da vida ele cometeu alguns erros, mas os superou. Também, admiro o fato dele ter passado a interpretar apenas personagens que o interessam, não pensando simplesmente no dinheiro ou no sucesso, ainda mais que, nem todos os filmes em que ele atuou tiveram uma grande bilheteria ou críticas positivas. 

Recomendo a leitura para pessoas de todas as idades, as fãs do ator e as que não são fãs. Essa é uma história de vida que merece ser conhecida por mais gente.      



Existem algumas coisas que são eternas, ou marcam as pessoas até o fim delas. Isso não é diferente da série F.R.I.E.D.S, e como uma forma de homenagear essa série querida e uma das minhas preferidas, eu decidi fazer uma lista com os meus 5 episódios favoritos.

01)The Pilot (episódio 1, temporada 1): "Monica fala com os rapazes sobre Paul, o cara do vinho, e ela jura que não está saindo com ele. Ross está depressivo, porque sua ex-mulher acabou de se mudar para viver com sua amante. Então, Rachel invade o Central Perk vestida de noiva, porque acabou de deixar o noivo plantado no altar. Rachel diz a seu pai que ficará com Monica, para a surpresa da irmã de Ross". Por ser o primeiro episódio da série eu tenho um grande carinho por ele, afinal, foi onde tudo começou e não se pode ignorar isso. É nele que cada um dos personagens são apresentados, que conhecemos o Central Perk... É como se fosse o primeiro dia de aula de uma criança em uma nova escola, apenas o início de uma longa jornada, e que no fim vai deixar muitas saudades. 

02)The One Without the Ski Trip (episódio 17, temporada 3): "A briga de Ross e Rachel faz com que a turma tente se divertir com eles, separadamente. Rachel convida todos, exceto Ross, para ir esquiar no fim de semana. Eles ficam trancados do lado de fora do carro, numa parada de descanso. . Ross vai socorrê-las, mas fica preso, porque sua bateria acaba". Ao mesmo tempo em que esse episódio me deixa triste devido essa divisão dos amigos, fiquei feliz de ver o Ross e a Rachel fazendo as pazes pelo bem do grupo, principalmente, pelo bem do Chandler que voltou a se comportar do mesmo modo quando seus pais se separaram: sendo irônico a maior parte do tempo, e fumando muito. 

03)The One With The Embryos (episódio 12, temporada 4): "Phoebe faz um teste para saber se pode ser a barriga de aluguel de seu irmão e Alice. Um joguinho inocente traz uma grande mudança para Rachel, Mônica, Joey e Chandler". Tenho certeza que muitas pessoas podem achar estranho o fato da Phoebe querer ser a barriga de aluguel de seu irmão, realmente é algo incomum. Mas para mim, mostra o quão puro é o coração dela ao ponto de ajudar o irmão com isso. E a aposta entre a Monica, Rachel vs Ross, Joey e Chandler é bastante engraçada! Nesse episódio é mostrado que nenhum dos amigos sabe qual é o trabalho do Chandler, além de mostrar uma Monica extremamente competitiva. 

04) The One With All the Days of Thanksgiving (episódio 8, temporada 5): "A turma relembra seus piores Dias de Ação de Graça. Phoebe volta a 1862. Histórias elaboradas são contadas para tentar descobrir a pior memória de Mônica". Na minha opinião, os episódios que contem flashbacks são os mais engraçados de todos, e como de costume não consegui evitar de rir com esse! De todas as piores lembranças a da Monica realmente ganha, pois devido o seu plano de vingança Chandler acabou perdendo parte do seu dedinho do pé. Obviamente ele fica bravo com ela, mas eles acabam fazendo as pazes no mesmo dia.

05) The One With Ross' Inappropriate Song (episódio 7, temporada 9): "Quando o ex-rival de Chandler pelo amor de Monica, decide vender seu apartamento, ele pede a Joey que o ajude a inspecionar o imóvel secretamente. Os rapazes ficam aterrorizados ao descobrir uma velha fita de vídeo que parece mostrar Monica transando com seu ex-namorado. Enquanto isso, Ross acidentalmente descobre que cantar a sugestiva canção "Baby Got Back" faz com que Emma ria pela primeira vez, mas ele teme contar o truque para Rachel. E Phoebe falha ao tentar impressionar os sofisticados pais de seu namorado, Mike". Pra mim, esse é um dos mais divertidos da série. Para começar temos Rachel e Ross, cantando um rap sobre bunda grande para fazer a filha deles rir. Também, vemos a Phoebe conhecendo os pais do Mike, e se esforçando para eles gostarem dela.
Curiosidades:
  1. No primeiro piloto de Friends gravado, Jennifer Aniston interpretou a Monica, enquanto Courtney Cox fez o papel de Rachel. Não rolou muito bem e os diretores inverteram os papéis.
  2. Rachel foi a única a beijar todos os atores e atrizes principais: Ross e Joey, porque namorou os dois, Monica para ter o apartamento delas de volta, Phoebe para provar que beija bem e Chandler, na época em que ele estava escondendo o namoro com Monica de todo mundo
  3. O macaquinho Marcel, pet do Ross, saiu da série por um motivo bem engraçado, mas que só foi divulgado anos depois: ele foi cortado da série porque ficava jogando seu próprio cocô nos atores.
  4. O título original era "Friends Like Us", mas acabou sendo abreviado para "Friends". "Once upon a time in the West Village", "Insomnia Cafe" e "Across the Hall" estavam entre os títulos mais cotados para o seriado.
  5. Quando Ursula aparece em Friends, a irmã de Lisa Kudrow é que faz as tomadas de costas.
  6. Os produtores do programa admitem que os personagens de "Friends" jamais poderiam pagar o aluguel do apartamento que moram, só com o que ganham.
  7. Os personagens da ex-mulher do Ross e sua namorada (Carol e Susan)foram inspirados nas madrinhas da filha da Marta Kauffman.
  8. Matt LeBlanc tinha apenas 11 dólares quando ele entrou para o elenco de "Friends".
  9. O elenco todo se reúne, antes de cada episódio, para se desejarem sorte. Isso fez com que o convidado Tom Selleck, que apareceu em vários episódios, se sentisse meio de fora.
  10. O Central Perk, o Café onde os personagens vão, foi inspirado no Manhattan Cafe que fica em Nova York, no West Village.
 


Título: Maluca Por Você
Autor(a): Rachel Gibson
Editora: Jardim dos Livros
Número de páginas: 120
Classificação: 3/5

Quando gosto muito de um autor, ou autora, sempre procuro estar comprando os livros que ele/ela escreveu, e isso não é diferente com Rachel Gibson. Com seus livros envolventes e com capas lindas, fica um pouco difícil de não comprar, e parar de ler é outro desafio.
"Um charmoso policial acaba de chegar à cidadezinha de Lovett, no Texas. Seu nome é Tucker Mattews. Tudo o que ele quer é um pouco de sossego e um lar para chamar de seu. Seu e de Pinky, sua gatinha de estimação, deixada com ele por uma ex-namorada louca. Mas parece que Tucker tem sorte (ou azar) para mulheres doidas. Sua nova vizinha é ninguém menos que Lily Brooks, ou, a Maluca Lily Darlington, famosa na cidade pelos excessos do passado, como quando entrou com o carro dentro do escritório do ex-marido cretino. Fofocas à parte, Tucker não imaginou que no lugar da suposta barraqueira fosse conhecer uma baita mulher em seus trinta e oito anos, linda, inteligente, sexy e engraçada, que irá virar sua cabeça do avesso. Maluca por você é um romance apimentado e divertidíssimo! Você não vai conseguir parar de ler!" 
Lily Darlington (também conhecida por seu sobrenome de solteira: Brooks) é uma mulher divorciada que precisa lidar com as responsabilidades de ser uma mãe solteira, com o seu próprio negócio: o Salão e Spa Lily Belle, e ainda tem de lidar com a sua fama de maluca. No passado costumava a ser uma pessoa bastante impulsiva, com suas emoções indo de zero a dez em menos de cinco minutos. O seu histórico a condena, quando estava na terceira série ela derramou leite na cabeça de Jimmy Joe Jenkin, esvaziou os pneus de Sarah Little na sexta, ou quando enfiou seu Ford Taurus na sala do ex-marido. Isso fez que ela ficasse conhecida por ser uma mulher de excessos, pela população de Lovett, Texas.
"Desde que podia se lembrar, as pessoas a chamavam de maluca. A Maluca Lily Brooks. Então ela se casou com aquele cretino do Ronny Darlington e passaram a chamá-la de 'a Maluca Lily Darlington'".
Já o policial Tucker Matthews pode ser considerado como o posto de Lily, depois de 10 anos servindo ao exército e de uma ex-namorada maluca que o largou levando junto de si uma Gibson Les Paul personalizada, e deixando sua gata Pinky par trás o que o deixou furioso inicialmente, pois que tipo de pessoa deixaria uma gatinha com ele? Um homem que nunca havia tido nenhum animal de estimação, e que não tem muita ideia do que fazer. Ele apenas que se adaptar à sua nova vida, em sua nova casa.

Contudo, Tucker parece ter algum radar para atrair mulheres malucas. Foi em uma de suas rondas típicas do trabalho que acabou conhecendo Lily Darlington, na verdade, ele a multou por excesso de velocidade, mas esse encontro não foi tão significativo. Apenas no dia seguinte acabaram se conhecendo formalmente, mas o clima não foi um dos mais amigáveis de todos, levando em conta que Lily ameaça Tucker, após o encontrar jogando basquete com seu filho Phillip "Pippen" Darlington, durante a manhã, em um dia particularmente frio.
"— Só para deixarmos tudo claro, se você algum dia pensar em machucar um fio de cabelo dele, eu mato você e não perco um segundo de sono com isso.
Por algum motivo perverso, a ameaça fez ele gostar dela.
— Você nem me conhece.
— O que eu sei é que você está jogando basquete com um menino de dez anos de idade às 9 horas da manhã — ela disse, com o sotaque ficando mais forte. — Está zero grau, e você está falando sobre bolas congeladas com o meu filho. Esse não é exatamente um comportamento normal para um homem adulto."
Esse encontro acaba sendo decisivo para a relação de ambos, depois disso Tucker começa a pensar em Lily com muita frequência, e não demora muito para ela perceber que ele é apenas um cara legal e decente que pretende ajudar seu filho com o basquete. Eles começam a se envolver, um romance bastante intenso, mas tudo pode acabar mal devido vários fatores: o fato de Lily ser oito anos mais velha do que Tucker, dela ser uma mãe solteira que tem uma reputação a zelar, e o passado do policial Matthews é um verdadeiro mistério.
"— Existe uma diferença entre tomar cuidado e achar que precisamos manter um segredo sujo.
Ela levantou o olhar.
— Eu não acho que somos um segredo sujo. — Um segredo, sim. Sujo, não." 
De todos os livros da Rachel Gibson, esse foi o que menos me agradou. Por ser um livro curto os acontecimentos acabaram acontecendo muito rápido para o meu gosto, queria que ela tivesse explorado e desenrolado mais a relação entre Lily e Tucker, e os demais personagens. Ao final do livro eu fiquei com um gostinho de "eu quero mais". De qualquer forma, é uma boa opção se você está procurando algo para passar o seu tempo, além de garantir boas risadas devido às maluquices de A Maluca Lily Darlington. é um livro que vale a pena ser lido.


Como eu disse em um post anterior, resolvi que também vou falar sobre filmes e séries que eu gosto, já que um dos meus objetivos no blog é escrever sobre assuntos que eu gosto. Depois de pensar durante algum tempo resolvi escrever sobre um dos meus filmes favoritos: Nowhere Boy (O Garoto de Liverpool)!
"John Lennon (Aaron Johnson) é um jovem que não aceita bem as regras impostas na escola e dentro de casa. Abandonado pela  mãe quando tinha cinco anos, ele vive com seus tios George (David Threfall) e Mimi (Kristin Scott Thomas). Quando George morre, Lennon é obrigado a viver com Mimi, extremamente austera e sisuda. No funeral do tio ele vê sua mãe (Anne-Marie Duff), que se mantem afastada. Seu primo  consegue o endereço dela, o que  faz com que Lennon resolva visitá-la. O reencontro com o filho é a realização de um sonho para Julia , que passa cada vez mais seu tempo com ele. Animada e um tanto inconsequente, ela apresenta ao filho o rock'n'roll. Logo, desperta nele a vontade de montar uma banda de rock."
Apesar de o filme ser do ano de 2009, admito que demorei muitos anos para assisti-ló, na época, eu não era uma das maiores fãs das músicas dos Beatles e as que eu conhecia eram as que a minha mãe escutava. Somente no ano de 2012 que eu tomei a iniciativa de assistir ao filme, um interesse pela história da banda acabou crescendo em mim gradativamente a medida que os anos tinham se passado. Além desse motivo, foi nesse mesmo ano que eu me tornei fã do ator Aaron Johnson e eu fiquei curiosa para ver todos os filmes que ele já tinha feito, desse modo, eu acabei descobrindo o filme "Nowhere Boy".
A primeira vez que eu acabei vendo o filme foi pelo YouTube, e dublado. Mesmo não gostando de assistir filmes dublados apenas ignorei esse fator, e no final das contas acabei apreciando o filme! Foi interessante saber um pouco mais sobre a adolescência do John Lennon, e desde o início é perceptível que a vida dele está longe de ser um mar de rosas.

Depois de ser abandonado por sua mãe, aos cinco anos de idade John passa a viver na casa de seus tios. Apesar de estar afastado de seus pais ele  foi criado com todo amor por George e Mimi (mesmo agindo de maneira fria durante boa parte do tempo, ela demonstra que o ama em alguma partes do filme. Apenas demonstra ter um coração feito de pedra), e após a morte de seu tio o seu mundo parece virar de ponta a cabeça, já que ele se reaproxima de  seu mãe Julia.

No início não é explicado o motivo do abandono de John, mas Julia se mostra arrependida pelas ações que acabou tomando no passado e se sente extremamente feliz com a reaproximação de seu menino, e começa a dedicar boa parte de seu tempo para ficar junto de seu filho. Isso acaba desagradando o seu atual marido que acha que ela está dando mais atenção para o seu filho do que deveria, defendendo a ideia de que Julia deveria dar mais atenção às duas filhas pequenas que precisam dela.

Outra pessoa que não fica feliz com essa reaproximação é tia Mimi, ela acredita que sua irmã não é uma noa influência para John e, que em algum momento ela vai fazê-lo sofrer. Isso acaba gerando uma grande confusão em família, e como é mostrado ao longo do filme Julia é uma mulher extremamente animada e inconsequente, está longe de ser uma das melhores mães do mundo. De qualquer forma, os fãs dos Beatles devem agradecer de joelhos à essa mulher louca! Foi graças a influência dela que John Lennon se interessou por rock'n'roll, que ficou com vontade de criar uma banda. Se não fosse por isso, acredito que os Beatles nunca teriam acontecido, já que na casa de seus tios a música clássica era o que reinava.


Para mim um dos melhores momentos do filme é quando acontece o encontro entre John Lennon e Paul McCartney, apesar de Lennon ter agido feito um babaca inicialmente, a amizade que se estabelece entre os dois é bonita. Paul começa a ajudar John com algumas aulas de violão, são essas aulas que vão os aproximando.
"John: Why do you know so much? I mean you don't seem like the rock and roll kind of guy.
Paul McCartney: What you mean because I don't go around smashing things up and acting like a dick?
John: Yea.
Paul McCartney: No. It's the music. That's it, just music. Simple."
 Ao longo do filme é apresentada a formação dos Beatles que acontece mais para o final, apesar de que em nenhum momento do filme o nome da banda foi citada. E a explicação sobre o abandono de John, e a briga entre as irmãs Julia e Mimi finalmente acontece! Ao mesmo tempo em que é emocionante é difícil falar qual das duas está correta, elas fizeram o que acreditavam ser certo. Infelizmente, a felicidade não dura por muito tempo. Justo quando Julia, Mimi  e John estavam se entendendo uma tragédia acabou acontecendo. No dia 15 de julho de 1958, após visitar seu filho, Julia morreu atropelada por um policial fora de serviço, que conduzia embriagado.

Nem mesmo todas as palavras do mundo conseguiriam expressar o amor que eu sinto por esse filme, infelizmente ele não é muito conhecido aqui no Brasil, pelo menos, boa parte dos meus amigos nunca tinha ouvido falar dele. É uma história emocionante, por esse motivo recomendo o filme para todas as pessoas, não somente os fãs dos Beatles.

Outra coisa que eu gostei do filme foram as músicas, tanto é que coloquei todas no meu celular. Além disso, há o relacionamento entre Mimi e John, apesar de todas as brigas entre os dois ela foi como uma mãe para ele e o amava, apesar de não demonstrar tanto.

Curiosidades:

  1. Apesar de o filme narrar a adolescência de John Lennon, fundador dos Beatles, em nenhum momento é citado o nome da banda
  2. Baseado no livro "Imagine This: Growing Up With My Brother John Lennn", de Julia Baird
  3. Indicado ao BAFTA nas categorias de Melhor Roteiro Original, Melhor Maquiagem, Melhor Efeitos Sonoros, Melhor Figurino, Melhor Trilha Sonora, Melhor Ator e Melhor Atriz Coadjuvante

Ficha Técnica:

  • Título: Nowhere Boy (O Garoto de Liverpool)
  • Gênero: Drama, biografia, musical
  • Direção: Sam Taylor-Wood
  • Reteiro: Matt Greenhalgh
  • Elenco: Aaron Johnson, Anne-Marie Duff, Calum O'Toole, David Morrissey, Jack McElhone, Kristin Scott Thomas, Ophelia Lovibond, Sam Bell
  • Produção: Douglas Rae, Kevin Loader, Robert Bernstein
  • Duração: 98 min










Título: Encontrada
Autor(a): Carina Rissi
Editora: Verus
Número de páginas: 476
Classificação: 5/5

Existem autores que te conquistam, foi isso que a Carina Rissi fez comigo. Os livros dela me conquistaram, agora posso afirmar, com toda convicção, que sou uma grande fã do seu trabalho. Quando fiquei sabendo sobre o livro "Encontrada", fiquei contando os dias para o seu lançamento, e a minha ansiedade aumentou quando soube que no dia 18/08 teria o lançamento do livro na Leitura do Pátio Savassi, juntamente com uma seção de autógrafos com a Carina. Fiz uma contagem regressiva, e no dia do lançamento acabei indo da escola direto para o shopping. Cheguei lá por volta das 16:40, comprei o meu livro e tive que resistir para não ler o final do livro (eu sou uma pessoa que ama spoilers, e sempre acabo lendo o último capítulo de todo o livro que eu compro), pois tinha certeza que acabaria falando algo que não devia. Como cheguei duas horas antes do evento precisei esperar um bocado, mas o tempo acabou passando de uma formar muito rápida à medida que ia fazendo amizade com as garotas da fila, e diferente do autógrafo com a Cassandra Clare, ninguém tentou se matar. Tudo acontecer de forma organizada, divertida e ao som de OneRepublic.
 "Sofia está de volta ao século dezenove e mais que animada para começar a viver o seu final feliz ao lado de Ian Clarke. No entanto, em meio à loucura dos preparativos para o casamento, ela percebe que se tornar a sra.Clarke não vai ser tão simples quanto imaginava. As confusões encontram a garota antes mesmo de ela chegar ao altar — e uma tia intrometida que quer atrapalhar o relacionamento é apenas uma delas. Além disso, coisas  estranhas estão acontecendo na vila. Ian parece estar enfrentando alguns problemas que prefere não dividir com a noiva. Decidida, Sofia fará o que estiver ao seu alcance para ajudar o homem que ama. Ela não tá disposta a permitir que nada nem ninguém atrapalhe seu futuro. Porém suas ações podem pôr tudo a perder, e Sofia descobre que a única pessoa capaz de destruir seu felizes para sempre é ela própria."
Sofia Alonzo é uma jovem do século XXI, mas, para viver o seu felizes para sempre junto de Ian Clarke ela acaba escolhendo viver  no século XIX junto de seu amado, em nome do amor dos dois. Contudo, Sofia apresenta muitas dificuldades para se adaptar à sua nova vida. Além dos costumes diferentes, como por exemplo, usar calças, trabalhar... Ela também é considerada como louca por algumas pessoas da região, e que acreditam que ela não é a melhor escolha que Ian poderia ter feito. De qualquer modo, ela está se esforçando para se acostumar com os vestidos, e na medida do possível vem tentando se manter longe de confusões para não envergonhar o seu noivo. O único problema é: que com ela confusão vem atrás de mais confusão.
"Atravessamos a igreja sem pressa, recebendo os cumprimentos dos amigos. Mas acabei captando  uma conversa entre duas senhoras que certamente não devia. Uma delas era a Cara de Cavalo.
— Entrar sozinha na igreja! A dama de honra na frente!
— Realizado em português! Não deve ter validade, Ofélia.
— Que espécie de sapatos eram aqueles?
— E o vestido! Sem brilho, apagado. Parecia uma simples criadinha...
— Oh, agora só nos resta esperar para saber se haverá um escândalo ou um funeral muito em breve."
Como se o fato dela não ser popular na sociedade, os recém-casados acabam recebendo a visita de Tia Cassandra acompanhada de seu filho Thomas Clarke II, e esta vai fazer de tudo para acabar com a união do casal já que não pode fazer nada para impedir o casamento acreditando que Sofia não é uma jovem adequada para seu sobrinho Ian, além de acreditar que ela poderia acabar manchando a imagem de Elisa (irmã mais nova do Ian), a impedido de conseguir realizar um bom casamento.
"— A senhora não tem a metade da decência, da honra e da bondade dessa mulher — ele apontou furioso para mim, mas com os olhos cravados na tia. — Deixe a minha esposa em paz. Volte para o buraco do qual saiu e nos esqueça, ou, eu juro, farei com que se arrependa de um dia ter posto os olhos nelas."
E para piorar a situação marido e mulher começam a esconder segredos importantes uns dos outros. Ian está misterioso, e está procurando esconder à qualquer o motivo de ter adiado a viagem de lua de mel, chegando a ficar bravo ao saber que sua esposa andou mexendo em alguns livros de contabilidade da casa. Já Sofia, começou a ganhar dinheiro produzindo um condicionador, e teme que seu marido acaba descobrindo, na época era comum o homem sustentar a mulher e o fato dela estar começando o seu próprio negócio poderia ser compreendido como se Ian não estivesse dando o suficiente para ela.

Essa diferença de 200 anos entre os dois faz Sofia perceber que Tia Cassandra não é capaz de destruir o seu felizes para sempre, nem qualquer outra pessoa da região. A única pessoa que pode acabar com sua linda história de amor é ela mesma, e para tentar salvar seu casamento a sra.Clarke decide virar uma autêntica dama do século XIX.
"— Como é que a gente pôde se desencontrar tanto? Será que esses duzentos anos sempre vão separar a gente?"
Existem livros tão envolventes que você acaba lendo em questões de horas, é capaz de deixar tudo de lado apenas para ler e "Encontrada", é um livro tão envolvente que o leitor é capaz de passar horas e horas lendo, sem se preocupar com o mundo lá fora. Foi desse jeito comigo, e acredito que teria acabado o livro mais rápido ainda se não estivesse em semana de provas. A história criada por Carina Rissi é apaixonante, você se diverte com os personagens, se apaixona por eles e até sente raiva de alguns. E o final foi algo surpreendente ente brilhante, o que foi muito astuto por parte da autora. Com toda certeza, essa vai ser um livro que vai ficar para sempre na minha memória e que os personagens sempre vão continuar vivos em meu coração.

Novamente agradeço à minha amiga Beatriz Maciel por ter me apresentado aos livros da Carina Rissi, se não fosse por ela eu não iria conhecer essa pessoa extremamente brilhante e com um grande talento para escrever. Mais emocionante ainda foi conhecer a conhecer ela pessoalmente. Posso descrever esse encontro como emocionante e memorável, conhecer um ídolo sempre é algo emocionante, e se torna ainda mais quando você descobre que tem alguns gostos em comum com aquela pessoa!

Recomendo o livro "Encontrada" para todos os públicos, a leitura é fácil, extremamente envolvente e apaixonante. É uma boa opção caso você esteja com vontade de ler um romance, ou um livro para passar o tempo.

Caso você se interesse pela história apenas fique atento pois, "Encontrada" é o segundo e último livro da série. O primeiro é "Perdida", ele conta a vida de Sofia no século XXI, como ela foi parar no século XIX, ela se apaixonando por Ian... Ambos são livros excelentes.