1) O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares (Srta. Peregrine #1) — Ransom Riggs
"Milhões de cópias vendidas em todo o mundo! Traduzido para mais de 40 idiomas! Eleito uma das 100 obras mais importantes da literatura jovem de todos os tempos Tudo está à espera para ser descoberto em "O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares", um romance que tenta misturar ficção e fotografia. A história começa com uma tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo - por mais impossível que possa parecer - ainda podem estar vivas. “Mesmo sem as fotos, esta seria uma história emocionante, mas as imagens dão um irresistível toque de mistério. A narração em primeira pessoa é autêntica, engraçada e comovente. Estou ansioso para o próximo volume da série!” RICK RIORDAN, autor da série Percy Jackson e Os Olimpianos. “Um romance tenso, comovente e maravilhosamente estranho. As fotos e o texto funcionam brilhantemente juntos para criar uma história inesquecível.” JOHN GREEN, autor de A culpa é das estrelas. “Vocês têm certeza de que não fui eu quem escreveu esse livro? Parece algo que eu teria feito...” TIM BURTON"

2) A Caminho do Altar (Os Bridgertons #8) — Julia Quinn
Ao contrário da maioria de seus amigos, Gregory Bridgerton sempre acreditou no amor. Não podia ser diferente: seus pais se adoravam e seus sete irmãos se casaram apaixonados. Por isso, o jovem tem certeza de que também encontrará a mulher que foi feita para ele e que a reconhecerá assim que a vir. E é exatamente isso que acontece.
O problema é que Hermione Watson está encantada por outro homem e não lhe dá a menor atenção. Para sorte de Gregory, porém, Lucinda Abernathy considera o pretendente da melhor amiga um péssimo partido e se oferece para ajudar o romântico Bridgerton a conquistá-la.
Mas tudo começa a mudar quando quem se apaixona por ele é Lucy, que já foi prometida pelo tio a um homem que mal conhece. Agora, será que Gregory perceberá a tempo que ela, com seu humor inteligente e seu sorriso luminoso, é a mulher ideal para ele?
A caminho do altar, oitavo livro da série Os Bridgertons, é uma história sobre encontros, desencontros e esperança no amor. De forma leve e revigorante, Julia Quinn nos mostra que tudo o que imaginamos sobre paixão à primeira vista é verdade – só precisamos saber onde buscá-la.

3) Mentiroso (Selvagem Irresistível #4) — Christina Lauren
Para duas pessoas com opiniões tão distintas acerca de relacionamentos e do amor, London e Luke criaram um surpreendente laço de carinho e… tesão! London Hughes está muito satisfeita em surfar todos os dias, trabalhar como Bartender e sair com seus amigos vivendo da maneira que mais lhe satisfaz. Mas depois de ser derrubada por uma onda pela manhã, e ser derrubada novamente pelo sorriso galanteador de Luke Sutter naquela noite, ela se pergunta: por que não? Afinal, é só uma noite. Da sua parte, Luke esteve no piloto automático dos encontros casuais por tanto tempo que raramente se detém para pensar no que está fazendo. Mas, depois de um encontro maravilhoso com London, ele percebe que não superou adequadamente um rompimento devastador, e acabou por se deixar levar para onde – e com quem quer que fosse – a correnteza o levasse. Entretanto, ele deseja ir além com London, embora alguns acontecimentos de seu passado – incluindo quem fez parte dele –, tenham sido omitidos de London, que, por sua vez, agora precisa lidar com o tipo de complicação que evitou por tanto tempo.

4) A Última Carta de Amor — Jojo Moyes
O primeiro livro de Jojo Moyes publicado pela Intrínseca, relançado com nova capa.
Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. De volta a casa com o marido, ela tenta, em vão, recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por "B", e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento, como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante.
Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado, Ellie começa a procurar por "B", e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas do próprio relacionamento.
Com personagens realisticamente complexos e uma trama bem-elaborada, A Última Carta de Amor entrelaça as histórias de paixão, adultério e perda de Ellie e Jennifer. Um livro comovente e irremediavelmente romântico.

5) Garoto 21 — Matthew Quick
Repetir um movimento várias e várias vezes ajuda a clarear a mente uma lição que Finley aprendeu muito cedo, nas quadras de basquete. Numa cidade comandada pela violência do tráfico e da máfia irlandesa, vestir a camisa 21 e dar o sangue em quadra é sua válvula de escape.
Vinte e um também é o número da camisa de Russ, um gênio do basquete. Ou pelo menos era. Recém-chegado à cidade de Bellmont depois de ter a vida virada de cabeça para baixo por uma tragédia, a última coisa que ele quer é pegar de novo numa bola.
Russ está confuso, parece negar o que lhe aconteceu e agora se autointitula um alienígena de passagem pela Terra. Finley recebe a missão de ajudá-lo a se recuperar e, para isso, precisará convencê-lo a voltar a jogar, mesmo sob o risco de perder seu lugar como estrela do time.
Contra todas as probabilidades, Russ e Finley se tornam amigos e, por mais estranho que pareça, a presença de Russ poderá transformar a vida de Finley completamente. Uma emocionante história sobre esperança, amizade e redenção, com a prosa sensível e inteligente de Matthew Quick.

6) Belo Sacrifício (Irmãos Maddox #3) — Jamie McGuire
Falyn Fairchild abandonou seu carro, seus estudos e até seus pais. Filha do próximo governador do Colorado, ela está de volta à sua cidade natal, falida e trabalhando como garçonete em um café. Ao fim de cada turno, ela guarda o que recebeu, esperando um dia ter o suficiente para comprar uma passagem para o único lugar onde pode encontrar redenção: Eakins, Illinois.
No instante em que Taylor Maddox entra no café, Falyn sabe que ele trará problemas. Taylor é charmoso, não cumpre promessas e é lindo mesmo coberto de fuligem, fazendo dele tudo o que Falyn acredita que um bombeiro de sucesso deve ser. Mas ela não está interessada em se tornar mais uma em sua lista — e, para um dos Maddox, uma garota desinteressada é o desafio mais atraente de todos. Belo Sacrifício é o terceiro volume da série sobre os irmãos mais barulhentos e irresistíveis da literatura new adult. O foco agora é Taylor, um dos gêmeos, que se envolve com uma garota cheia de segredos — e, pela primeira vez, pode ser ele quem sairá machucado dessa história.

7) Outro Dia: a História de Rhiannon – David Levithan
Um dos mais inovadores autores de livros jovem adulto e o primeiro a emplacar uma trama gay na lista do New York Times, David Levithan retoma a sua mais emblemática trama em "Outro Dia". Aqui, a já celebrada — com várias resenhas elogiosas — história de "Todo Dia" é mostrada sob o ponto de vista de Rhiannon. A jovem, presa em um relacionamento abusivo, conhece A, por quem se apaixona. Só que A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Mas embarcar nessa paixão também traz desafios para Rhiannon. Todos eles mostrados aqui.

8) A Vingança Está Na Moda — Rosalie Ham
Apesar de ter sido escorraçada de sua cidade natal quando criança, Tilly Dunnage decide voltar, já adulta, em busca de uma nova vida. Munida de sua máquina de costura e seu requinte único, ela impressiona as mulheres provincianas de Dungatar com seus conhecimentos das últimas tendências da moda, mas não recebe muito em troca. Então, decide arquitetar um plano bem mais sombrio. Sem descer do salto.
Com muito humor negro e um tom satírico leve, Rosalie Ham conta uma história intrigante de amor, aceitação e vingança em meio às fofocas de um pequeno vilarejo. Ela convida o leitor a visitar o interior da Austrália e a conhecer personagens fascinantes cheios de intrigas, conduzindo a narrativa até uma reviravolta surpreendente.


Imagem do We Heart It
Nas noites frias de inverno, na maioria das vezes, a gente só quer ficar deitada no sofá ou na cama, com um bando de cobertores quentinhos enquanto assiste a um filme ou uma série. Pensando nisso, resolvi reunir aqui nesse post cinco opções de filmes para se assistir não só nas noites frias de inverno, mas sim em qualquer horário do dia em que bater vontade!

1) O Fantástico Destino de Amélie Poulain
"Após deixar a vida de subúrbio que levava com a família, a inocente Amélie (Audrey Tautou) muda-se para o bairro parisiense de Montmartre, onde começa a trabalhar como garçonete. Certo dia encontra uma caixa escondida no banheiro de sua casa e, pensando que pertencesse ao antigo morador, decide procurá-lo ­ e é assim que encontra Dominique (Maurice Bénichou). Ao ver que ele chora de alegria ao reaver o seu objeto, a moça fica impressionada e adquire uma nova visão do mundo. Então, a partir de pequenos gestos, ela passa a ajudar as pessoas que a rodeiam, vendo nisto um novo sentido para sua existência. Contudo, ainda sente falta de um grande amor."


2) Truque de Mestre
"Daniel Atlas (Jesse Eisenberg) é o carismático líder do grupo de ilusionistas chamado The Four Horsemen. O que poucos sabem é que, enquanto encanta o público com suas mágicas sob o palco, o grupo também rouba bancos em outro continente e ainda por cima distribui a quantia roubada nas contas dos próprios espectadores. Estes crimes fazem com que o agente do FBI Dylan Hobbs (Mark Ruffalo) esteja determinado a capturá-los de qualquer jeito, ainda mais após o grupo anunciar que em breve fará seu assalto mais audacioso. Para tanto ele conta com a ajuda de Alma Vargas (Melanie Laurent), uma detetive da Interpol, e também de Thaddeus Bradley (Morgan Freeman), um veterano desmistificador de mágicos que insiste que os assaltos são realizados a partir de disfarces e jogos envolvendo vídeos."


3) Simplesmente Acontece
"Os jovens britânicos Rosie (Lily Collins) e Alex (Sam Claflin) são amigos inseparáveis desde a infância, experimentando juntos as dificuldades amorosas, familiares e escolares. Embora exista uma atração entre eles, os dois mantêm a amizade acima de tudo. Um dia, Alex decide aceitar um convite para estudar medicina em Harvard, nos Estados Unidos. A distância entre eles faz com que nasçam os primeiros segredos, enquanto cada um encontra outros namorados e namoradas. Mas o destino continua atraindo Rosie e Alex um ao outro."


4) 10 Coisas que Eu Odeio em Você
"A situação está tensa na casa dos Stratford. Bianca (Larisa Oleynik) não vê a hora de arranjar um namorado, mas seu pai (Larry Miller) não permite que ela saia com garotos. Após muita insistência, o pai toma uma resolução: Bianca pode namorar, desde que sua irmã, Katharina (Julia Stiles), namore também. Só que Katharina é uma verdadeira megera, que não tem amigos na escola nem em lugar algum. Para resolver a questão, Cameron (Joseph Gordon-Levitt), apaixonado por Bianca, resolve contratar o misterioso Patrick Verona (Heath Ledger) para seduzir a futura cunhada."


5) Desventuras em Série
"Klaus (Liam Aiken), Violet (Emily Browning) e Sunny (Kara Hoffman e Shelby Hoffman) são três irmãos que repentinamente recebem a notícia de que seus pais morreram em um incêndio. Como são menores de idade eles não podem ainda herdar a fortuna de seus pais, o que apenas ocorrerá quando Violet, a mais velha, completar 18 anos. O trio passa então a morar com o Conde Olaf (Jim Carrey), um parente distante bastante ganancioso, que deseja tomar a fortuna das crianças para si. Para atingir sua meta Olaf não medirá consequências."


Raramente eu faço TAGs aqui no Escritora Whovian, mas há alguns dias atrás eu estava olhando um dos blogs que eu sigo e me deparei com a "Inês Brasil Book TAG", e como eu achei bem divertido resolvi fazer aqui no blog apesar de não ter sido indicada por alguém. Espero que vocês gostem!

1) “Alô, alô, vocês sabem quem sou eu?”: Um livro que merecia mais destaque.
Louco aos Poucos, Libba Bray. Esse é um dos meus livro preferidos (tenho ele em inglês e português), que recomendo para algumas pessoas e tudo nele é simplesmente incrível! Porém, são poucas as pessoas que já escutaram falar sobre esse livro.

2) “Não tenho pena, quem tem pena é galinha”: Um personagem que você não suporta ou uma morte que você adorou ler.
Eadlyn Schreave, do livro A Herdeira. Essa personagem me irritou praticamente durante toda a leitura. Em uma tentativa de criar uma mulher forte e independente, a Kiera criou uma garoa arrogante, grossa e um pouco mimada, só no finalzinho que me simpatizei um pouco com ela. E se você quiser saber mais sobre o livro, aqui está a resenha dele.

3) “Olha, não me arrasa não”: Um livro que te deixou arrasado.
Harry Potter e as Relíquias da Morte, J.K Rowling. Eu raramente choro com livros, mas existem algumas exceções que balançam um pouco com o meu emocional e o último livro de Harry Potter foi um desses. Foram tantas mortes nesse livro, o que incluiu alguns dos meus personagens favoritos, que não consegui segurar o choro. E o epílogo do livro também me emocionou um pouco, mas eu chorei mais foi pela morte de muitos personagens.

4) “Seria meu sonho?”: Qual livro você mais deseja na sua estante?
Watchmen, Alan Moore. Descobri a existência desse livro ano passado quando assisti ao filme na minha escola e a minha professora aproveitou a ocasião para levar o livro dela, foi amor à primeira vista! Algum dia pretendo comprar esse livro, mas também aceito ganhar um de presente #ficaadica.

5) “Então segura a marimba aí, monamur”: Um plot twist que você não superou;
Querido John, Nicholas Sparks. Até hoje não consigo superar o plot twist que rolou nesse livro, foi algo que me deixou bem revoltada.  Quando comprei o livro tinha imaginado algo completamente diferente, e a reviravolta que rolou não me agradou muito. Nicholas, o que custa deixar os seus personagens terem um final feliz? Chega de sofrimento e coisa ruim.

6) “Munique, manda ele sair daqui”: Um livro ou autor que você não pretende reler;
A série de livros House of Night, Kristin Cast e P.C. Cast. No início eu fiquei bastante empolgada com os livros e com a história, mas então começou uma grande enrolação sem fim, a personagem principal se tornou insuportável e eu acabei largando a série. Às vezes, bate uma vontade de dar continuidade, mas logo depois acabo desistindo dessa ideia já que são muitos livros (se eu fosse as autoras não teria prolongado tanto a série), personagens um pouco chatos.

7) “Eu nem entendi um pouco direito”: Um livro do qual você não entendeu nada ou um livro que termina em aberto;
A Garota Que Eu Quero, Markus Zusak. Lembro que fiquei encantada com a escrita de Zusak quando li A Menina que Roubava Livros, sendo assim resolvi procurar outros livros do autor. Quando li o resumo de A Garota que Eu Quero me pareceu ser um livro bem interessante, mas aos poucos acabei me decepcionando com o livro. Não entendi muita coisa da história e achei bem deprimentes em algumas partes. Não consegui chegar ao final do livro, acabei abandonando ele pela metade.

8) “Me chama que eu vou!”: quem você indica para responder a tag?
Os blogs que eu indico são:
SobreTudo
Leitora na Moda
Meu Mundinho Fictício
Li Mais Um
Cantinho Cult
E todo mundo que se interessou pela TAG pode responder também!


Título: Mentira Perfeita
Autor(a): Carina Rissi
Editora: Verus
Número de páginas: 462
Classificação: 4/5

Para os leitores que me acompanham aqui no blog não deve ser nenhuma novidade que eu sou uma grande fã da Carina Rissi. Tudo começou com "Procura-se Um Marido", eu gostei tanto do livro que desde então venho tentando acompanhar de perto todos os lançamentos dela. Sendo assim, quando fiquei sabendo que "Mentira Perfeita" já tinha sido lançado eu não pude deixar de comprar o livro, ainda mais se tratando de uma versão autografada pela autora.
"Com Mentira Perfeita, Carina Rissi prova mais uma vez que o seu forte é contar boas histórias, com ritmo acelerado e repletas de paixão, humor e reviravoltas. Júlia não tem tempo para distrações. Ela é brilhante e sempre se esforça para ser a melhor naquilo que faz; por essa razão, sua vida pessoal acabou ficando de lado. Algo que sempre preocupou sua tia Berenice. Gravemente doente, a mulher teme que Júlia acabe completamente sozinha quando ela se for. Júlia faria qualquer coisa qualquer coisa mesmo! por tia Berê e, em seu desespero para agradar a única mãe que já conheceu, inventa um noivo enquanto torce por um milagre... E então o milagre acontece: Berenice se recupera e, assim que deixa o hospital, gasta todas as suas economias com o casamento dos sonhos para a sobrinha. Como Júlia pode contar a ela que mentiu, com a saúde da tia ainda tão frágil? É quando Júlia conhece Marcus Cassani. Ele é irritantemente cínico, mulherengo e lindo de um jeito que a deixa desconfortável. Marcus também está enfrentando problemas, e um acordo entre eles parece ser a solução. Tudo o que Júlia sabe é que deveria se afastar de Marcus. Mas seu coração tem uma ideia muito diferente... Mentira Perfeita é um spin-off de Procura-se Um Marido, uma história que se passa no mesmo universo da primeira. Aqui você vai conhecer novos personagens inesquecíveis, além de rever aqueles que já moram no seu coração."
O livro conta a história de Júlia, uma jovem que dedica sua vida unicamente para o seu trabalho e para cuidar de sua tia Berenice, que a criou desde criança e é como uma verdadeira mãe para ela. E o amor? Bem, esse não tem espaço na vida de Júlia que leva uma vida bastante atarefada terminando os projetos de teu trabalho e cuidando de Berê que tem uma grave doença no coração e que necessita de um transplante com urgência.

Um dia, quando a tia Berenice estava à beira da morte na UTI, Dênis, o vizinho e melhor amigo de Júlia, resolve falar que ela está namorando e pensando no bem estar de sua tia — uma mulher bastante romântica e tem como grande sonho ver sua sobrinha se casando um dia, vivendo um grande amor — Júlia resolve dar continuação para aquela mentira, afinal o que de errado tinha em tentar deixar sua tia feliz? Com isso ela acaba criando o homem perfeito. Contudo, tia Berê tem uma melhora impressionante o que deixa Júlia em uma enorme enrascada. Ela não pode contar de sua mentira para sua tia e correr o risco de ela ter um ataque cardíaco, então o jeito é conseguir encontrar o seu homem perfeito.
“Algumas pessoas passam pela vida em um cor-de-rosa infinito, cheio de boas lembranças e histórias engraçadas que serão sucesso nas festas de fim de ano. Eu não era uma das pessoas.”
E é nesse ponto da história que entra Marcus Cassani, o irmão mais novo de Max. Há alguns anos atrás ele sofreu um acidente de moto que o deixou paraplégico, o que mudou completamente o seu modo de vida já que acabou tendo que depender um pouco das outras pessoas. Mas cansado da super proteção que recebe de seus pais, e com o desejo de levar uma vida mais independente, Marcus coloca na cabeça a ideia de morar sozinho. De início, seus pais não aceitaram aquela proposta, mas depois de muita conversa eles aceitaram que Marcus morasse sozinho somente se ele contratasse um cuidador.

É então que Júlia e Marcus resolvem se ajudar. Ela precisa de um namorado para apresentar para tia Berê e depois terminar com o cara, e Marcus está a procura de alguém que finja ser sua enfermeira para convencer os seus pais de que ele realmente contratou um cuidador. E isso vai dar muito o que falar, sem contar que esses dois vão se meter em problemas bastante divertidos.
"Ás vezes você se sente tão sozinho que parece estar á deriva no meio do oceano. Nada á frente, nada atrás, nada em lugar nenhum exceto as ondas que quebram sobre você, ameaçando engoli-lo. Mas algumas vezes - raras vezes - um ponto negro surge no horizonte e vai crescendo até se tornar a silhueta de um barco, até uma mão se esticar em sua direção e você sair do inferno. Júlia era o meu barco, a mão estendida, o ponto negro do meu nada."
Por "Mentira Perfeita" se tratar de um spin-off de "Procura-se Um Marido", alguns personagens familiares apareceram nesse livro como os pais do Max e do Marcus, e o adorável casal Alicia e Max que conquistou uma legião de fãs no primeiro livro, e realmente foi muito bom poder entrar em contato novamente com esses personagens tão queridos, ver o que aconteceu com a vida deles após os acontecimentos de "Procura-se Um Marido".

A narrativa do livro é feita a partir de dois pontos de vistas: o da Júlia e do Marcus, e esse é um tipo de técnica que eu adoro, pois permite que o leitor veja dois pontos de vista diferente sobre a mesma história, isso é algo que enriquece muito a leitura em minha opinião. E, como de costume, a escrita da Carina Rissi flui tão bem que é dá vontade de ficar lendo por horas e horas seguidas. Então, se você gosta de livros de romance ou está procurando um livro de um escritor nacional, "Mentira Perfeita" é um livro que você precisa ter na estante.


Há treze anos, lançou no Brasil um filme que marcou a infância de muitos. "Procurando Nemo" foi uma animação lançada pela parceria entre os estúdios Disney e a Pixar, e que ganhou o do Oscar de Melhor Filme de Animação. Foi um filme que fez bastante sucesso na época e, agora, alguns personagens lendários retornam para o filme "Procurando Dory", que se passa um ano após os acontecimentos do primeiro.

"Um ano após ajudar Marlin (Albert Brooks) a reencontrar seu filho Nemo, Dory (Ellen DeGeneres) tem um insight e lembra de sua amada família. Com saudades, ela decide fazer de tudo para reencontrá-los e na desenfreada busca esbarra com amigos do passado e vai parar nas perigosas mãos de humanos."
O filme começa com uma série de flashbacks da infância de Dory, mostrando alguns acontecimentos de sua infância enquanto ela brincava com os seus pais, do momento em que ela se perdeu deles, de sua travessia pelo oceano buscando algo que ela não sabe exatamente o que é  a até mesmo  do seu encontro com Marlin, no momento em que ele estava desesperado para encontrar seu filho que tinha sido levado por um barco.

E é a partir dessas memórias que Dory se lembra de que tem uma família, de modo que ela decide a cruzar o oceano para conseguir encontrar os seus pais. Mas ela não está sozinha nessa aventura, podendo contar com a ajuda de Marlin — apesar de sua relutância de deixar o recife de corais novamente — e de Nemo, além de contar com a ajuda de Crush e de suas outras amigas tartarugas para conseguir chegar à Califórnia.
Chegando lá, Dory acaba se metendo em grandes aventuras junto de seus amigos para conseguir encontrar seus pais. E nessas aventuras ela acaba fazendo novas amizades, como Hank, um polvo bem mal humorado e que no fundo consegue ser amável; Destiny, uma tubarão-baleia que tem problemas de visão e Bailey, a baleia Beluga que acredita ter um ferimento na cabeça.

Juntos eles ajudam Dory a encontrar seus pais, o que acaba rendendo aventuras bastante divertidas e bastante engraçadas, além de muitas confusões, é claro.
Um fator que me chamou bastante atenção foi o modo que trataram o problema de perda de memória recente da Dory, mesmo isso a tornando um pouco diferente dos outros peixes não é nenhum tipo de problema, isso não a impede de fazer amizades facilmente e de conseguir escapar de situações complicadas através de seu jeito único e especial de ser. Foi graças a esse seu jeito especial de ser que ela conseguiu ajudar Marlin a achar o Nemo, e que ela conseguiu reencontrar seus pais.

Nostálgico. Acho que essa é a palavra perfeita para representar o que o filme significou para mim, foi muito bom rever alguns personagens que marcaram a minha infância e acredito que esses novos personagens vão marcar a infância de uma nova geração. "Procurando Dory" se trata de uma animação bastante divertida, com personagens carismáticos. É um filme para todas as idades, ninguém está novo demais ou velho demais para assisti-lo.

Ficha Técnica: 

  • Título: Procurando Dory.
  • Gênero: Animação, Comédia. 
  • Direção: Andrew Stanton, Angus MacLane.
  • Duração: 1h35min.
  • Elenco: Ellen Degeneres, Albert Brooks, Hayden Rolence, Diane Keaton, Eugene Levy, Willem Dafoe, Ty Burrell, Kaitlin Olsen, Ed O'Neill, Idris Elba, Dominic West, Bob Peterson, Andrew Stanton, John Ratzenberger.

Curiosidade:

  • Um dos cenários do longa seria um parque de diversões como o Sea World, mas ele foi modificado para um Instituto de Biologia Marinha após uma exibição do filme Blackfish: Fúria Animal para funcionários da Pixar.
  • Procurando Dory foi anunciado pela apresentadora Ellen DeGeneres, que dubla a Dory, em seu programa na televisão aberta nos Estados Unidos, ao vivo.
  • O filme estava originalmente escalado para estrear nos cinemas em novembro de 2015, mas foi adiado após o adiamento de outra estreia da Pixar, que viria anteriormente: O Bom Dinossauro.
  • Dory é a personagem mais popular da Disney na internet - sua página no Facebook tem mais de 25 milhões de fãs.


Como já contei anteriormente aqui no blog, desde que criei uma conta no Netflix eu comecei a assistir mais séries do que eu via, e diariamente vivo descobrindo uma série nova que me desperta o interesse, e a escolhia da vez foi Agent Carter. Tinha ouvido falar dessa série desde janeiro do ano passado, pois durante a minha viagem para a Disney eu reparei que muitos dos ônibus da Disney World faziam propaganda sobre a série, mas somente um ano depois que eu resolvi assistir ela.

"Agent Carter conta a história Peggy Carter (Hayley Atwell). O ano é 1946, e Peggy se encontra marginalizada quando os homens retornam ao lar após a Guerra. Trabalhando para a SSR (Reserva Científica Estratégica, em inglês), Peggy precisa balancear o trabalho administrativo e missões secretas para Howard Stark, ao mesmo tempo em que leva uma vida solteira após perder o seu amor, Steve Rogers."
Há alguns anos eu comecei a me interessar pelo Universo da Marvel, e um dos meus filmes favoritos é o "Capitão América: O Primeiro Vingador". Isso pode soar como um grande clichê, mas ele foi um dos primeiros filmes que eu vi da Marvel e foi a partir desse momento que eu comecei a me interessar por filmes e histórias de super heróis. Então, quando vi "Agent Carter" na minha lista do Netflix, resolvi dar uma chance para a série e eu não me arrependo em nada de ter tomado essa decisão.

Os acontecimentos se passam um ano após a morte/desaparecimento do Capitão América e, apesar de algumas dolorosas lembranças, Peggy Carter está conseguindo seguir em frente com a sua vida. Contudo, as coisas não vão da forma que ela imaginava ou esperava. Peggy é uma agente super qualificada que chegou a lutar ao lado do Capitão América durante a Segunda Guerra Mundial, porém com o final da guerra seu trabalho mudou um pouco, agora, ela é responsável por anotar recados e pedidos de almoço. E como se isso não fosse o bastante, ela também tem que aturar a piadinha de seus colegas de trabalho, que são em sua maioria homens.

Enquanto isso, Howard Stark acaba sendo acusado de traição e é declarado como inimigo do estado, pois algumas armas criadas por ele caíram em mãos erradas. E para tentar concertar a situação, Howard recorre a agente Carter para que ela possa o ajudar investigando o caso e limpar o seu nome. Peggy se une então com Edwin Jarvis, mordomo do Stark, para descobrir quem está por trás da armação contra Howard. A partir desse momento ela se torna uma agente dupla, indo a missões escondida de colegas de trabalho.
"Agent Carter" foi uma série que me envolveu rapidamente, fiquei vendo episódio atrás de episódio, então não foi difícil acabar a primeira temporada. Infelizmente, apesar de se tratar de uma ótima série que conta com um bom enredo, com ótimos atores e uma produção impecável, ela foi cancelada pela emissora americana ABC. E qual foi o motivo para o cancelamento? A sua baixa audiência. Em seus 18 episódios ao longo de suas temporadas, a série teve uma média de 50 milhões de espectadores. Esse é um fato muito triste, pois a "Agent Carter" é uma série muito boa e que tem como personagem principal uma mulher muito foda.

Algumas coisas que me chamaram atenção foi o figurino de época que é muito lindo, os penteados das mulheres, os chapéus, o marcante batom vermelho. Simplesmente ficou muito bonito e combinou bastante com a época em que a série se passa. Outro fator que combinou muito com o estilo da série foi a trilha sonora!

Então, se você gosta de séries de ação aqui fica a dica de uma ótima série. "Agent Carter" tem cenas de ação bem dinâmicas, além de ter outros pontos positivos como o fato de não girar em torno de romances, empoderamento feminino. E, para as pessoas que não gostam de séries muito longas essa tem apenas 18 episódios.
Se você gosta dessa série ou gostou da sugestão dela aqui no blog, não deixe de comentar a sua opinião aqui nos comentários. E se você tiver alguma série para me indicar sinta-se livre para dar sua opinião também, pois adoro conhecer e assistir séries novas. E não se esqueça que a série tem a primeira temporada completa disponível na Netflix, e se quiser assistir a primeira e segunda temporada completa a série está disponível no Filmes Onlines Grátis


Título: Tá Todo Mundo Mal — O Livro das Crises
Autor(a): Jout Jout
Editora: Companhia das Letras
Número de páginas: 200
Classificação: 5/5

Normalmente, quando sou fã de alguma pessoa gosto de acompanhar o trabalho dela, e isso não é diferente com a Jout Jout. Sim, o meu blog Escritora Whovian também faz parte da Família Jout Jout uma vez que eu sou uma grande fã dela e do seu canal no YoutTube. Sendo assim, quando eu descobri que ela estava prestes a lançar um livro fiquei bastante empolgada e com vontade de comprá-lo o mais rápido possível, afinal de contas se eu me identifico com muitas das coisas que ela fala no canal eu também devo me identificar com as coisas que estão no livro. Isso pode parecer uma teoria meio vaga e que não tem muitas chances de dar certo, mas o que acontece é que eu consegui me identificar com muitas das coisas que a Jout Jout escreveu, de modo que me arrisco a dizer que esse livro está na minha lista dos favoritos.
"Do alto de seus 25 anos, Julia Tolezano, mais conhecida como Jout Jout, já passou por todo tipo de crise. De achar que seus peitos eram pequenos demais a não saber que carreira seguir. Em tá todo mundo mal, ela reuniu as suas "melhores" angústias em textos tão divertidos e inspirados quanto os vídeos de seu canal no YouTube, "Jout Jout, Prazer".
Família, aparência, inseguranças, relacionamentos amorosos, trabalho, onde morar e o que fazer com os sushis que sobraram no prato são algumas das questões que ela levanta. Além de nos identificarmos, Jout Jout sabe como nos fazer sentir melhor, pois nada como ouvir sobre crises alheias para aliviar as nossas próprias!"
Como o próprio título do livro já diz o assunto abordado nele são crises. São as diversas crises que a Jout Jout enfrentou desde criança até os dias atuais, e assim como todo mundo, na hora, as crises chegam a parecer o fim do mundo, mas depois chegamos a dar boas risadas com essas situações. E nesse livro, a Jout Jout fala sobre inúmeros tipos de crises que vão desde família, emprego, faculdade, relacionamentos amorosos... Até mesmo sobre o Gregorio Duvivier (também sou uma grande fã dele). Cada capítulo do livro é uma crise, e essas são algumas das minhas preferidas:
“Nada mais reconfortante para quem está numa crise do que saber das crises dos outros e ficar medindo em silêncio sobre se a deles é pior ou mais branda que a nossa própria. Então aqui estou. Enumerando gentilmente meus piores momentos. Para você avaliar se os seus foram um pouquinho melhores e ter um sono mais tranquilo.”
A CRISE DA FESTA VERSUS MOLETOM 
Logo no início já consegui me identificar com essa crise, pois é algo que eu vivo diariamente (principalmente quando está muito frio no inverno). Ao mesmo tempo em que, às vezes, eu tenho uma festa pra ir, a minha animação tá bem no fundo e a opção Netflix + cama passa a ser uma opção bastante tentadora, eu não nego. No passado, reconheço que já deixei de sair algumas vezes para poder ficar em casa e eu me arrependo um pouco disso, pois se tratava de uma oportunidade para conhecer novas pessoas. E, mesmo que meu humor não esteja lá nas alturas quando vou para alguma festa eu sempre acabo me divertindo, no final das contas.

A CRISE DA AUSÊNCIA DE TALENTOS
Assim como a Jout Jout, também já tive dessa crise. Eu não sei tocar nenhum instrumento, não sei cantar bem ou desenhar bem, e muito menos levo jeito para algum tipo de esporte, então sempre que eu via alguém se destacando em uma dessas áreas eu me sentia um pouco inútil pelo fato de não ter nenhum talento extraordinário. Mas, atualmente, vejo que cada pessoa se destaca em alguma coisa. Eu não posso saber desenhar muito bem, mas em compensação até que eu escrevo bem, pelo menos é o que algumas pessoas me dizem.

A CRISE DO MEDO DE CRÍTICAS
Essa é uma que eu domino, tenho até diploma nela. Um dos meus maiores problemas é o medo do julgamento e da crítica das pessoas, sendo assim, toda vez antes de fazer algo eu penso mil vezes na possível opinião das pessoas, e então eu faço. Reconheço que esse é algo que eu tenho que mudar e eu venho tentando. Criar um blog foi um grande passo para superar esse medo de críticas, quem sabe criar um canal no YouTube seja o próximo passo.
“Todos os youtubers brasileiros do mundo lançaram livros. Para cada semana em que eu não sabia sobre o que escrever, um novo livro escrito por um youtuber era lançado, e comecei a achar que fazia parte de uma seita mas que ninguém se lembrou de me avisar. Quando assinei o contrato, achei que estava sendo diferentona, um jovem prodígio, uma realizadora precoce de sonhos. Nada disso. Apenas mais um livro de uma youtuber famosinha. Comecei a escrever sobre a minha vida, testei várias formas diferentes e tudo me parecia ridículo porque lembrei tardiamente de um pequeno detalhe: tenho 25 anos e nada do que fiz até agora é importante o bastante para colocar em um livro. Não protagonizei grandes feitos, não tive ideias revolucionárias. Sou o que chamam de uma pessoa como outra qualquer. De que importa como perdi minha virgindade? Como isso pode ser interessante para alguém no mundo? Escrever este livro foi uma grande crise generalizada.”
A leitura foi tão envolvente e de uma maneira meio informal que, às vezes, podia jurar que estava escutando a voz da Jout Jout falando na minha cabeça, e o resultado final foi que eu terminei a leitura em menos de um dia. Esse foi um livro que eu simplesmente não conseguia parar de ler, e aquele papo de "só vou ler mais um capítulo", acabou se transformando em "li uns seis capítulos".

E sei que muitas pessoas devem ficar um pouco inseguras por se tratar de um livro escrito por uma youtuber, querendo ou não algumas pessoas acham que pode se tratar de um livro "sem conteúdo". Porém, "Tá Todo Mundo Mal" fala sobre crises que todo mundo consegue se identificar, sem contar que junto das crises acabam vindo importantes lições de vida como, por exemplo, não tem nenhum problema você ser vaidosa, o que importa é você ser feliz consigo mesmo. Esse livro é um amor assim como a Jout Jout, então eu recomendo que as pessoas tentem deixar um pouco desse preconceito literário para ler esse livro escrito por uma youtuber incrível.